You are here
Home > comércio > Varejo brasileiro cresce 3% em maio, apesar do impacto da paralisação dos caminhoneiros

Varejo brasileiro cresce 3% em maio, apesar do impacto da paralisação dos caminhoneiros

O varejo brasileiro apresentou alta de 3,0% em maio na comparação com o mesmo período de 2017, descontando a inflação que incide sobre a cesta de setores do varejo ampliado, aponta o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) divulgado nesta terça-feira, dia 19. Em termos nominais, número que reflete o que o varejista observa diretamente na receita das suas vendas, o indicador registrou alta de 4,6% frente ao ano anterior.

O mês foi levemente prejudicado no efeito líquido entre feriados e trocas de dias da semana em relação ao mesmo período do ano passado. Ajustando a estes efeitos de calendário, teríamos 4,7% de crescimento nominal e 3,1% descontando a inflação. “O resultado positivo de maio surpreende, já que tivemos a paralisação dos caminhoneiros no final do mês, que impactou negativamente o varejo”, afirma Gabriel Mariotto, diretor de Inteligência da Cielo. “O que ocorreu é que tivemos uma dinâmica muito particular no mês de maio, com dois períodos muito claros e distintos: crescimento muito forte no período que antecedeu a crise de abastecimento e outro bem mais fraco, até com retração, no período da paralisação”, explica o executivo. No período pré-paralisação, o ICVA deflacionado do mês foi de 4,5%. Já no período da paralisação, o ICVA foi de apenas -1,2% no mesmo conceito, impactando significativamente o resultado do mês.

O ICVA nominal da semana que antecedeu o domingo do Dia das Mães (7 a 13 de maio) registrou alta de 6,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. O índice aponta que a semana movimentada pela data trouxe um ritmo de vendas melhor que o do mês como um todo, o que contribuiu positivamente para o resultado de maio.

SETORES

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o mês apresenta destaque positivo para o setor de Supermercados e Hipermercados, que se beneficiou com a estocagem no período da paralisação e fechou o mês com aceleração no conceito do ICVA deflacionado com ajuste de calendário. Outro setor de destaque foi o de Vestuário, que mesmo impactado negativamente pela paralisação, apresentou aceleração no mesmo conceito, puxado principalmente pelo Dia das Mães. Por outro lado, o setor de Postos de Combustíveis, como mencionado anteriormente, foi impactado negativamente pela paralisação e segue apresentando retração.

REGIÕES

Destaque positivo para as regiões de Centro-Oeste, Norte e Sul, que apresentaram as maiores acelerações dentre as regiões brasileiras, segundo o ICVA deflacionado com ajuste de calendário.Pelo ICVA deflacionado sem ajustes de calendário, comparando com o mesmo período do ano anterior, o varejo ampliado na região Norte apresentou alta de 7,6%, seguido pelas regiões Sul e Nordeste com 5,8% e 4,2% respectivamente. Por fim, vale mencionar as regiões Centro-Oeste, com alta de 3,9%, e o Sudeste, com alta de 1,3%.

Pelo ICVA nominal – que não considera o desconto da inflação – o destaque foi a região Norte, que registrou alta de 8,5%. Em seguida, temos as regiões Sul e Nordeste com crescimentos de 7,2% e 6,4% respectivamente. Já as regiões Centro-Oeste e Sudeste apresentaram crescimentos de 5,6% e 3,3% respectivamente.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top