You are here
Home > Finanças > Decisão da CVM é marco no cenário mundial de criptomoedas

Decisão da CVM é marco no cenário mundial de criptomoedas

A decisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), publicada nesta quarta-feira (19), permitindo o investimento de fundos em criptoativos no exterior é um marco no cenário mundial dos criptoativos. Essa é a opinião de Fernando Barrueco, advogado especializado em direito digital e diretor da Bomesp (Bolsa de Moedas virtuais Empresariais de São Paulo).

Fernando Barrueco explica que a determinação atual não veda o investimento indireto em criptoativos e isso será muito favorável para o mercado de criptomoedas. “O Brasil passará a ser considerado, a partir de agora, um país com alguma regulação na área das criptomoedas, atraindo investimentos e movimentando o setor, em nível mundial. É uma interpretação da legislação já existente pela CVM, uma autorização aos Fundos Nacionais”, justifica.

Ele lembra que, no mês de janeiro passado, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) proibia os Fundos de investirem em criptomoedas, pelo fato de não serem consideradas ativos financeiros. “A decisão atual surge como uma brecha para um tipo de investimento em criptoativos, e, nesse caso, trata-se de investimentos indiretos, que são, por exemplo, a aquisição de cotas de fundos de criptomoedas e derivativos, entre outros, mas, desde que admitidos e regulamentados naqueles mercados.”

Barrueco acrescenta que, em alguns países do Exterior, as criptomoedas estão em um ambiente regulatório mais avançado, e portanto, mais seguro e menos sujeito a riscos. “Por exemplo: fundos de criptomoedas no Exterior, em determinados países, são bastante estruturados, e, portanto, implicam maior segurança”, indica Barrueco. “Mas para esses investimentos dos fundos brasileiros em criptomoedas acontecerem, a nova circular exige vários procedimentos e responsabilidades dos gestores desses fundos”, diz Barrueco.

“É um ótimo começo para que os fundos nacionais, mesmo que de forma indireta, comecem a investir em criptomoedas e se preparem para possível legislação, que permita o investimento direto no Brasil”, completa o porta-voz da Bomesp.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top