You are here
Home > Sem categoria > Brasil atrai turistas para tratamentos ortopédicos e de medicina esportiva

Brasil atrai turistas para tratamentos ortopédicos e de medicina esportiva

Julia Lima.

Que o Brasil reúne inúmeras qualidades que são atrativos turísticos, todo mundo sabe. O que pouco é divulgado é que o país tem atraído turistas estrangeiros também por suas especialidades médicas e que a ortopedia é o tratamento mais procurado. Cerca de 72% dos compradores internacionais (grupo formado por seguradoras de saúde, corporações empregadoras e empresas facilitadoras e de concierge) enviam pacientes para procedimentos de ortopedia no país.

Segundo Julia Lima, presidente da Associação Brasileira de Turismo de Saúde (Abratus), a viagem médica não é mais uma novidade — é uma realidade global que ultrapassa os limites das fronteiras e se desenvolve rapidamente desde o fim da década de 1990. Atualmente há, por exemplo, um crescente número de americanos que buscam tratamentos no exterior; são cerca 3.64 milhões de pessoas que deixam o país todo ano à procura de algum tipo de procedimento de saúde ou estética.

No início, o turismo de saúde era mais focado em estética, beleza e bem-estar. Mas hoje uma grande porcentagem desses pacientes viaja também em busca de outros tratamentos, como os ortopédicos. “Os pacientes americanos buscam principalmente preços mais baixos, mas geralmente se surpreendem com os outros benefícios que descobrem durante a experiência. Além de uma redução de custos de até 75% no valor, eles encontram médicos qualificados e experientes (muitos estudaram nos EUA); hospitais equipados com tecnologia de ponta — a mesma do país de origem — e acomodações luxuosas”, explica Julia.

A medicina ortopédica e esportiva do Brasil já é conhecida mundialmente, e um dos motivos é que o Brasil sempre se destacou através do futebol e também por ser berço de craques que se sobressaem e rapidamente migram para os times europeus. Esse segmento abrange especialidades como Ortopedia/Traumatologia e Medicina Esportiva, essenciais para a recuperação de atleta ou pacientes. Muitos desses profissionais brasileiros possuem alta qualidade de conhecimento científico e notória experiência, tornando o Brasil reconhecido e considerado uma referência mundial devido à evolução nessa área de saúde. Isso é demonstrado pelo tempo recorde de reabilitação dos grandes craques tratados no país, que sofrem com as contusões propícias ao esporte.

“Mesmo com todo esse potencial médico e centros de reabilitação esportiva reconhecidos mundialmente, o Brasil não tem se aproveitado desse talento para trazer mais recursos financeiros ao país através do turismo de saúde”, lamenta a presidente da Abratus. Na Coreia do Sul há um bom exemplo sobre como potencializar o turismo médico: para atrair americanos, o Wooridul Spine Hospital oferece aos pacientes algumas vantagens raramente experimentadas nos Estados Unidos, como carro, enfermeira que fala Inglês, quartos de hospital que mais parecem acomodações de hotel de luxo, e muito cuidado e proximidade a atrações turísticas e compras para o processo de reabilitação. Em 2008, o hospital recebeu mil pacientes estrangeiros (1/3 de cidadãos EUA) e um milhão em receita.

“Para alavancar o Brasil como destino de saúde, a Abratus está executando um plano – a longo prazo – para aperfeiçoar a conexão entre os prestadores acreditados de serviços, governo, agentes de promoção, facilitadores e o trade de turismo, que não relacionam todas as atividades econômicas entrelaçadas na construção de serviços. Com essa junção de comunicação, vamos formar a imagem de um destino apropriado de turismo de saúde internacional. Estamos abertos a orientar os prestadores de serviço deste setor sobre a forma mais saudável e lucrativa de investir na área. Neste momento alinhamos estratégias com executivos de alto desempenho do segmento para o Congresso Mundial de Turismo Médico, em Orlando (outubro/2018) e estamos lançando a maior plataforma de concierge de saúde e turismo das Américas”, conta Julia Lima.

O Brasil tem tudo para seguir a tendência do turismo médico global, que impulsionado pela economia, demografia, globalização e tecnologia, tende a crescer cada vez mais. Para se ter uma ideia de como isso vai acontecer, podemos exemplificar com a população idosa que tem crescido no mundo inteiro — só nos Estados Unidos, 13 mil pessoas por dia atingem os 60 anos de idade e estão à procura de procedimentos médicos de alta qualidade a preços acessíveis.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top