Consumidor deve ter cuidado com propagandas que prometem limpar nome sem negociação ou pagamento da dívida

Os caminhos fáceis apresentados para solucionar a falta de crédito provocada por dívidas não pagas em propagandas recorrentes, na maioria das vezes, são atalhos que levam o consumidor inadimplente a ter seu problema redobrado: além de continuar devendo, ele terá jogado dinheiro fora ao pagar para empresas golpistas e estelionatários que prometem soluções mágicas. Na internet, por exemplo, é fácil encontrar sites que vendem manuais, kits e CDs com “informações” sobre como tirar uma anotação de inadimplência sem pagar a dívida, muitas vezes com métodos ilegais. Em média, o consumidor desembolsa de R$ 20 a R$ 50 para obter as “dicas”.

Há ainda casos de empresas que se oferecem como intermediárias para a renegociação da dívida, cobrando do consumidor pelos serviços e outras taxas, o que aumenta o valor da dívida, mas depois desaparecem sem fazer a quitação do débito. Às vezes, o cliente ainda é orientado a fazer um depósito prévio, para assegurar o pagamento do serviço. Ao perceber o golpe, não resta muito a fazer – a maioria das empresas não tem endereço físico e faz todo o atendimento pelo telefone. “Essas promessas são formas de enganar o consumidor. Não existe fórmula mágica para ter a anotação da dívida cancelada sem que ela seja renegociada ou paga”, alerta Silvânio Covas, diretor jurídico da Serasa Experian.

Mas a melhor opção para regularizar uma pendência financeira é procurar diretamente a empresa credora ou obter informações em um dos Postos de Atendimento Gratuito ao Consumidor da Serasa Experian, evitando intermediários. “O próprio consumidor pode procurar diretamente o credor ou buscar os serviços da Serasa Experian e se informar sobre os procedimentos para quitar a dívida. É mais prático, gratuito e seguro, pois o consumidor terá a certeza de que o débito será pago e a anotação de inadimplência será retirada dos órgãos de proteção ao crédito”, afirma Maria Zanforlin, Superintendente de Serviços ao Consumidor da Serasa Experian.
A orientação da Serasa Experian para quem tem dívidas em atraso é sempre tentar um acordo com os credores. Pelo Código de Defesa do Consumidor, ao ter uma dívida renegociada, a pessoa já pode ter o seu nome retirado dos bancos de dados de anotações de inadimplemento, pois ela continua a ser devedora, mas não é mais inadimplente.

O Serviço de Atendimento ao Consumidor da Serasa Experian permite consultar gratuitamente o CPF do próprio interessado, realizar serviços de atualização cadastral, esclarecer dúvidas e receber a orientação necessária para a regularização de pendências financeiras e o cancelamento de anotações de inadimplência (pessoas naturais ou jurídicas).

Confira as situações que geram anotação na Serasa Experian:

Cheques sem Fundos – Banco Central
Se o consumidor emitir um cheque sem fundos e este for devolvido duas vezes pelo Banco, seu nome passará a fazer parte do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos – CCF, do Banco Central. O dado será repassado para a Serasa Experian, e será disponibilizado às empresas e instituições que concedem crédito, na maioria dos casos por meio de vendas a prazo.

Protesto de Título
Se, por qualquer motivo, o consumidor tiver uma dívida protestada em cartório pelo credor, este fato será comunicado pelo Cartório de Protestos à Serasa Experian, que armazenará a informação em seu Banco de Dados e a disponibilizará às empresas e instituições que concedem crédito.

Ação Judicial – Execução de Título Judicial e Extrajudicial, Busca e Apreensão de Bens, Falência, Recuperação Judicial e Extrajudicial
Se o consumidor for réu em uma execução judicial de dívida ou ação de busca e apreensão de bens ou, ainda, se a empresa na qual tiver participação societária estiver em processo de concordata, recuperação judicial ou extrajudicial ou tiver a sua falência requerida, a informação será disponibilizada às empresas e instituições que concedem crédito.

Dívida Vencida e não paga
O consumidor com uma dívida inexistente e vencida -, ao ter seus dados cadastrados nos computadores da Serasa Experian, será comunicado por carta, na qual será identificada a instituição ou empresa credora e o valor do débito.

Ação de Execução Fiscal Federal, Estadual ou Municipal
Se o consumidor tiver alguma dívida com um órgão federal, estadual ou municipal, porque deixou de pagar impostos, taxas ou contribuições, esta anotação também irá constar no Banco de Dados da Serasa Experian e será disponibilizada às empresas e instituições que concedem crédito.

