Dia dos Pais oferece boas oportunidades não só para aumentar as vendas, mas principalmente para fidelizar os clientes

Datas comemorativas são uma ótima oportunidade para aumentar as vendas no comércio e serviços. Neste domingo será comemorado o Dia dos Pais e, sem dúvida alguma, o movimento nas lojas será maior nos próximos três dias. Aliás, isso pode ser comprovado pelo levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), realizado em todas as capitais, e que mostra que 57% dos entrevistados têm intenção de presentear os pais neste ano. Diante de tamanho potencial, além de ampliar a comercialização de produtos, os empreendedores podem aproveitar a chance para fidelizar clientes.

Com o objetivo de orientar o empreendedor sobre fidelização, o Sebrae lançou uma página com dicas para que os donos de pequenos negócios ampliem as vendas. A ideia principal da fidelização é encantar o cliente, melhorar a experiência de compra e torná-lo engajado com a proposta dos produtos e serviços adquiridos. Tudo para aumentar as chances de que ele retorne e consuma novamente.

A verdade é que quando o consumidor percebe que existe a preocupação constante e real do lojista ou mesmo do prestador de serviços com a sua satisfação, as chances de se tornar fiel são maiores. O empresário deve estar consciente que as ações de fidelização não são o fim, mas sim os meios de conseguir mais conversões e aumento nos tíquetes médios. E para que isso aconteça, o negócio precisa estar bem estruturado.

Portanto, antes de implantar qualquer programa de fidelização, o empresário deve fazer alguns estudos para que realmente possa saber qual é o perfil dos seus clientes; o que eles consomem; qual é a periodicidade de consumo; qual é o valor médio gasto por eles; se preferem descontos ou brindes como benefícios e se buscam o consumo self-service ou gostam de ajuda constante da equipe.

Após fazer esses estudos, é preciso avaliar as respostas e usar a criatividade para oferecer aquilo que o público deseja. Segundo os consultores do Sebrae, muitos pensam em um programa de fidelidade como um programa de recompensas. Mas esse tipo de iniciativa não garante lealdade se não acrescentar algo para melhorar a experiência do cliente. As recompensas podem ser o motor propulsor para quem compra pela primeira vez, mas reforçar as vantagens durante as primeiras experiências de um cliente com uma marca pode tornar o relacionamento duradouro. O item mais importante para a fidelização é o atendimento diferenciado, de forma a fazer com que o cliente se sinta confortável no ato da compra, e não seja forçado a adquirir o produto.

Data é propícia para comemorar parcerias

Para alguns empreendedores, o Dia dos Pais é também uma data para comemorar parcerias, como na família de João Aloysio Carvalho Filho, hoje com 63 anos e mais de 30 anos de trabalho na área de alimentação. Foi ele a grande inspiração para os filhos Mariana Alves Carvalho David (32) e João Aloysio Carvalho Neto (33) empreenderem no ramo da gastronomia. Ambos cresceram acompanhando as atividades do pai, dono do restaurante Friburgo, inaugurado em 1985 e que manteve suas atividades até meados de 2005, em Brasília. Ainda hoje, João Filho se mantém no segmento de alimentação.

Com total apoio para empreender sem medo na área de gastronomia, hoje Mariana é proprietária do Piccolo Emporium, inaugurado em março de 2016, também em Brasília, junto com o pai, que foi parceiro no empreendimento. Formada em Turismo e pós-graduada em Gestão de Pessoas, ela confessa que sempre se sentiu atraída por esse tipo de atividade. “Sempre gostei da área. Quando fazia turismo, pensava em trancar e investir em gastronomia”, diz. Atualmente, já com o seu sonho realizado, Mariana diz que tem uma boa clientela fidelizada, mas que pode crescer. “Ainda tenho terreno para expandir e clientes para conquistar”, afirma. A empresária reconhece a importância do pai nessa trajetória: “Ele foi essencial para mim. Sem ele, não teria coragem de abrir o negócio. Ele é uma pessoa muito calma e dá apoio até hoje”.

O irmão, o empreendedor João Aluysio Carvalho Neto, que também enveredou pelos negócios gastronômicos, endossa as palavras de Mariana sobre o pai. “Ele é minha inspiração de vida! Sempre otimista, leve e saudável. Embora os negócios dependessem de fatores externos, ele sempre teve calma”, conta João, proprietário de uma franquia Yogoberry, em Brasília, desde 2009, e de um restaurante de culinária mexicana (¿Qué Quieres?), no bairro de Ipanema, Rio de Janeiro. Estimulado pelo pai, a casa de culinária mexicana foi aberta em março de 2015, um ano antes do empreendimento da irmã. João Neto explica que, além da influência paterna, a flexibilidade de horários, poder comandar uma equipe e empregar pessoas são algumas das vantagens que o atraíram a ter o próprio negócio.

A parceria entre familiares é algo comum nos negócios. De acordo com pesquisa do Sebrae, 52% das micro e pequenas empresas brasileiras podem ser consideradas familiares, ou seja, possuem sócio ou empregado que são parentes. Quanto maior o porte, maior a participação familiar. O levantamento do Sebrae constatou que de cada dez empresas de pequeno porte, seis são familiares. Quando a análise é feita entre as microempresas, esse número cai para cinco de cada dez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *