Pesquisa aponta que brasileiros não sabem comprar

comprasO brasileiro não sabe fazer compras! Isso pelo menos é o que mostra pesquisa recente do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), na qual 47% dos entrevistados admitiram terem comprado produtos que sequer chegaram a usar. A mesma pesquisa também apontou que 59% dos participantes admitiram ter comprado um produto sem analisar as condições financeiras, apenas pensando que o merece. “Esses dados demonstram a falta de planejamento e de educação financeira da população, as pessoas não estabelecem prioridades e gastam por impulso, e o resultado disso na maioria das vezes é o endividamento que com o tempo se torna inadimplência, assim temos que mudar nossa forma de comprar”, explica o presidente da DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos, autor do best seller Terapia Financeira (Editora DSOP).

“Muito se fala em sustentabilidade, consumo consciente, responsabilidade social. Embora venha sendo atribuído a esses conceitos uma dimensão muito mais complexa, na essência eles estão imbuídos do sentido de cuidar para assegurar uma condição melhor para se viver. Então, ensinar as pessoas a administrarem seus próprios recursos e comprarem adequadamente contribui para que elas tomem consciência de que é necessário cuidar bem do que se tem para viver melhor agora e no futuro”, explica Domingos.

Por isso, para o presidente da DSOP, antes de comprar é preciso priorizar primeiramente as compras à vista e fazer perguntas fundamentais:

– Eu realmente preciso desse produto?
– O que ele vai trazer de benefício para a minha vida?
– Se eu não comprar isso hoje, o que acontecerá?
– Estou comprando por necessidade real ou movido por outro sentimento, como carência ou baixa autoestima?
– Estou comprando por mim ou influenciado por outra pessoa ou por propaganda sedutora?

Se mesmo diante deste questionamento, a pessoa concluir que realmente precisa comprar o produto, Reinaldo Domingos explica que seria prudente fazer mais algumas perguntas como:

– De quanto eu disponho efetivamente para gastar?
– Tenho o dinheiro para comprar à vista?
– Precisarei comprar a prazo e pagar juros?
– Tenho o valor referente a uma parcela, mas o terei daqui a três, seis ou doze meses?
– Preciso do modelo mais sofisticado, ou um básico, mais em conta, atenderia perfeitamente à minha necessidade?

Além destas perguntas, antes de comprar também é fundamental pesquisar preço e comprar à vista. Tudo que se compra em prestações paga-se mais caro. Já quem pesquisa o melhor preço paga menos e aumenta a chance de comprar à vista e obter desconto.

“Outro ponto importante é deixar a vergonha de lado e pedir desconto. Se um produto custa mil reais e pode ser parcelado em 10 vezes de 100 reais, certamente à vista custará de 10% a 20% menos”, explica o autor do livro Terapia Financeira.

Com essas reflexões e ações serão reduzidos consideravelmente os gastos desnecessários e o mais importante, se abrirá caminho para a realização dos sonhos que realmente são importantes.

Gestão profissional garante longevidade de empresa familiar

Carlos Contar: "As empresas familiares ganham cada vez mais força".
Carlos Contar: “As empresas familiares ganham cada vez mais força”.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que de cada 100 empresas familiares no Brasil, apenas cinco chegam à terceira geração de administradores. A pesquisa é de 2011 e expõe uma necessidade cada vez mais importante nas organizações familiares : a profissionalização da gestão da empresa para sua própria sobrevivência e crescimento. A demanda por uma administração mais profissionalizada é sinal dos tempos, alerta Carlos Contar, diretor regional da Business Partners Consulting.  “As empresas familiares foram ganhando mais espaço e visibilidade a partir dos anos 90. E agora estão em busca de expansão. Esse fator de estar sempre em expansão gerou a necessidade de se ter profissionais que tenham práticas mais apuradas de gestão, já que muitas vezes esse tipo de expertise não está dentro da família que controla o negócio”, explica Contar.

A profissionalização tem vantagens e deve ser encarada como um investimento no negócio familiar. Com o novo profissional vindo de empresas com boa governança e práticas operacionais, a empresa amplia seu conhecimento de mercado para futuras estratégias, além de contar com a experiência que ele teve em outras organizações.

