Empresas que ainda não aderiram aos cartões de débito ou crédito estão com o prazo de validade vencendo, mas é preciso pesquisar taxas

O aluguel de uma maquininha gira em torno de R$ 100 mensais.

Os pagamentos com cartões de crédito ou débito devem crescer 7,5% este ano, isso de acordo com projeções da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços. E a tendência é que até 2020, os meios eletrônicos ultrapassem o uso de dinheiro em espécie. Portanto, as empresas que ainda não aceitam as formas de pagamento eletrônico estão com seu prazo de validade vencendo.

A venda através de cartões tem vantagens como segurança, já que o dinheiro da venda fica no banco e não na gaveta da empresa, e incentiva às compras, uma vez que aumenta o crédito disponível ao consumidor, fazendo com que ele possa comprar mesmo sem ter dinheiro naquele momento e ainda incentiva a gastar mais. Mas, o lado ruim dos cartões, são as taxas cobradas pelas empresas das maquininhas. Até o ano 2010 existiam apenas duas operadoras de cartões. Hoje são várias. ?E diante da concorrência, o que o empresário deve levar em conta na hora de escolher sua adquirente? Em primeiro lugar, devem ser avaliadas as necessidades da empresa, como por exemplo quantas máquinas são necessárias? Elas devem ser móveis ou fixas? Qual a movimentação na modalidade eletrônica? A empresa vende mais à vista ou parcelado.

Depois de traçar o perfil do negócio, é possível partir para o perfil da adquirente. E aí vai outra importante pergunta: o que é mais importante para a empresa: a qualidade do serviço e atendimento? Ou as taxas cobradas e as possibilidades de crédito? É evidente, que o ideal seria encontrar uma operadora que oferecesse as duas vantagens. Mas, o que se vê no mercado são as adquirentes se “especializando” em uma dessas áreas. Desta forma, quem tem um ótimo atendimento, as taxas são um pouco mais amargas. Por sua vez, as que oferecem taxas menores, o serviço, de um modo geral, deixa a desejar.

O aluguel das maquininhas do tipo móvel gira em torno de R$ 100 por mês. Aliás, este será um custo fixo que a empresa terá, independente das suas vendas. Porém, existem diversas adquirentes que já fazem promoções isentando o aluguel, caso a empresa atinja um certo faturamento. Existe também a possibilidade de se comprar a máquina.

Quanto à taxa débito, ela gira entre 0,8% até 2,5% do valor da transação. Peguemos por exemplo uma taxa de 1,5%. Se a empresa fez uma venda no valor de R$ 100 no cartão de débito ela receberá líquido R$98,50. É importante lembrar que, em geral, as vendas no cartão de débito são pagas somente no dia seguinte à venda.

Já as taxas no cartão de crédito são maiores. Eu fiz uma pesquisa e constatei que para parcelamentos entre um e seis vezes a taxa gira em torno de 3,5%. De 7 a 12 meses por volta de 4% a 8%. Agora é importante não esquecer que a empresa que vendeu parcelado também receberá parcelado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *