You are here
Home > Finanças > Empresas precisam investir em educação sobre saúde para equilibrar custos

Empresas precisam investir em educação sobre saúde para equilibrar custos

Para reduzir os custos com assistência em saúde, empresas, operadoras, médicos e beneficiários precisam trabalhar em conjunto. O uso racional dos serviços impacta não só no valor dos reajustes, mas também na efetividade do tratamento. Investir em orientação e em uma rede de acesso de qualidade, e não em regulação do uso do plano, pode ser a solução mais adequada para equilibrar a conta entre os custos para a empresa e a qualidade de vida dos funcionários. Nesse cenário, a atuação do médico do trabalho é fundamental.

“A lógica hoje é muito invertida. O usuário entende que tem que usar o plano de saúde porque tem disponível, a companhia paga a conta sem uma orientação mais direcionada e ainda temos a ANS (Agência Nacional de Saúde) regulando todo o processo. Por isso, entendo que as empresas têm esse papel social de educar, para que o sistema seja sustentável”, explica a especialista em medicina do trabalho e gerente de saúde do Grupo O Boticário, Renata Simioni (foto).

Educação em saúde, no entanto, não significa negar exames e consultas, por exemplo. “É uma linha tênue entre a orientação e de fato a regulação pela companhia. Na lógica de regulação, a empresa só diz que o usuário não pode fazer. É diferente quando a empresa olha para o usuário e oferece opções melhores. É preciso chegar com informações consistentes, uma rede de acesso de qualidade e ferramentas que o ajudem a tomar a decisão da forma mais assertiva possível”, completa Renata.

Para que isso seja possível, a atuação do médico do trabalho e da própria operadora de saúde junto à empresa contratante é essencial. As companhias precisam estar cientes de toda a estrutura disponível para seus funcionários para conseguir fazer a correta orientação. Em busca desse objetivo, a Paraná Clínicas promove regularmente eventos de relacionamento com as empresas clientes para apresentação do Programa Priori e outras iniciativas de prevenção e tratamento.

“É um diferencial de relacionamento com o cliente, uma maneira de estar cada vez mais próximo e compartilhar ideias de inovação e as tendências do mercado de benefícios de saúde”, explica o diretor de relacionamento empresarial da Paraná Clínicas, Carlos Mortean. Segundo ele, o Priori – iniciativa de prevenção e qualidade de vida com 11 serviços específicos para o combate a doenças crônicas, obesidade e tabagismo, por exemplo – é uma das principais ferramentas voltadas para a gestão da assistência.

“O Priori tem como objetivo prestar atendimento hierarquizado, para que as pessoas que realmente precisam saibam onde e como procurar assistência especializada. O Programa tem contribuído bastante para que as empresas ganhem eficiência e melhorem a relação de custo-benefício dentro da gestão de saúde, por isso investimos nos eventos de relacionamento e enfatizamos a existência desses serviços”, completa Mortean.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top