Números positivos do turismo de negócios e eventos atraem interesse de novos empreendedores

O turismo de negócios injetou R$ 193 milhões na economia de Curitiba, em 2016.

O turismo de negócios e eventos continua ativo, apesar da crise. No ano passado, o Brasil sediou 880 eventos, segundo dados do Ministério do Turismo. Para este ano, só em termos de feiras estão programadas 2 mil feiras. Na capital paranaense, segundo informações que eu obtive nesta sexta-feira (11) junto ao Curitiba Convention e Visitors Bureau, em 2016 foram realizados 157 eventos técnicos e científicos, que injetaram na economia local R$ 193 milhões. Para este ano, a expectativa é de que Curitiba sedie 215 eventos, que deverão atrair mais de 350 mil turistas, apenas no segmento de negócios e eventos.

Os números positivos têm animado novos empreendedores. Realizar eventos requer muita atenção e comprometimento por parte dos organizadores. Seja de caráter social ou empresarial, é preciso criar um ambiente propício, tornando essa experiência única.

Para que os eventos saiam de acordo com o planejado, o CEO e fundador da Evnts, Alexandre Rodrigues, dá algumas dicas. O primeiro passo é fazer um planejamento detalhado do evento, criando um plano de ação alinhado com todos os envolvidos. Por isso, é importante conversar com possíveis participantes para saber suas expectativas. Outro ponto fundamental é questionar como organizador se o evento é a melhor maneira de atingir o objetivo ou se pode ser feito por meio de outros canais.

Após finalizar o planejamento, os organizadores precisam elaborar um cronograma com as próximas ações e definir a verba destinada para o evento. Aliás, esse é um ponto delicado, pois muitas vezes os custos são maiores do que o planejado. Por este motivo, uma dica importante é procurar auditórios e buffets que tenham preços acessíveis, uma vez que este item, na maioria das vezes, representa 50% do orçamento de todo o evento.

Depois do planejamento e da verba, o terceiro ponto a ser considerado, segundo Alexandre Rodrigues, é a confiança nos fornecedores. Para facilitar esse processo, deve-se criar uma lista de tarefas com todos os itens que serão necessários.

Já a internet é a grande aliada dos organizadores de eventos de negócios. Rodrigues chamada a atenção para o fato de que atualmente existem aplicativos e plataformas que otimizam muitos processos na organização de um evento e melhoram a experiência de todos os envolvidos.

Por último, não é só por que o evento acabou que todas as tarefas estão concluídas. Muito pelo contrário. É nessa hora que os organizadores precisam estar próximos dos participantes, com o objetivo de coletar a opinião e avaliação para que possam resolver possíveis problemas e evitar que isso ocorra nas próximas ocasiões, finaliza o CEO da Evnts.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *