You are here
Home > Comércio Exterior > Mercado do Reino Unido atrai calçadistas brasileiros

Mercado do Reino Unido atrai calçadistas brasileiros

Roberta Ramos, gestora de Projetos da Abicalçados.

Os calçadistas brasileiros estão focados na expansão do mercado no Reino Unido, que no ano passado importou o equivalente a US$ 6,4 bilhões em calçados, a maior parte deles da China. A primeira iniciativa do Brazilian Footwear naquele país foi realizada entre os dias 7 e 12 de maio, quando uma equipe da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), que gere o programa de apoio às exportações de calçados em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), esteve in loco realizando uma missão prospectiva para conhecer melhor o mercado local.

A gestora de Projetos da Abicalçados, Roberta Ramos, conta que no período foram realizadas reuniões com promotoras de feiras, empresas de Relações Públicas e de matchmaking, Setor de Promoção Comercial do Brasil no Reino Unido (Secom), compradores locais e espaços para um possível showroom brasileiro no país, além de visitas ao varejo de Londres e do sudeste da Inglaterra.

“O Reino Unido é um mercado, de fato, novo para o Programa. No país podemos encontrar poucas marcas brasileiras, já que a maior parte das empresas que exporta para lá o faz por meio de private label (com a etiqueta do cliente)”, explica Roberta, ressaltando a importância de se iniciar um trabalho de imagem e promoção comercial das marcas Made in Brazil no país. No ano passado, conforme dados da Abicalçados, os calçadistas brasileiros exportaram para lá US$ 24 milhões, 11% menos do que em 2016. Já nos quatro primeiros meses deste ano, foi embarcado o equivalente a US$ 8,2 milhões, 8% mais do que no mesmo ínterim de 2017.

Oportunidades

Segundo a gestora, trata-se de um mercado promissor, especialmente porque é grande consumidor de produtos de maior valor agregado (couros) e tem no preço competitivo um fator determinante. Somente no ano passado, o consumo britânico ficou em 275 milhões de pares, número que deve ultrapassar 280 milhões até 2019, cerca de 4 pares per capita. “Os calçados brasileiros estão bem posicionados na questão preço e qualidade, dois fatores fundamentais de compra no Reino Unido”, acrescenta. Conforme estudo sobre aquele mercado, realizado pela Inteligência da Abicalçados e que será lançado até o final deste mês, o preço foi considerado determinante por 36% dos compradores, fator seguido por qualidade (29%).

Durante a Missão, também foi observado que os consumidores locais são abertos a novidades e tendências de moda, embora prezem muito pelo conforto. “Na Inglaterra, maior mercado do Reino Unido, vimos oportunidade para os três segmentos – feminino, masculino e infantil -, justamente pelo estilo de consumo, pelo o que é ofertado nas lojas, e pela boa imagem do Brasil junto aos ingleses”, conta Roberta.

Programa

Renovado a cada dois anos, atualmente o Brazilian Footwear para o biênio 2017/2018 tem um aporte total de R$ 36,46 milhões para ações de promoção internacional do calçado brasileiro, que incluem participação em feiras, missões comerciais, estudos de prospecção, projetos de imagem, projetos compradores – que trazem importadores para o Brasil, entre outros. Além do Reino Unido, são considerados mercados-alvo do programa a França, os Estados Unidos, a Colômbia, a China/Hong Kong e os Emirados Árabes Unidos.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top