You are here
Home > Negócios > Consumo no cartão próprio cresce 32%, mesmo com queda no ticket médio do consumidor

Consumo no cartão próprio cresce 32%, mesmo com queda no ticket médio do consumidor

No primeiro semestre do ano, a DMCard manteve o ritmo acelerado em comparação ao que a empresa vem registando nos últimos anos. Os cartões private label administrados pela empresa totalizaram uma movimentação de R$ 814 milhões, o que significa um crescimento de 32% quando comparado ao montante gasto no mesmo período do ano anterior.

Em 2017, de acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) o segmento supermercadista em geral cresceu apenas 0,8%, período em que a DMCard cresceu 26%. E a previsão otimista para 2018 da mesma associação para todo o setor é um crescimento de apenas 3%, enquanto a DMCard estima que os gastos no private label devam crescer, no mínimo, 30%.

Os resultados da primeira metade de 2018 também trouxeram outros insights, como o aumento de 41% na frequência de compra pelo consumidor. Em contrapartida, o ticket médio registrou uma leve queda de -5,5%, passando de R$ 131,01, em 2017, para R$ 123,87. “Apesar da queda no ticket médio, os números são animadores para o varejista, já que comprovam um cliente mais racional na cesta de compras, contudo, mais fiel, fazendo mais visitas ao ponto de venda”, diz Tamaki Diretor Financeiro da DMCard. “Por isso, cada vez mais, o cartão de loja é uma ferramenta de fidelização do consumidor a uma loja ou rede do varejo, além de dar a ela um maior poder de compra”, completa Tamaki.

Crédito fácil e rápido

Outro fator que tem atraído cada vez mais o varejo a adotar seu cartão de crédito próprio e, consequentemente, seus consumidores a manifestarem interesse pelo formato, está no cenário econômico atual e no comportamento dos bancos. Atualmente, a DMCard aprova 42% das propostas recebidas.

“Como somos focados em um único negócio, cartões de loja, nossa equipe conseguiu montar modelos e processos muito sofisticados de análise de crédito, detecção de fraudes e aumento de limite. Com isso, conseguimos manter uma aprovação alta com limites condizentes à necessidade do consumidor, mesmo enfrentando um aumento na inadimplência. Apesar da piora, injetamos no mercado, só neste semestre,
R$ 107 milhões em limites aprovados, além de R$ 14,4 milhões em aumento de limite de contas existentes”, ressalta Tamaki.

Migração do consumidor final para o atacarejo continua

“Os números sugerem que a perda de poder aquisitivo e a migração de consumidores para o atacarejo continua. Por outro lado, em ambos formatos, nossos parceiros reportam que o ticket médio do cartão continua sendo cerca do dobro do ticket médio dos outros meios de pagamento”, explica Tamaki.

Este movimento é facilmente observado quando analisamos a queda do ticket médio por seguimento, em ambos, o valor gasto por compra caiu, contudo, no varejo comum a queda foi de -4%, enquanto no atacarejo, que pelo formato tem um valor médio por compra muito maior, foi de -10%.

“Mesmo atraindo cada vez mais a compra para abastecimento do lar, os números do valor movimentado nos cartões dos atacarejos reforça que o primeiro semestre foi um período de compras menores e mais frequentes”, conclui Tamaki.

Comportamento dos setores supermercadista e de private label

Como uma das líderes do mercado de private label e especialista no varejo de bens não duráveis, principalmente o supermercadista, os resultados financeiros da DMCard apresentam um recorte importante do comportamento promissor de todo o setor.

“A cada ano o private label cresce e se consolida como concorrente do cartão de crédito tradicional. O formato passa a ser considerado cada vez mais pelo consumidor e também pelo varejista, No primeiro semestre, dez novas redes passaram a emitir seu cartão próprio com a DMCard”, comenta o diretor Financeiro.

De qualquer forma, não se trata apenas de observar as oportunidades do cenário econômico. Os bons resultados da DMCard também são frutos de uma eficiente gestão, processos internos, cultura corporativa descontraída e foco na inovação. A empresa conta com cerca de 300 colaboradores apenas em sua sede, em São José dos Campos, e quase 700 espalhados por todo o país.

Todos os processos internos foram desenhados com foco no desenvolvimento e bem-estar dos colaboradores, um dos valores mais importantes para a empresa. “Acreditamos que um ambiente de trabalho saudável e harmonioso é muito importante para a vida pessoal e profissional de todos”, finaliza o Diretor Financeiro.

Além disso, as plataformas de tecnologia mais importantes foram desenvolvidas internamente, com exclusividade para atender as necessidades da DMCard e de seus colaboradores, como o CRM oferecido aos varejistas, o sistema de atendimento e até uma metodologia própria de análise de crédito.

Hoje, a DMCard é a única empresa do setor que possui o selo RA 1000 do Reclame Aqui.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top