You are here
Home > Empreendedorismo > Com baixo índice de concorrência e crescimento na demanda, as lavanderias aparecem como uma boa opção para empreender neste momento

Com baixo índice de concorrência e crescimento na demanda, as lavanderias aparecem como uma boa opção para empreender neste momento

Negócios no setor de lavanderias devem crescer 20% até 2020.

As lavanderias deixaram de ser um serviço buscado apenas por pessoas de alto poder aquisitivo. Hoje, o público alvo é o consumidor que busca economizar. É que devido ao alto custo dos produtos de limpeza, energia elétrica e água, fazer uso de um serviço de lavanderia pode significar uma boa economia no final do mês. O empreendedor que quer ingressar neste segmento pode optar por dois tipos de lavanderias: a doméstica, que possui uma estrutura mais simples com foco em atendimento a pessoas físicas e donas de casas. E a industrial que tem como objetivo atender empresas com alto volume de demanda como hotéis, hospitais, clínicas e empresas com muitos funcionários e uniformes. Neste caso, devido ao alto volume de lavagens é necessária uma estrutura diferenciada, que exigirá um investimento maior.

No Brasil, a maior parte das lavanderias é da modalidade doméstica, com 7.400 unidades. Já o número de lavanderias industriais é da ordem de 2.100, segundo dados que eu obtive junto a Associação Nacional das Empresas de Lavanderias. De acordo com a entidade, o número de lavanderias é pequeno em relação a população brasileira e, portanto, é um negócio que tem um bom potencial para se desenvolver. A Associação estima que até 2020, o setor deve crescer 20%.

Quanto à localização do negócio, este tipo de empreendimento precisa estar na rota diária dos clientes ou próximo a eles. Por isso, a dica para encontrar uma boa localização para montar uma lavanderia doméstica é estar próximo a grandes centros residenciais, com concentração de bancos e escritórios. No caso das lavanderias industriais, o ideal é ficar próximo a centros industriais.

Já o capital inicial a ser investido varia bastante conforme o porte do empreendimento e sua localização. É claro que uma lavanderia localizada num shopping vai custar bem mais caro que em um ponto comercial na rua. De acordo com cálculos de consultores de empresas, o valor a ser investido inicialmente para montar uma lavanderia doméstica, em imóvel alugado, é de R$ 90 mil. Agora, para abrir uma lavanderia industrial o valor do investimento dobra, justamente pelo alto custo dos equipamentos industriais, podendo chegar a R$ 180 mil.

Por fim, em média, o faturamento bruto de uma lavanderia de pequeno ou médio porte varia entre R$ 40 mil e R$ 55 mil mensais, com um lucro médio entre R$ 15 mil e R$ 25 mil. A fórmula para um bom faturamento é acertar na precificação e manter os custos dentro do patamar fixado no plano de negócios.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top