É possível reeducar as finanças. Saiba como

A falta de educação financeira no Brasil não é segredo para ninguém. Dados da de uma pesquisa feita pelo Serasa Experian reforça a afirmativa. Segundo o estudo, mais de 62% dos brasileiros gastaram mais do que ganharam em 2018. Em decorrência dessa situação, o número de pessoas que buscam uma renda extra no Brasil cresceu no ano de 2018. Cerca de 23% buscou novas formas de inserção no mercado de trabalho, se tornando pessoas multitarefas.

Além do trabalho principal, um freela ou até mesmo uma venda pela internet se tornaram rotina na vida de grande parte da população. Em muitos casos, a tecnologia pode ser uma boa aliada quando se trata de buscar uma nova forma de ganhar dinheiro para acertar as contas, sem deixar de lado o trabalho principal.

“Atividades que possam ser exercidas pela internet, nas poucas horas noturnas disponíveis, e que não exijam interação ou atendimento ao público em tempo real são as melhores opções, como a venda de produtos on-line, ou qualquer outra atividade que possa ser executada nas poucas horas úteis do início da noite e fins de semana”, diz Jonatha Souza, consultor de finanças que atende pelo GetNinjas, maior plataforma de contratação do Brasil.

É importante também administrar a quantia do mês de acordo com as despesas pessoais para não haver confusão ao final do mês. Uma sugestão é que a renda fixa principal fique destinada às principais contas da residência como luz e água, por exemplo, e a extra pode ser a melhor solução para socorrer uma emergência, cobrir gastos imprevistos e até mesmo utilizar para as férias da família. Ser uma pessoa organizada e dedicada a controlar as finanças é essencial.

“Uma dica geral que posso passar para a organização pessoal é o registro. Os chefes da família, tendo uma segunda renda ou não, devem anotar e registrar religiosamente todos os gastos, todos os pagamentos, os valores das contas e faturas, seus vencimentos, e as datas em que foram pagas. Assim, em pouco tempo, eles passam a ter um domínio e conhecimento mais próximo de suas despesas. Geralmente eu recomendo o uso do Excel, que pode ser preenchido e editado com facilidade, utilizando uma aba para cada mês”, completa Jonatha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *