Para fornecedores, cenário do setor sucroalcooleiro segue positivo

canaO Índice de Confiança dos Fornecedores do Setor Sucroalcooleiro (ICFSS) – Reed Multiplus/Fundace apresentou leve queda em relação ao trimestre anterior, indo de 0,58 para 0,56 pontos e mantendo o cenário positivo, na percepção dos gestores das empresas. O resultado está acima do nível apurado no mesmo período de 2012 que foi de 0,53 pontos, valor. De acordo com o boletim a redução do índice é considerada normal para o período uma vez que após o pico de manutenção da entressafra a tendência é de queda na demanda por máquinas e equipamentos.

O boletim também compara do ICFSS com o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) da CNI, que entre fevereiro e maio de 2013, ficou em 0,55. Sendo assim, apesar da queda registrada no ICFSS, a indústria que fornece para as usinas de açúcar e álcool está mais confiante do que o empresário industrial em geral.

Elaborado pelo Agrofea – Programa de Pesquisa em Agronegócio da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da USP, o ICFSS tem patrocínio da Reed Multiplus em parceria com a Fundace. O índice é composto por dois indicadores que mensuram as Expectativas e as Condições Atuais do setor segundo os gestores das empresas participantes e varia de 0,00 a 1,00 onde valores acima de 0,50 pontos indicam empresários confiantes. Cada indicador é composto por quatro variáveis sobre: “Economia Geral”, sistema agroindustrial “Sucroenergético”, “Fornecedores” e “Empresa”.

O indicador referente às Condições Atuais teve leve queda de 0,51 para 0,50, atingindo nível satisfatório de acordo com os gestores. Dentre as variáveis que compõem este indicador, as que são relativas à economia geral do país e as condições do setor sucroenergético se mantiveram estáveis. Por outro lado, na opinião dos gestores, os fornecedores como um todo e a própria empresa do entrevistado estão piores do que na análise anterior.

Em comparação com o final da entressafra de 2012, o indicador teve alta, indo de 0,47 para 0,50 nesta safra que se inicia. Todas as variáveis colaboraram com a alta, exceto a que trata do desempenho economia geral do país que era de 0,48 em abril de 2012 e caiu para 0,46 no índice atual.

A economia geral também foi uma das responsáveis pela redução do indicador que mede a expectativa dos gestores em relação ao futuro. O indicador de “Expectativas” como um todo teve queda de 0,02 pontos, indo de 0,62 para 0,60 e a expectativa com a economia geral caiu 0,03 pontos, assim como a variável que se refere Fornecedores de equipamentos como um todo. Quando comparado com o final da entressafra de 2012, o indicador de expectativas teve alta expressiva de 0,04 pontos, saltando de 0,56 para 0,60. Mais uma vez, a variável que mede a expectativa com a economia foi negativa no período caindo de 0,57 para 0,54 pontos sendo que, na comparação com 2012, todas as demais variáveis apresentaram alta.

O Índice de Confiança dos Fornecedores do Setor Sucroenergético (ICFSS) – Reed Multiplus/Fundace é uma ponderação que reflete a maneira pela qual os gestores avaliam as condições  atuais e as expectativas em  relação  à economia brasileira, o  sistema agroindustrial sucroenergético, o  setor  de  fornecedores  do  setor  sucroenergético  e  à  própria empresa.

Esse indicador é construído bimestralmente por meio de telefonemas e internet pelo Programa de Pesquisas em Agronegócio da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto – AgroFEA Ribeirão Preto. O ICFSS conta com o apoio da Reed Exhibitions Mutiplus em parceria com a Fundace. A coordenação do é dos professores Maurício Jorge Pinto de Souza, Roberto Fava Scare e Luciano Thomé e Castro, com o apoio técnico de Luiz Paulo Zirnberger de Castro Pacheco, Murilo Arruda Capelini e Maíra Zanatta Viegas de Carvalho e Oliveira.

Presidente da OCB recomenda sistema de rastreabilidade do leite

leiteO avançado sistema de rastreabilidade ativa que permite controlar o leite longa vida, caixinha a caixinha, até chegar às mãos do consumidor final, adotado pela Coopercentral Aurora Alimentos, foi apresentado na última semana ao presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes de Freitas, na indústria de lácteos de Pinhalzinho. A planta industrial e o sistema de rastreabilidade do leite foram apresentados ao presidente da OCB pelos diretores Mário Lanznaster (presidente), Neivor Canton (vice-presidente), Marcos Antonio Zordan (presidente da Ocesc e diretor de agropecuária), Selvino Giesel (gerente de lácteos) e Alexandre Strassburger (coordenador de qualidade). Após ouvir exposição e visitar a indústria, Lopes de Freitas antecipou que recomendará às cooperativas do País que processam leite para adotar o mesmo sistema de rastreabildiade ativa.