O profissional também sai ganhando. “Em uma empresa menor ele poderá ter mais flexibilidade para trabalhar na implementação de projetos, como maior poder de tomada de decisão e nível maior de visibilidade dentro da organização pelos resultados”, exemplifica Contar.  “Para os dois lados é interessante. É um movimento que está sendo bastante observado aqui e no exterior, de profissionais oriundos de grandes empresas para trabalhar em outras menores, conseguindo uma carreira com novas realizações.”

Diante da facilidade de acesso à tecnologia para auxiliar na gestão, o executivo que ingressar na gestão de uma empresa familiar tem outro aliado. Segundo Contar, a tecnologia de informação e metodologias de processos e controles estão mais acessíveis às empresas de todos os tamanhos, facilitando a vida do profissional na administração da empresa.

Crédito da foto – Diego Pisante

Como elaborar um bom currículo e garantir uma vaga de trabalho

curriculoPara garantir uma boa vaga no mercado de trabalho é preciso estar preparado e, principalmente, contar com o apoio de um currículo eficiente. A diretora comercial da Talent Group, Vânia Cozzolino, dá algumas dicas de como montar um currículo infalível. Confira:

1. Na metade da primeira página do currículo cite suas principais conquistas e melhores habilidades. Essa tática faz com que o recrutador veja de cara as informações mais importantes. O início do currículo, inclua apenas seu nome, endereço (pode limitar-se a colocar Bairro, Cidade e Estado), telefones para contato (residencial e celular) e e-mail profissional (nada de gatinho@querovc.com.br). Dispense informações desnecessárias para avaliação de seu perfil profissional, tais como: RG, CPF, Carteira de Trabalho e número de filhos.

2. Seja claro quanto ao objetivo do seu currículo. De nada adianta relatar toda a sua experiência na área financeira se está pleiteando uma vaga no setor de saúde de uma empresa. Não coloque histórico profissional de início de carreira que não tenha relação com o objetivo de seu currículo. Por exemplo: se você busca uma colocação como Gerente de Sistemas, não precisa registrar seu primeiro emprego de office-boy ou como atendente de banco. Deixe esse histórico para ser relatado durante entrevista, caso o recrutador entre nesse mérito. É importante que as experiências profissionais sejam descritas seguindo uma ordem cronológica, sendo que, na apresentação de um currículo, o correto é registrar da experiência atual para a mais antiga.

3. Nunca minta. Essa é a mais importante regra para a elaboração de um currículo. A vida é plena de erros e acertos, portanto, simplesmente seja honesto. Bons recrutadores costumam checar certas informações sobre cursos, certificações, idiomas e atividades realizadas.

4. Nada de autobiografia. Quando um currículo tem mais de duas páginas, o recrutador entende que o candidato não foi capaz de priorizar as informações mais importantes. Faça parágrafos curtos, com cerca de duas linhas cada, e não use abreviaturas ou códigos. Isso, com certeza, prejudicará a compreensão do recrutador.

5. Cuidado com os erros de ortografia e gramática. Além da praga contemporânea do gerundismo (“estarei realizando”), as concordâncias nominais e verbais são erros comuns até mesmo para candidatos de nível gerencial. Erros dos dois tipos costumam ser fatais, especialmente para quem quer atuar em grandes empresas.

6. Não mostre “resultados alcançados” sem objetividade. Citações como: “responsável pela redução dos custos …” , “melhoria da qualidade nos processos….”, “responsável pela maximização dos resultados …” são frases feitas que não impressionam ninguém. Se você quer apresentar resultados demonstre fatos quantitativos e, principalmente, reais.

7. Nada de carros alegóricos. Exageros na formatação e layout comprometem a avaliação. Fuja dos papéis perfumados ou coloridos. Não há necessidade de anexar foto ao currículo, a não ser que esteja se candidatando a uma vaga de modelo.

8. Não use assinatura digital. Como você está enviando o documento, subentende-se que tem ciência das informações nele inseridas. Também não coloque data de emissão no currículo, para evitar que ele pareça velho.

9. Não registre em seu currículo seus hobbies ou atividades que gosta de fazer nas horas de lazer e jamais coloque sua pretensão salarial ou os benefícios que gostaria de receber da futura contratante. Deixe esse tipo de informação para ser discutida no momento oportuno, durante a entrevista.

10. Não é aconselhável citar contatos de antigos gerentes como referências. Ninguém gosta de ser incomodado sem ser avisado previamente. Deixe para passar esses contatos quando isso for solicitado. E não se esqueça de avisar quem você indicou, informando que que a pessoa poderá ser contatada por alguma empresa de recrutamento que busca referências sobre você.

Seguindo essas dicas simples é possível criar um currículo objetivo e direcionado para a vaga que você deseja. Também vale lembrar que os recrutadores concentram sua análise aos currículos recebidos em função de publicação de vagas, entao mesmo que você já tenha enviado o currículo para um cargo e surgir uma vaga para outra vaga na mesma empresa, você é de bom tom reenviar o currículo.

Telefônica Vivo lança Firefox OS no Brasil

firefoxA Telefônica Vivo anunciou nesta terça-feira (22) o lançamento do sistema operacional Firefox OS no Brasil nos celulares LG Fireweb e Alcatel Onetouch Fire.  Já disponível na Espanha, Colômbia e Venezuela, o sistema é resultado de dois anos de desenvolvimento da Telefónica Digital em conjunto com a Fundação Mozilla. Além do Brasil, outros três países latino-americanos lançam dispositivos com o Firefox OS nos próximos dias: Peru, Uruguai e México. O lançamento do Firefox OS no Brasil é um marco para a indústria móvel do país, pois aumenta a quantidade de opções de modelos de aparelhos inteligentes (smartphones) a preços acessíveis e com um sistema operacional baseado em código fonte aberto. O acontecimento também marca o primeiro lançamento mundial de um celular LG com o sistema Firefox OS.

Sistemas realmente abertos como o Firefox OS liberam os desenvolvedores das limitações dos ecossistemas existentes, mediante o uso da web como plataforma de acesso a todas as funcionalidades e aplicações. Sua concepção e construção com código aberto também permite uma constante e rápida evolução do sistema através do trabalho colaborativo com a Fundação Mozilla.

Para o presidente da Telefônica Vivo, Antonio Carlos Valente, o Firefox OS se converte numa opção relevante para o mercado de smartphones, hoje dominado por sistemas operacionais controlados por grandes empresas internacionais. “Pretendemos oferecer uma experiência totalmente nova ao cliente, a preços acessíveis e onde as funcionalidades e a evolução do sistema serão definidas pela imensa comunidade desenvolvedora do Firefox OS e não por alguma empresa em particular”, afirma o executivo.

Jay Sullivan, COO da Mozilla, afirma: “Nós construímos o Firefox OS como parte da missão da Mozilla de colocar o poder da web nas mãos das pessoas e oferecer a melhor experiência possível. Estamos felizes em ver o Firefox OS ganhar impulso com parceiros lançando novos dispositivos em novos mercados e desenvolvedores ao redor do mundo sendo inspirados para inovar. Nossa parceria com a Telefônica Vivo demonstra, de maneira rica, que novas experiências podem ser oferecidas pelo Firefox OS combinando o melhor do conteúdo global e local, com a elegância do novo device da LG”.
O sistema oferece ao cliente tudo o que necessita de um telefone inteligente, além de uma revolucionária capacidade de busca, que localiza na internet as aplicações e serviços relacionados ao tema pesquisado, muito além dos conteúdos puros localizados pelos buscadores tradicionais. O Firefox OS traz uma interface simples e intuitiva, além de um aplicativo de controle de gastos e redes sociais integradas. O sistema é ainda mais “leve” que os atuais, o que permite que seja executado em hardwares mais simples.

O cliente pode se beneficiar de um fácil acesso a aplicativos globais e locais dentro do Marketplace do Firefox. Entre as empresas globais de conteúdo que apoiam o Firefox OS encontram-se o eBay, Wikipedia,  The Weather Channel, TIME, Fox Sports , AOL,  CNNMoney, Huffington Post, Badoo, KAYAK, TMZ,SoundCloude Tuenti.