Orientação para regularizar dívidas
Anotação de Cheques sem Fundos CCF – Banco Central
1. Procure a Agência do Banco indicado como apresentante da ocorrência de cheque sem fundos.
2. Solicite ao banco as informações sobre o número, valor e data do cheque que foi apresentado por duas vezes, sem que houvesse saldo na conta corrente para pagamento.
3. Em seguida, verifique nos canhotos de cheques em seu poder para quem foi emitido o cheque. Procure a pessoa ou a empresa, a fim de regularizar o débito e recuperar o cheque.
4. De posse do cheque, prepare uma carta, conforme a orientação do gerente da sua conta bancária que informou a ocorrência de cheque sem fundos. Junte o original do cheque recuperado, recolha no Banco as taxas pela devolução do cheque e protocole uma cópia dos documentos entregues ao Banco para regularização no Banco Central.
5. Para a regularização no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos – CCF, o correntista deve acompanhar e obter o protocolo da comunicação de regularização do seu Banco para o Banco do Brasil, encarregado pelo Banco Central de processar a atualização do arquivo de CCF.
6. A regularização de cheques sem fundos ocorrerá automaticamente após o Banco do Brasil enviar o comando específico para a Serasa Experian, por meios magnéticos.

Anotação de Título Protestado
1. Dirija-se ao cartório que registrou o protesto, a fim de obter os dados de quem o protestou.
2. Comunique-se com quem o protestou, regularize o débito e peça uma carta indicando que a dívida foi regularizada.
3. Reconheça a firma da pessoa/empresa, retorne ao cartório onde consta o registro do protesto e solicite a sua exclusão.
4. Após o cancelamento do protesto, o cartório repassará a informação para a Serasa Experian para que seja excluída a anotação.
5. Para agilizar a exclusão, o consumidor pode entregar a certidão negativa do cartório na Serasa Experian para o cancelamento da anotação.

Anotação de Ação Judicial – Execução de Título Judicial e Extrajudicial, Busca e Apreensão de Bens, Falência, Recuperação Judicial e Extrajudicial
1. Para a baixa desse tipo de anotação, encaminhe a comprovação da extinção da dívida ou da suspensão de sua exigibilidade, por meio de Certidão de Extinção do Processo ou Certidão de Objeto e Pé para a Serasa Experian.
Na hipótese de apresentação de embargos à execução e/ou apresentação de garantia da dívida, tal informação poderá ser anotada complementarmente no banco de dados, bastando a apresentação de documentos comprobatórios para a Serasa Experian.

Anotação de Dívida Vencida e não Paga

1. Para a regularização desse tipo de anotação, o consumidor deve procurar a instituição ou a empresa credora, que enviará comando específico para a Serasa Experian excluir a anotação.

Ação de Execução Fiscal Federal, Estadual ou Municipal

1. Para regularizar uma anotação de Ação de Execução Fiscal Federal, Estadual ou Municipal, basta apresentar a certidão negativa de débito da Justiça Federal ou Estadual ou entregar um documento que comprove a extinção de dívida ou a suspensão de sua exigibilidade (Certidão de Extinção do Processo ou Certidão de Objeto e Pé).
Prazo para a Regularização das Dívidas na Serasa Experian
Após a entrega do documento necessário para a baixa da anotação, diretamente na Serasa Experian, o prazo para a exclusão da informação no sistema é de, no máximo, dez dias, conforme a lei do Habeas Data (Lei n.º 9.507/97).

 

Indústria de materiais não está otimista para abril e maio

materiais de construçãoO termômetro da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) aponta que 47% das indústrias considerou como muito bom ou bom o desempenho das vendas internas do mês anterior (março). No período atual (abril) 50% dos associados qualificaram como regular, enquanto 42% classificaram como bom. Para o mês de maio a perspectiva de vendas são um pouco melhores onde 50% das empresas consideram as vendas boas e muito boas e 48% regulares.

Para Walter Cover, presidente da Abramat as empresas não estão muito otimistas com o mercado em função de uma retração das vendas no varejo e recuperação muito lenta das vendas no segmento imobiliário e da infraestrutura. Os juros mais altos do crédito para as famílias e a retração da economia como um todo afetam negativamente os planos de reforma das moradias.

O termômetro de abril também aponta retração na intenção de investimentos. 68% das empresas associadas à Abramat informaram que pretendem investir ao longo dos próximos 12 meses. O número é 3p.p. menor que o apresentado em março de 2014 e também no mesmo período de 2013.

Com relação às expectativas do mercado sobre as ações do Governo para o desenvolvimento do setor no médio prazo (próximos 12 meses), os números também apresentam retração. Em abril 15% dos associados têm boas expectativas nas ações do Governo. O numero é 3p.p. menor do que a média estabelecida em março. 65% das empresas entrevistadas mantem-se indiferentes quanto às ações do Governo e 20% são pessimistas.

Fenacon defende universalização do Simples e fim da substituição tributária para Micro e Pequenas Empresas

Está marcada para esta terça-feira (29), a votação do projeto que atualiza a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. A data foi definida durante debate no plenário da Comissão Geral da Casa, que ocorreu no dia 9 de abril. Entre os destaques do Projeto de Lei Complementar 221/12, que atualiza a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei Complementar 123/06), mais conhecida como Super Simples, está a Universalização do Simples e o fim da Substituição Tributária para as Micro e Pequenas Empresas (MPEs).

