You are here
Home > Agronegócio > Como produzir alimento para 10 bilhões de pessoas?

Como produzir alimento para 10 bilhões de pessoas?

A população mundial se aproximará dos 10 bilhões de habitantes em 2050, contra 7,3 bilhões em 2015, segundo uma análise bianual do Instituto Francês de Estudos Demográficos (INED), divulgada em setembro. No fim do século, deveremos chegar a 11 bilhões. Tais estimativas aumentam a responsabilidade e os desafios daqueles que estudam e trabalham diariamente com vistas a suprir a demanda da humanidade por alimentos, como os agrônomos e outros cientistas que atuam na área, técnicos e, principalmente, os produtores rurais, que empregam os fertilizantes – os nutrientes das plantas – em suas lavouras.

Parte essencial de todo ser vivo, os nutrientes são componentes insubstituíveis, fundamentais para o cultivo das plantas. Com o crescimento demográfico global, o uso sustentável dos adubos é essencial para recompor os minerais do solo e garantir o alimento saudável na mesa dos cidadãos.
De acordo com o diretor do Centro de Solos do Instituto Agronômico de Campinas e coordenador da iniciativa Nutrientes Para a Vida, Heitor Cantarella, os solos agrícolas têm capacidade limitada de fornecer nutrientes e perdem sua fertilidade, ou mesmo se esgotam, com as sucessivas colheitas. “Em solos empobrecidos, não é possível produzir adequadamente os vegetais”, pontua.

Para exemplificar a necessidade do uso de fertilizantes, o especialista destaca uma das mais importantes invenções do século XX, que resultou em dois prêmios Nobel, e que mudou não apenas a agricultura, mas também a própria forma de vida da civilização: a descoberta da síntese da amônia a partir do nitrogênio encontrado no ar. “Alguns estudiosos estimam que, graças aos fertilizantes produzidos a partir desse processo, 40% das pessoas que hoje vivem podem ser alimentadas em todo o mundo”.

Tecnologia

Os fertilizantes são parte da evolução tecnológica e modernização da agricultura,
aumentando a oferta de alimentos e melhorando os retornos financeiros: o
aprimoramento das técnicas de adubação e o conhecimento da nutrição vegetal
permitem ganhos amplos de produtividade. “Por exemplo, o desenvolvimento da
genética e o aprimoramento das plantas resultam em culturas mais produtivas
e com características desejáveis para o consumidor. Esse potencial dos novos
cultivares exige a fertilização adequada para se expressar. Ou seja, o benefício
dos fertilizantes se manifesta duplamente”, reforça Dr. Cantarella.

Conscientização

É imprescindível estimular os grandes e pequenos produtores a empregarem corretamente os fertilizantes nas suas lavouras. Os pequenosprodutores podem, inclusive, beneficiar-se mais dessa prática já que, com
pouca área disponível, precisam garantir a produtividade para manter a sustentabilidade econômica de seu empreendimento. E foi para esclarecer esse público, em especial os leigos, a respeito da importância dos fertilizantes que foi lançada recentemente no Brasil a iniciativa Nutrientes Para a Vida. “Podemos dizer que os adubos fornecem nutrientes para as plantas, e que estas, por sua vez, os repassam aos animais que delas se alimentam, inclusive a nós, os humanos”, argumenta Cantarella.

mirian
Sobre a Mirian Gasparin Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top