No Brasil, a loja do Firefox OS já tem mais de 50 aplicativos nacionais de diversas categorias desenvolvidos para a plataforma. Entre os apps nacionais, estão UOL, BOL, Editora Globo, SporTV, Dieta e Saúde, Kekanto, Galinha Pintadinha, Vivo meu App e Vivo Chat. O resultado é fruto do trabalho realizado pelo Centro de Inovação da Telefônica há um ano e meio para incentivar o desenvolvimento do ecossistema do Firefox OS no país. Ao longo desse período, o Centro realizou hackatons, participou de palestras e seminários sobre Firefox OS, e promoveu eventos com uma comunidade de mais de 1.400 desenvolvedores, a fim de disseminar no mercado as práticas do novo sistema operacional.

Os dois modelos de celulares já à venda oferecem todas as capacidades de um telefone inteligente, incluindo mensagens, correio eletrônico, calendário, rádio FM, câmara com filtros incorporados, serviços de localização baseados nos mapas do HERE e na navegação através do Firefox Web.

O LG Fireweb conta com uma tela tátil HVGA TFT de 4 polegadas e tem um processador Qualcomm 3G de 1 GHz, e 2 GBytes de memória interna. Também conta com uma câmara de 5 megapixels.

OAlcatel Onetouch Fire dispõe de um display de 3,5 polegadas,  câmera de 3,2 megapixels,  processador Qualcomm 3G de 1 GHz, e cartão de memória de 2 GBytes.

Lexmark compra Pacsgear por US$ 54 milhões

A Lexmark International anunciou a aquisição da Pacsgear, empresa líder em fornecimento de soluções de conectividade para que os profissionais da área de saúde possam capturar, gerenciar e compartilhar imagens médicas e documentos. O intuito é integrá-los a sistemas de arquivamento e comunicação (PACS) e de registros médicos eletrônicos (EMRs) já existentes. O valor pago pela Lexmark por essa aquisição foi de aproximadamente US$ 54 milhões.

Com este negócio, a Perceptive Software, empresa de software independente da Lexmark, amplia seu portfólio e passa a oferecer uma solução completa de vendor-neutral, plataforma de conteúdo clínico de padrão básico para capturar, gerenciar, acessar e compartilhar informações de imagens de pacientes, além de documentos relacionados dentro dos estabelecimentos de saúde através de um EMR e entre estabelecimentos.

As soluções da Pacsgear capturam, gerenciam e integram documentos, filmes e vídeos, luzes visíveis e outras imagens de qualquer departamento com quaisquer PACs ou EMRs. Os profissionais de saúde em especialidades como radiologia, cardiologia e ortopedia podem se conectar, visualizar e compartilhar imagens médicas do paciente, além de analisar os resultados para melhorar o atendimento ao paciente e permitir uma melhor troca de informações de saúde.

A sinergia entre as soluções de gestão de conteúdo existentes na área de saúde da Perceptive Software e as soluções de fluxo de trabalho e plataforma de vendor-neutral archive (VNA) da Pacsgear permitirá o acesso universal a imagens de pacientes, registros e informações dentro e entre instituições de saúde.

Com atuação global, a Pacsgear tem fornecido soluções para mais de 50 países e cerca de metade de todos os hospitais norte-americanos. Entre seus clientes mais conhecidos estão Kaiser Permanente, Henry Ford Health System, Hospital Corporation of America (HCA), Mount Sinai Hospital, Stanford Hospital & Clinics e The University of Chicago Medical Center.

A aquisição da Pacsgear é mais um passo da consistente estrutura de alocação de capital da Lexmark, que visa buscar aquisições que apoiem seu crescimento e aumento de recursos de software e soluções, enquanto devolve mais de 50% do fluxo de caixa livre para os acionistas, em média, através de dividendos trimestrais e recompras de ações. Desde meados de 2011, a Lexmark devolveu aos acionistas mais de US$ 600 milhões na forma de dividendos e recompras de ações.