Em períodos de aperto financeiro, vender milhas é opção para quem precisa de dinheiro - Mirian Gasparin
You are here
Home > Sem categoria > Em períodos de aperto financeiro, vender milhas é opção para quem precisa de dinheiro

Em períodos de aperto financeiro, vender milhas é opção para quem precisa de dinheiro

Joseane Serpa, da Milhas Mais, atua no mercado há mais de cinco anos.
Joseane Serpa, da Milhas Mais, atua no mercado há mais de cinco anos.

A venda de milhas aéreas é uma boa opção para quem está precisando de um dinheiro extra, principalmente neste momento de aperto financeiro, e também é uma forma de não perder os pontos dos programas de fidelidade dos cartões que estão expirando. Ou seja, na maioria dos cartões os pontos acumulados têm um prazo de validade, que geralmente é de dois anos. Se não forem utilizados no período, eles acabam se perdendo.

A compra e venda de milhas aéreas começou timidamente há cerca de 15 anos. Hoje, centenas de empresas das mais diversas partes do País têm pela frente um mercado cada vez mais concorrido. Como as operações são feitas online, os detentores de milhas não ficam limitados a negociar com empresas apenas de seu estado ou cidade. Os pagamentos são feitos antecipadamente na conta do cliente.

Segundo Joseane Serpa, da Milhas Mais, empresa que tem sede em Curitiba, mas compra e vende milhas de clientes de diversos estados brasileiros, embora seja fácil vender milhas aéreas, é importante que as pessoas pesquisem e analisem a credibilidade dos sites das empresas com quem estão negociando para evitar preocupações. “Assim como nós tomamos cuidados no momento da compra, é fundamental que o cliente que está vendendo suas milhas saiba da idoneidade da empresa com quem está negociando. Trocar a senha do programa de milhas após a transação é essencial”, alerta Joseane, que atua no ramo há mais de cinco anos.

Vender milhas não é uma tarefa complicada. Os sites das empresas do setor ensinam o passo a passo da negociação. No caso do milhasmais.com.br o procedimento é o seguinte:

1º passo: Preencher e enviar o formulário com os dados, bem como a quantidade de milhas que pretende vender das companhias Azul, TAM, Smiles e Avianca. No caso das milhas da TAM, deve-se também informar a categoria do cartão (Black, Vermelho Plus ou Vermelho).

2º passo: Na sequência, o cliente irá receber em seu e-mail o valor da cotação das milhas que colocou à venda. Nesta etapa, devem ser informados o nome completo; CPF; endereço completo; telefone comercial, residencial e celular e dados bancários para o pagamento das milhas.

3 º passo: Para que o depósito ou transferência à vista seja feito na conta, o cliente deve enviar os dados da TAM (número do cartão fidelidade e assinatura eletrônica para conferência de pontos no site da TAM. Para dados dos cartões Smiles – Gol, Azul e/ou AVIANCA enviar printscreen do PC, MAC ou Notebook da tela com o saldo das milhas.

4º passo: Após os dados serem conferidos e aprovados, será feita antecipadamente a transferência do dinheiro referente às milhas negociadas para a conta bancária do cliente.

5º passo: Ao confirmar o recebimento do depósito, o cliente deve informar a senha de resgate Multiplus da TAM (até 5 dígitos), senha Smiles, Gol (4 dígitos), senha Azul (alfanumérica) e senha AVIANCA (alfanumérica) desbloqueadas. Após a emissão, o cliente deve trocar de senha para a sua segurança e também visando futuras negociações.

Para vender as milhas aéreas, em geral, é necessário ter acumulado um mínimo de 10 mil pontos, mas segundo Joseane Serpa, de uns três anos para cá tem havido grande oscilação de pontos. No caso específico da Avianca, há negociação a partir de 7 mil pontos.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top