You are here
Home > Sem categoria > Bayer assina acordo para vender parte dos negócios para a Basf por 5,9 bilhões de euros

Bayer assina acordo para vender parte dos negócios para a Basf por 5,9 bilhões de euros

À luz da aquisição planejada da Monsanto, a Bayer assinou um acordo para vender parte dos negócios da Crop Science à Basf por  5,9 bilhões de euros. Os ativos a serem vendidos geraram vendas líquidas de aproximadamente  1,3 bilhão de euros em 2016. “Estamos adotando uma abordagem ativa para lidar com potenciais preocupações regulatórias com o objetivo de facilitar o fechamento bem-sucedido da operação com a Monsanto”, explicou Werner Baumann, presidente do Conselho de Administração da Bayer AG. “Ao mesmo tempo, estamos satisfeitos que, na Basf, encontramos um comprador forte para nossos negócios e que continuará atendendo às necessidades dos produtores e a oferecer aos nossos colaboradores perspectivas de longo prazo”. A operação está sujeita às aprovações regulatórias e também ao fechamento bem-sucedido da aquisição da Monsanto pela Bayer.

Os ativos a serem vendidos incluem o negócio global de glufosinato de amônio da Bayer e a tecnologia LibertyLink™ para tolerância a herbicidas, essencialmente todos os negócios de sementes de culturas de campo da empresa, bem como as respectivas capacidades de pesquisa e desenvolvimento. Os negócios de sementes que estão sendo desinvestidos incluem o negócio global de sementes de algodão (excluindo Índia e África do Sul), os negócios norte-americano e europeu de sementes de canola e também o negócio de sementes de soja. A operação inclui a transferência da propriedade intelectual e instalações relevantes, bem como mais de 1.800 colaboradores, principalmente nos Estados Unidos, Alemanha, Brasil, Canadá e Bélgica. Como parte do acordo, a BASF se comprometeu a manter todos os cargos permanentes, em condições similares, durante pelo menos três anos após o fechamento da operação.

“Somos muito gratos aos nossos colaboradores, que desempenharam um papel fundamental no sucesso desses negócios ao longo dos anos”, disse Baumann. “Ao mesmo tempo, estamos conscientes da necessidade de abordar certas sobreposições no portfólio combinado de produtos da Bayer e da Monsanto”. A Bayer continua a trabalhar de forma diligente junto às autoridades competentes com o objetivo de fechar a aquisição planejada da Monsanto no início de 2018.

“Com esta aquisição, estamos aproveitando a oportunidade para comprar ativos altamente atraentes em cultivos de linha e mercados-chave. Estamos ansiosos para expandir esses negócios inovadores e rentáveis e para receber a equipe experiente e dedicada em proteção de culturas, sementes e traits. Esses negócios são uma excelente combinação para o portfólio do Grupo BASF”, comentou Kurt Bock, presidente do Conselho de Administração da Basf SE.

“Estou muito contente que, na Basf, a Bayer tenha selecionado um comprador que, como nossa empresa, atribui grande importância à parceria social e valoriza seus colaboradores. Fico satisfeito com o fato de a Basf se comprometer a oferecer condições de emprego comparáveis aos nossos colegas”, disse Oliver Zühlke, presidente da Comissão Central de Trabalhadores da Bayer.

A Bayer continua a possuir, operar e manter esses negócios até o encerramento deste desinvestimento. Após o fechamento da aquisição planejada da Monsanto, a Bayer permanecerá ativa nas mesmas áreas como resultado dos programas, produtos e ofertas atuais da Monsanto.

O preço de base da compra, de EUR 5,9 bilhões, exclui o valor de qualquer capital de giro líquido e estará sujeito a ajustes habituais no fechamento, incluindo o valor de quaisquer inventários transferidos para a Basf. A Bayer utilizará os recursos líquidos do desinvestimento anunciado para refinanciar parcialmente a aquisição planejada da Monsanto. A Bayer fornecerá uma atualização a respeito das sinergias totais esperadas da aquisição da Monsanto após o fechamento da operação.

A BofA Merrill Lynch e o Credit Suisse atuam como consultores financeiros da Bayer. Os assessores jurídicos da Bayer são a Sullivan & Cromwell, Dentons, Cohen & Grigsby e a Redeker, Sellner & Dahs.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top