PolloShop lança primeiro estúdio de TV para transmissões em tempo real do Brasil

No mercado de marketing, a inovação e o pioneirismo ganham destaque. Abrir caminho dentro de um segmento não antes explorado é uma atitude visionária e de grandes resultados. Para o PolloShop essa é uma atividade recorrente, pois o primeiro shopping voltado para o conceito de compra inteligente em Curitiba (em que as compras são feitas com base em bons produtos com preços justos) está inovando novamente, como já fez quando inseriu frutas e verduras no empreendimento. Agora o Pollo apresenta o primeiro estúdio voltado para produção de conteúdo original dentro de shopping no Brasil. Os vídeos mostrarão as principais novidades do Pollo, com informações sobre moda, tendências e consumo, voltadas especialmente para o consumidor que frequenta o shopping.
O estúdio fica entre as lojas, e os consumidores poderão acompanhar as transmissões ao vivo. Com um cenário moderno, o Studio PolloShop terá como apresentadora a jornalista Mayara Bastos, que conversará com lojistas, blogueiras de moda e consumidores sobre as principais tendências da moda que já estão no shopping. Segundo Ivo Petris, CEO do PolloShop, o estúdio será uma forma de se aproximar do público no meio online. “Além de ser uma ideia pioneira no país, é uma iniciativa que vai atrair os consumidores, seja pela movimentação do estúdio no shopping, ou pelos vídeos que vamos transmitir na web. Nossa intenção é gerar informações relevantes para nossos canais na internet, apresentando as novidades que temos em nossas lojas”, analisa.

Continue lendo “PolloShop lança primeiro estúdio de TV para transmissões em tempo real do Brasil”

AHK Paraná e Fecomércio fecham parceria

Andreas Hoffrichter com Darci Piana e Rui Lemes.
Andreas Hoffrichter com Darci Piana e Rui Lemes. Foto – Juliana Bauer.

Na última segunda-feira (26), o diretor da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK Paraná), Andreas Hoffrichter, esteve com o diretor de Relações Internacionais da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio/PR), Rui Lemes, e com o presidente da instituição, Darci Piana, para formalizar a parceria. Juntas, as duas entidades estimularão ainda mais a economia paranaense por meio de investimentos, comércio e serviços.

Para a diretoria da Fecomércio, a associação com a AHK PR facilitará a aproximação das empresas paranaenses com as companhias da Alemanha, além de promover o diálogo, fortalecer o relacionamento e ampliar as possibilidades de negócios.

Terceira idade também está conectada a serviços de marketplace

Comodidade, conforto e conveniência por meio de ferramentas tecnológicas são características das gerações y e z, porém, não apenas delas. Cada vez mais, gerações anteriores e até mesmo a terceira idade têm utilizado da modernidade em seu dia-a-dia. Uma pesquisa feita pela Easy Carros, marketplace que conecta donos de carro a profissionais de serviços automotivos, mostra que pessoas com mais de 60 anos também são adeptas aos serviços oferecidos de forma online, seja por smartphone ou computador.
Inclusive, um outro estudo realizado pelo Instituto Locomotiva, mostrou que 5,2 milhões de pessoas com mais de 60 anos já utilizam ativamente a web no país. De acordo com os números da pesquisa, em um período de oito anos, esse número teve um salto de 940%, ou 4,8 milhões de novos usuários. Há uma diferença entre os pedidos feitos pelos jovens de 18 a 22 e pessoas com mais de 61 anos. Os clientes da terceira idade preferem utilizar o desktop, sendo 58% dos acessos feitos pelo computador. Já os mais jovens, na maioria das vezes optam por realizar seus agendamentos de serviço via aplicativo. Para clientes entre 18 e 22 anos, 58% é feito por meio de smartphone, contra 22% via web.
grafico-compras-3-idade

Continue lendo “Terceira idade também está conectada a serviços de marketplace”

Faturamento do setor de máquinas e equipamentos cai 50%

Processo de desindustrialização no Brasil continua se agravando.
Processo de desindustrialização no Brasil continua se agravando.