“Com a universalização teremos o enquadramento das empresas no Simples pelo faturamento e não pela área de atividade em que atua e com o fim da substituição tributária, as empresas enquadradas nesse regime deixarão de ser bitributadas. Se aprovada, a expectativa é que a proposta permita a inclusão de 500 mil novas micro ou pequenas empresas no Super Simples”, destaca o presidente da Fenacon, Mario Berti.

Ainda segundo Berti, as atualizações previstas criam condições de competição mais justa as MPEs que faturam até R$ 3,6 milhões por ano. O PLP foi aprovado no final do ano passado pela Comissão Especial que analisou o Projeto e deve ser votado ainda nesse semestre pelo Plenário para que as mudanças comecem a vigorar ano que vem.

Sebrae orienta empresários de Curitiba sobre atendimento a turistas durante a Copa

Copa-do-Mundo-2014-CuritibaCuritiba deve receber 508 mil turistas em junho deste ano, em função da Copa do Mundo. O número corresponde ao dobro da média mensal de visitantes e significa uma oportunidade de ‘ouro’ para os empresários locais. Para garantir o aproveitamento pleno dessa demanda, o Sebrae/PR realiza, nesta terça-feira (29), o 3º Papo de Negócios em 60 minutos – Oportunidades para o Comércio na Copa do Mundo Fifa 2014. O evento será realizado no auditório do Sebrae/PR, a partir das 19h30, e é voltado para empresários de micro e pequenas empresas de hotéis, restaurantes e lojas. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo telefone 0800 570 0800.

Os participantes poderão acompanhar a palestra ministrada pelo consultor empresarial, Adilson Santos. Ele vai abordar o perfil dos turistas que visitarão Curitiba, os aspectos que influenciam a decisão de compra e fará recomendações para um melhor relacionamento com os clientes e turistas.

A consultora do Sebrae/PR, Walderes Bello, conta que, como base para a explanação, será utilizada uma pesquisa encomendada pelo Sebrae Nacional no ano passado e que foi realizada nas cidades-sedes da Copa das Confederações. O levantamento apontou as principais dificuldades encontradas pelos turistas que visitaram o Brasil. “O estudo foi realizado nas cidades que sediaram a competição e revela os pontos fracos apontados pelos visitantes, no que diz respeito ao atendimento recebido em hotéis, restaurantes, comércio e pontos turísticos, por exemplo. Vamos munir os empresários com essas informações para não repetir os problemas e garantir o lucro do comércio local com o mundial”, destaca a consultora.

Entre os pontos fracos identificados no estudo estão falhas na comunicação devido à dificuldade de compreensão de outras línguas e deficiência na informação em pontos turísticos. Walderes Bello afirma que ainda dá tempo de resolver essas questões. “Vamos propor aos empresários boas alternativas para sanar essas limitações, que podem prejudicar o faturamento no período do Mundial”, ressalva.

No final da palestra, haverá tempo para os empresários fazerem perguntas ao consultor-palestrante. “É um período muito importante e queremos que os empresários de Curitiba estejam preparados para aproveitar ao máximo as oportunidades geradas pela demanda de turistas na cidade”, finaliza Walderes Bello.

O Sebrae/PR em Curitiba fica na Rua Caeté, nº 150, no Bairro Prado Velho. O 3º Papo de Negócios em 60 minutos – Oportunidades para o Comércio na Copa do Mundo Fifa 2014 começa às 19h30.

Oficina de serigrafia é uma boa opção de negócio para quem é criativo e tem pouco dinheiro para empreender

serigrafiaEmbora a serigrafia tradicional tenha sofrido um grande impacto devido às novas tecnologias de impressão digital, este procedimento hoje é relativamente barato em relação a outros processos. E é amplamente utilizado na impressão de vários objetos, sendo uma boa opção de negócio para quem tem criatividade e vontade de empreender.

No passado quem abria uma Oficina de Serigrafia somente pensava em transferir imagens e textos para um suporte de impressão. Hoje, significa participar de um mercado mais amplo, interagindo com setores mais técnicos e valorizados da área gráfica como a Comunicação Visual.

Atualmente, não se abre mais uma Oficina de Serigrafia somente com a perspectiva de “serigrafar” tradicionalmente, mas sim pensando em ter um espaço onde a tradição serigráfica interage com métodos e processos de tecnologias modernas, como a Imagem Digital. Ou seja, no mundo de hoje uma peça impressa digitalmente pode ter acabamento utilizando vários processos, inclusive a serigrafia.

Quem pretende entrar neste ramo, deve estar consciente que vai entrar num mercado bastante concorrido. Neste sentido, o setor tem buscado a diferenciação por meio de variados tipos de tintas, formatos, design e, principalmente, qualidade do produto final. Já os equipamentos, insumos e materiais utilizados pelas empresas são todos fabricados no Brasil.

Quanto à localização, no início das atividades, como forma de redução de custos, sugere-se que a empresa seja instalada perto do mercado consumidor e, dependendo do caso, também é importante estar próxima dos distribuidores, possibilitando a economia de custos com transporte.

O investimento para abrir uma pequena empresa de serigrafia é de R$ 30 mil, segundo cálculos dos consultores do Sebrae.  Já os custos mensais são de cerca   de R$ 15 mil.