You are here
Home > Logística > Armazenagem em área primária reduz em até 30% custos operacionais do exportador TCP

Armazenagem em área primária reduz em até 30% custos operacionais do exportador TCP

Juarez Moraes e Silva: “Sem o envolvimento de terceiros na operação, foi possível reduzir o ciclo operacional em até sete dias”.

A solução logística de armazenagem em área primária oferecida pela TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, tem se tornado um diferencial competitivo para o exportador que utiliza o Porto de Paranaguá. Utilizado principalmente por exportadores de açúcar e madeira, a solução vem permitindo uma redução média de 30% nos custos logísticos para os clientes, já que elimina etapas de armazenagem e transporte de carga em área secundária.

“Essa economia é possível porque a carga que chega a Paranaguá não precisa ser transferida para os armazéns retroportuários para serem estufadas e armazenadas, o que elimina custos com os deslocamentos entre a área secundária e o Terminal. Com a solução oferecida pela TCP, a carga é estufada, vistoriada e armazenada em um mesmo local, na área primária do Porto”, explica Juarez Moraes e Silva, diretor Superintendente e Comercial da TCP.

A redução nos custos logísticos beneficia, principalmente, empresas que operam com produtos de baixo valor agregado. “Com isso, estamos atraindo carga de outros estados, dentre as quais de as usinas no interior de São Paulo. Para o exportador, é vantagem vir até Paranaguá porque seu produto se torna mais competitivo para o mercado”, enfatiza.
A armazenagem em área primária também possibilita a liberação mais rápida das cargas diariamente órgãos intervenientes como Ministério da Agricultura e Anvisa realizam vistorias nas cargas. “Sem o envolvimento de terceiros na operação, foi possível reduzir o ciclo operacional em até sete dias. Além da redução de custos e de tempo, a estufagem e armazenagem na TCP também dá mais segurança ao exportador, já que suas cargas serão monitoradas 24 horas por dia”, ressalta o executivo.

As cargas de madeira e açúcar têm como origem os estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo e como principais destinos a América Central, Europa, Ásia e África.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top