You are here
Home > Negócios > Pequenas empresas também podem exportar, mas devem estar habilitadas pela Receita Federal

Pequenas empresas também podem exportar, mas devem estar habilitadas pela Receita Federal

Quando se fala em comércio internacional, a maioria dos pequenos empresários se sente excluída da conversa. Porém, isso é um grande equívoco, já que as empresas de menor porte também podem comprar e vender internacionalmente desde que sejam habilitadas pela Receita Federal a realizarem esse processo. Além de receber em dólar, muitos são os benefícios das empresas que exportam, entre os quais podemos citar a diversificação de mercado, aumento do faturamento, oportunidade de crescimento do negócio e, principalmente, inovação.

No entanto, o que se percebe ainda é que a falta de conhecimento e despreparo dos gestores são os principais motivos apontado pelas consultorias de comércio exterior para o acanhamento das pequenas empresas se lançarem no mercado internacional. Eu conversei com alguns especialistas em comércio exterior e eles me disseram que, por incrível que pareça, ainda tem empresário que acredita em alguns mitos, como por exemplo, que só se pode vender um container fechado, ou que o modal aéreo tem um custo tão elevado que fica impraticável para a pequena empresa.

Além disso, o Brasil por ser conhecido como um país burocrático e com muita corrupção faz com que muitos gestores, que normalmente são os donos das empresas, sintam-se desmotivados a investir e a expandir os negócios. Também se percebe que o pequeno empresário tem muito medo de multas, de perder as cargas, de complicações na operacionalização do processo e da falta de preparo para uma negociação internacional.

Os empresários de pequeno porte que estão interessados em ampliar suas vendas através do mercado externo, além de contratarem uma equipe especializada, poderão optar pela realização de vendas por meio de cooperativas de exportação, exportar sob por encomenda, realizar uma exportação indiretamente, ou seja, por meio de outra empresa e até mesmo através de pequenas remessas de exportação realizadas pelos Correios.

Por fim, o empresário deve estar se perguntando como poderá encontrar clientes no mercado externo? A internet é um canal importante para a estratégia de marketing da pequena empresa. Com um site profissional (com versão em inglês e espanhol) e marketing digital, a pequena empresa alcançará vários mercados. Estas ferramentas têm resultados positivos para a publicidade e relacionamento com potenciais clientes estrangeiros, mas não substituem o contato direto com empresários de outros países. Por isso, a pequena empresa tem que participar ativamente de eventos internacionais.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top