You are here
Home > Negócios > Disrupção impulsiona o crescimento das marcas

Disrupção impulsiona o crescimento das marcas

Felipe Ramirez, Chief Solutions Officer Latinamerica da Kantar

A análise “Como a disrupção pode impulsionar o crescimento da marca?” realizada pela Kantar Millward Brown com mais de 2000 marcas dentro da base de dados global de brand equity do BrandZ™ mostra que menos de 1 em cada 10 marcas cresceu entre 2014 e 2017. E, dentre as que cresceram, destaca-se a Amazon, marca disruptiva que dobrou o seu valor no mesmo período, facilitando muito a vida das pessoas. Os resultados dessa análise foram apresentados nesta quinta-feira (9), em um webinar, por Felipe Ramirez, Chief Solutions Officer Latinamerica da Kantar.

De acordo com Ramirez, existem sete passos que as marcas podem seguir para gerar disrupção e impulsionar o seu crescimento:

1. Sair da sua zona de conforto: Qualquer marca pode ser disruptiva se fizer algo fora da norma e essa ação criar um novo valor para os consumidores ou descobrir um potencial existente.
2. Reconhecer que precisa mudar: Saber como as pessoas pensam, sentem e se comportam em relação à marca pode significar uma oportunidade imediata de crescimento. O desafio para uma marca bem diferenciada é identificar o que pode torná-la mais relevante e significativa para seus potenciais consumidores.

3. Conhecer o valor da sua marca: Em média, os consumidores pagam 14% a mais pelas marcas que percebem que são diferentes. Quando isso se traduz em lucros, a maior oportunidade pode vir do foco nos consumidores certos e depois cultivar percepções de diferenciação para impulsionar o valor percebido da marca.

4. Usar os insights dos consumidores para inspirar disrupção: Uma marca estabelecida que não possui diferenciação pode correr o risco de ser umacomodity. Uma ideia disruptiva pode vir de muitas partes, mas o teste final é se essa ideia ressoa na audiência. Isso requer um profundo conhecimento dos potenciais consumidores.

5. Invista para fazer a diferença: gastar mais não significa necessariamente que você vai gerar algo disruptivo. Investir na criação de uma ideia criativa que seja congruente com a marca pode ser a melhor maneira de criar uma disrupção do status quo.

6. Aprenda rápido para obter um retorno maior: uma marca pode ter um grande produto ou ideia, mas a execução pode não ser suficiente disruptiva. Os profissionais de marketing devem agir como se estivessem sempre na versão Beta. Atuar e identificar oportunidades de mudança para chegar ao caminho certo.

7. Melhorar continuamente a eficácia do marketing: os profissionais de marketing precisam avaliar o que está acontecendo com a marca e a resposta do consumidor no mercado, para fazer os ajustes necessários no momento.

“Qualquer marca tem o poder de gerar disrupcões se tiver uma ideia clara do que gerará uma diferença significativa de acordo com seu status e contexto. A chave é que essa ruptura é congruente em todos os pontos de contato da marca e que esteja relacionada aos seus valores e ao seu DNA”, disse Ramirez.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top