You are here
Home > comércio > Liquidação de inverno deve seguir os números do ano passado

Liquidação de inverno deve seguir os números do ano passado

Sem muito frio e com os jogos do mundial que mexeram com o horário do comércio, a expectativa de vendas para as liquidações de inverno podem seguir os mesmos números que 2017. É o que aponta uma pesquisa feita pela Federação das Câmeras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo. Segundo o estudo, 38,76% dos lojistas do estado de São Paulo acreditam que as vendas serão como o ano passado. Já para 34%, a expectativa é vender menos que 2017. Para o presidente da Federação, Mauricio Stainoff, as altas temperaturas ainda não motivaram consumidores a comprarem vestuários – um dos setores mais beneficiados nesta época do ano. “A questão climática tem influenciado os hábitos de consumo neste inverno. Infelizmente, para o comércio, o calor pode afetar a decisão de compra do consumidor”, explica.

Os dados da pesquisa também mostram que nem mesmo a Copa do Mundo está deixando o comércio mais empolgado. Quando questionados sobre a expectativa de vendas durante o Mundial, que já está no fim, apenas 15,58% dos varejistas acreditam em um aumento de lucro, já 84,42% deles acreditam que o evento não tem influenciado na decisão de compra do consumidor.

“Para 27,85%, a Copa do Mundo ajudou a vender mais. No entanto, são alguns setores que se beneficiam, como bazares, lojas de armarinhos, produtos temáticos, além de bares e restaurantes que receberam mais movimento”, afirma Stainoff.

Uma outra pesquisa feita pela Cielo, mostra que um dos setores que tem se beneficiado durante esta época do ano são as padarias, devido aos horários dos jogos. De acordo com o levantamento, no dia que o Brasil venceu a Costa Rica, as vendas aumentaram 11,4% e 9,3% quando derrotou a Sérvia, numa quarta-feira.

Neste último, um dos setores que mais foi impactado negativamente foi de vestuário, com queda de 49,9% comparado a uma quarta-feira comum. Stainoff explica que a crise econômica e conjuntura política do país também têm influenciado as vendas. “A economia ainda está melhorando, mas não é o suficiente para gerar confiança. Desta forma, poupar ainda é uma escolha do consumidor. Além disso, durante a Copa do Mundo houve quebra nos horários do comércio, que muitas vezes fechou”, finaliza Stainoff.

mirian
Sobre a Mirian Gasparin Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top