You are here
Home > Empreendedorismo > Fornecimento de marmitas é uma das atividades que promete bons ganhos em 2018

Fornecimento de marmitas é uma das atividades que promete bons ganhos em 2018

Estudo divulgado recentemente pelo Sebrae aponta que os empreendimentos que inovam na oferta de alimentos estão entre as atividades mais prósperas para este ano. Hoje eu vou dar algumas dicas para os futuros empreendedores que estudam a possibilidade de abrir um negócio com marmitas, cuja demanda vem crescendo, especialmente nos grandes centros urbanos que abrigam muitas empresas. É que comprar alimentos em quentinhas, fica mais barato do que ir a restaurantes.

Outros possíveis clientes para o fornecimento de marmitas são hospitais, escolas e empresas em geral. Mas, uma particularidade que também deve ser analisada quando o assunto é clientela são as restrições alimentares. É que as marmitas não são direcionadas apenas às pessoas que estão com fome, mas também para aquelas que não podem comer qualquer alimento, pois têm restrições quanto à quantidade de óleo, de sal, de açúcar, de leite, entre outros. E isso acaba se tornando mais um leque de opções para quem quer trabalhar com alimentação.

Já a localização do negócio é fundamental para o sucesso do empreendimento. Por isso, é necessário analisar uma série de detalhes, como os clientes, o local em si e suas particularidades, os fornecedores e os concorrentes. Trabalhar em casa é uma opção para quem está dando os primeiros passos no ramo empresarial. Mas, é necessário legalizar a empresa para garantir negociações com fornecedores. Não é por que o trabalho será realizado em casa que o CNPJ não deve existir. Muito pelo contrário, o Cadastro da Pessoa Jurídica é obrigatório para quem deseja sucesso.

Outro detalhe: as marmitas podem ser vendidas para o almoço ou jantar, conforme a disponibilidade de cada empreendedor. O interessante é oferecer diferenciais, como ter as próprias receitas, tornando os clientes fiéis. Além da comida, é interessante oferecer bebidas e sobremesas, para agregar valor ao produto vendido. Caso o empreendedor volte suas atenções para os consumidores que precisam de uma alimentação especial é importante também buscar coisas novas e um cardápio mais amplo.

Quanto ao investimento, ele varia de acordo com o porte do empreendimento. Segundo cálculos dos consultores do Sebrae, considerando uma empresa instalada num imóvel alugado de 60 m², serão necessários recursos da ordem de R$ 65 mil.

Por fim, o segredo deste tipo de negócio está no acompanhamento constante do empresário junto ao processo produtivo, bem como uma administração rigorosa da cozinha, em busca de qualidade e economia.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top