Condor fatura R$ 2,6 bilhões em 2012 e sobe duas posições no ranking da Abras

condor.JPGCom um crescimento de 23,16% e um faturamento de R$ 2,627 bilhões em 2012, o Condor Super Center subiu mais duas posições no ranking da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e passou a ser hoje a 7ª maior rede supermercadista do Brasil. A pesquisa destacou que em 2012 as vendas do autosserviço ficaram próximas de R$ 250 bilhões, percentual 11,03% superior que em 2011, em valores nominais.

O Condor cresceu mais do que o dobro da média nacional, resultado do investimento de R$ 120 milhões na inauguração de três novas lojas – um hipermercado na cidade de Pinhais, um supermercado no bairro Campo Comprido, em Curitiba, e outro no Centro de Paranaguá –, além da revitalização do Hiper Condor de Londrina e da aquisição de algumas áreas para a construção de futuros empreendimentos.

O Condor possui 9 mil colaboradores e conta com 35 lojas, entre super e hipermercados, em 14 cidades do Paraná, além de duas centrais de distribuição. Para este ano, o desafio da rede é ainda maior, como cumprir uma meta de crescimento de 28%, inaugurar novos hipermercados em Maringá e Londrina, concluir a ampliação da sede administrativa, além de revitalizar algumas lojas.

Por sermos uma rede 100% paranaense e que atua exclusivamente no ramo supermercadista, recebemos a notícia deste crescimento expressivo com muita alegria e emoção, pois é o reconhecimento de um trabalho árduo e planejado por uma equipe comprometida e determidada”, afirma o presidente do Condor, Pedro Joanir Zonta.

A meta da rede é chegar em 2016 com 45 lojas entre super e hipermercados e um faturamento de R$ 4 bilhões, além de expandir sua atuação para outros estados e também se manter entre as dez maiores redes supermercadistas do Brasil. Para atingir este objetivo, precisará contar com uma equipe de mais de 12 mil colaboradores diretos, sendo assim um dos maiores empregadores do Paraná.

Venda de medicamentos deve movimentar R$ 70 bilhões no Brasil

remedios.jpgO comércio de medicamentos deve movimentar R$ 70 bilhões este ano, 12% a mais do que em 2012. O gasto por brasileiro projetado pelo do Pyxis Consumo, ferramenta de dimensionamento de mercado do Ibope Inteliência, é de R$ 430,92. A classe C é responsável por quase metade do consumo no país, com um potencial de consumo de R$ 32 bilhões, 45% do total. Já a classe B deve gastar R$ 24 bilhões neste ano, enquanto o estimado para as classes D/E é R$ 8,6 bilhões e para a classe A, R$ 6,6 bilhões.

Ao analisar o consumo de medicamentos por região, o estudo mostra que o Sudeste tem o maior potencial de consumo, com 52% (R$ 37 bilhões), seguido pelas regiões Sul (16% ou R$ 12 bilhões) e Nordeste (18% ou R$ 13 bilhões). Apesar do maior consumo no Sudeste, a região Sul é a que apresenta o maior consumo por habitante, de R$ 494,71, enquanto no Sudeste o valor é de R$ 483,09, e no Centro-Oeste, de 441,89.

Na análise por classe e região, a classe C do Sudeste lidera com R$ 16 bilhões de potencial de consumo estimado para 2013. A classe B, também do Sudeste, aparece em seguida, com R$ 14 bilhões. A região Norte apresenta o menor potencial de consumo em todas as classes.

Mercado equilibrado reduz intervenções da Conab em 2012

De acordo a Superintendência de Operações Comerciais (Suope), da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em 2012, a estatal destinou R$ 180 milhões em recursos para operações de Aquisição do Governo Federal (AGF). Em 2011, o valor aplicado foi de R$ 514 milhões de reais. A menor necessidade de intervenção demonstra que 2012 foi um ano favorável para o produtor rural. De acordo com o Superintendente Elias Camargos, em 2012 os principais produtos da pauta da Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) tiveram seus preços de mercado bem acima do mínimo estabelecido pelo governo federal, com melhoria na remuneração do produtor. “Isso fez com que a Conab tivesse pouca participação na aquisição com vistas á  formação de estoques públicos”, explica.

Como exemplos dessa menor intervenção, em 2012 a Companhia adquiriu 30 toneladas de arroz em casca e 297.374 toneladas de trigo, enquanto no ano anterior essas quantidades foram de 1.492.364 t e 848.353 t, respectivamente. “Além de significar melhoria de condições de trabalho para o homem do campo, a menor intervenção também implica na diminuição de custos para a Conab, relativos á  armazenagem dos produtos, sua guarda e também conservação”, avalia Camargos

Link Monitoramento recebe Selo Excelência em Franchising 2013

A Link Monitoramento, rede de franquias com sede em Curitiba especializada no rastreamento e monitoramento de pessoas, objetos, veículos e frotas, conquistou, pelo segundo ano consecutivo, o Selo Excelência em Franchising 2013, concedido pela Associação Brasileira de Franchising. A partir de uma pesquisa conduzida pela ABF junto aos franqueados da marca, várias organizações são avaliadas seguindo critérios rigorosos e pela análise da Comissão de á‰tica da ABF.

De acordo com o diretor da Link Monitoramento, Sílvio Torres, ostentar o Selo Excelência em Franchising representa diferencial importante no mercado, além de confiabilidade no negócio para o investidor. Isso porque, dos 2.100 franqueadores existentes, apenas cem possuem o selo. Isso significa seriedade, profissionalismo, relacionamento e, acima de tudo, comprometimento com o negocio oferecido aos nossos franqueados”, assinala.

Atuando com 35 franquias em operação e outras 25 em processo de abertura, que vão do Sul ao Norte do país, a Link Monitoramento possui um modelo de negócio rentável, cujo retorno está previsto em torno de cinco anos. O investimento inicial é de R$ 170 mil iniciais além de capital de giro na faixa de R$ 180 mil. Da empresa, o franqueado recebe todo apoio para treinamentos iniciais da equipe, padronização do ponto, acesso a fornecedores com negociação direta, bem como suporte permanente da matriz”, ressalta Torres.