O setor de máquinas e equipamentos vive a pior crise dos últimos 80 anos com uma queda no faturamento de 50% em relação a 2013. O desempenho do setor caiu 25,5% no primeiro semestre do ano na comparação com o mesmo período de 2015. A partir do último trimestre espera-se uma retomada, porém leve, e com um crescimento modesto para 2017. O alto índice de capacidade ociosa das indústrias inviabilizará a retomada dos investimentos, no curto prazo.

A análise foi feita pela Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), anunciada pelo presidente do Conselho de Administração da Associação, João Carlos Marchesan. Os dados conjunturais de agosto de 2016 foram divulgados nesta quarta-feira (28) e revelam que processo de desindustrialização no Brasil continua se agravando e o governo precisa tomar medidas no sentido de prover competitividade à indústria. Representantes do setor estiverem em agosto em constantes reuniões com o novo governo e aguardam ansiosamente por novas medidas de renegociação de proteção à indústria nacional, como a diminuição dos juros e maior acesso ao crédito para retomar o crescimento e melhorar as margens e produção

O desaquecimento do setor fica evidente na redução dos postos de trabalho. Na comparação com o ano passado, a redução foi de mais de 22.650 postos de trabalho e em relação ao pico (mai/13) a redução chegou a quase 74.100 postos de trabalho. “As empresas precisam de um oxigênio para que possam respirar novamente para retomar o crescimento e empregar novamente”, disse Marchesan.

A apreciação do Real ocorrida em 2016 anulou, praticamente, todos os ganhos de competitividade dos produtos nacionais. “Precisamos de uma redução da taxa de juro e um câmbio que seja competitivo e previsível para começar a fechar negócios para os próximos seis meses, um ano”.

Nas importações, observou-se uma redução de mais de 18% da entrada de máquinas e equipamentos nos país. Esta queda é resultante da redução da entrada de quase todos os tipos de máquinas. Os setores que registraram crescimento, em agosto, foram os de Máquinas para Bens de Consumo (+16,7%) e Máquinas Agrícolas (+ 37,7%). Os Estados Unidos permaneceram na primeira posição com participação de 17,1% no total importado em máquinas pelo país, seguidos pela China, Alemanha e Coréia do Sul.

Os indicadores positivos vêm das exportações em que todos os setores apresentaram crescimento com destaque para os setores de Máquinas para Logística e Construção Civil e Máquinas para Saneamento Básico Ambiental. Em agosto o crescimento nas exportações foi de 15,1% em relação ao mês passado, e de 24,7% em relação ao mesmo período do ano passado. No ano, o setor registrou um ganho de +2,4%. Em quantidade houve crescimento de 18,5% na margem, e crescimento a 15,4% no ano, sendo que os principais destinos são, pela ordem, América Latina, Europa e Estados Unidos.

 

 

Preço dos eletrônicos continua caindo após volta da Lei do Bem

celular e tabletUm levantamento do Zoom (www.zoom.com.br), site comparador de preços e produtos, revela que os preços de eletrônicos continuam caindo.  As quedas estão atreladas à volta da Lei do Bem, que prevê a isenção de impostos PIS/Pasep e Cofins para alguns produtos desse tipo. No momento, os tablets apresentam a maior baixa, já que caíram de preço 12% desde julho desse ano até o mês atual.  Já os smartphones e os desktops, caíram em média 6% e os notebooks 5%.
Na categoria tablets, que é líder de queda de preço, o produto com maior baixa (-18%) é o Tablet Multilaser Kid Pad NB194 8GB 7″ Android 2 MP 4.4 (Kit Kat). Já entre os smartphones analisados no levantamento do Zoom, o destaque é para o  LG K10 K430TV 16GB 4G, cujo preço caiu 13%. Porém, outros modelos, como o Samsung Galaxy S6 G920 32GB e o Asus ZenFone Go ZB452KG 8GB, também apresentaram queda expressiva:- 11%.

Continue lendo “Preço dos eletrônicos continua caindo após volta da Lei do Bem”