You are here
Home > Finanças > Feirão de seminovos: O que levar em conta na hora de comprar ou vender

Feirão de seminovos: O que levar em conta na hora de comprar ou vender

Comprar ou vender um seminovo em feirões é uma prática muito comum, mas será que vale a pena? Para tirar as principais dúvidas sobre o assunto, Maurício Feldman, sócio-fundador da Volanty, plataforma online que conecta vendedores e compradores de carros seminovos, conta um pouco sobre esse tipo de evento e o que levar em consideração ao comprar ou vender um automóvel nesses locais.

De acordo com Feldman, em feirões há uma grande variedade de modelos disponíveis e, caso tenham parcerias com bancos, ainda há outros benefícios como taxas de juros mais baixas, facilidades na hora do pagamento e a aquisição de um seguro no ato da compra. “Além disso, grande parte dos proprietários dos carros estão presentes, o que facilita na hora de tirar dúvidas e pedir informações sobre o veículo em questão” explica.

O empreendedor também conta que apesar de popular, esse tipo de prática tem vantagens e desvantagens. “É preciso tomar alguns cuidados ao analisar veículos em feirões e comparar os preços. Apesar do baixo custo e da possibilidade de comprar modelos novos ou usados com até 100% de financiamento, além de ter IPVA grátis, nesses locais só é possível ver o carro externamente. Desse modo o comprador assume o risco de adquirir um veículo que pode ter defeitos cujo conserto pode se equiparar ao preço economizado”, alerta Maurício.

A dica do fundador da Volanty, é levar sempre um mecânico junto que possa averiguar as condições do veículo antes de comprá-lo. Além disso, também é preciso ficar atento, pois nesses eventos alguns modelos podem ter sido inflacionados antes, ou seja, na semana anterior o valor do carro sofre um aumento, o que provoca a impressão de que o desconto aplicado do feirão é maior, quando na verdade não é.

Outro ponto negativo é que nem sempre é possível verificar o histórico do carro. É preciso tentar buscar esse tipo de informação com a organização do feirão ou com o próprio comprador. Assim, é possível evitar transtornos. “Para quem está interessado na venda pode não ser tão vantajoso comercializar o veículo em uma feira, pois as pessoas estarão mais dispostas a barganhar. Com isso, talvez você não consiga vendê-lo por um bom valor”, conta Feldman.

É importante também conferir toda a documentação do veículo para que não ocorram problemas na hora de fazer a transferência do proprietário, além de verificar se o evento e o local são regulamentados. É possível fazer isso por meio das redes sociais, acompanhando comentários de quem já comprou ou vendeu no local.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
http://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top