Considerada paradigma para o cooperativismo mundial, a Aurora, um dos maiores grupos agroindustriais brasileiros, com sede em Chapecó, opera desde 2010 o sistema ativo de rastreabilidade, totalmente automatizada e transparente, que permite aos consumidores ter acesso aos dados sobre o processamento, envase e qualidade dos leites Aurora produzidos na indústria de Pinhalzinho.

O sistema que a Aurora adotou foi encomendado à Tetra Pak em 2009 e está em uso desde 2010. Atualmente seu emprego foi ampliado para toda a linha de lácteos, incluindo leite em pó, soro em pó, queijos, requeijão, nata e bebidas lácteas. Por meio do código P.A.R. (Programa Aurora de Rastreabilidade), impresso em cada embalagem, as informações dos produtos podem ser consultadas no hotsite http://www.auroraalimentos.com.br/par Esse código identifica um único produto com todo o seu histórico, como um RG e, ao digitá-lo, o consumidor pode obter as informações desejadas.

O presidente da Coopercentral Aurora, Mário Lanznaster, destacou que a criação do código P.A.R. no leite – o “RG do leite” – garante o monitoramento do processo produtivo, além do controle dos parâmetros de qualidade em tempo real. Com a rastreabilidade, as informações são relacionadas a cada caixinha de leite, e não a um lote. Assim, o sistema permite diagnosticar, solucionar e prevenir eventuais problemas com a utilização de uma ferramenta online que expõe minuciosamente as informações e cruza dados ao longo de todos os processos.

BM Dumont e KMC lançam nova marca e superam em 80% as vendas na Agrishow

A BM Dumont, que lançou na Agrishow 2013 a nova marca KMB, resultado da fusão com a norte-americana KMC, comemora o sucesso de sua participação na feira. A empresa comercializou 115 equipamentos para a cultura de amendoim, seus carros-chefes, além de produtos para outras culturas como cana-de-açúcar. A notícia de que a colhedora de amendoim com tecnologia americana será produzida em Dumont (cidade vizinha de Ribeirão Preto), ainda este ano, chamou a atenção dos principais produtores do país que passaram no estande e já assinaram documento de intenção de compra. O principal produto comercializado foi o arrancador pantográfico de amendoim de quatro e seis linhas.

“Estamos muito satisfeitos com o resultado de nossa participação na Agrishow 2013. Mesmo estando fora da época de safra de amendoim, percebemos que os produtores anteciparam as compras e já estão se programando para o final do ano. Comercializamos 80% a mais em equipamentos em relação à Agrishow 2012. Muitos contatos foram feitos, tivemos visita dos grandes produtores do setor e temos certeza que estes contatos iniciados também vão se transformar em negócios no período pós-feira”, afirma Marco Antonio Martins, diretor-comercial da empresa.

Curitiba é sede da HortiFruti Brasil Show

hortifruti- logoCuritiba será sede, de 16 a 18 de maio, da HortiFruti Brasil Show 2013, evento nacional que reunirá representantes das cadeias produtivas de hortifrutigranjeiros e de flores nas instalações da Centrais de Abastecimento do Paraná (Ceasa/PR). A HortiFruti Brasil Show, que acontece pela primeira vez no Paran´qa, reforça as ações de modernização desenvolvidas na central de abastecimento paranaense.

A iniciativa é da Associação Brasileira de Centrais de Abastecimento (Abracen), que, no Paraná, conta com o apoio da Ceasa/PR, do Sebrae/PR, do Sistema Faep/Senar-PR, Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Governo do Paraná, por meio da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (SEAB), Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Fomento Paraná e movimento Brasil Próximo, parceria com a Itália.

Com o objetivo de criar um ambiente estratégico, marcado pela inovação, pela realização de negócios e pela conexão entre os diferentes agentes que compõem a cadeia de abastecimento, a HortiFruti Brasil Show contará com inúmeras palestras, oficinas tecnológicas, painéis, exposições de soluções empresariais e, ainda, um fórum internacional, com a participação de técnicos do Brasil e da Europa.

São esperados para a HortiFruti Brasil Show produtores e comerciantes de hortifrutigranjeiros, permissionários e representantes da Ceasa/PR e das Centrais de Abastecimento de outros estados convidados para o evento, proprietários de restaurantes e feirantes.

Dráuzio Varella, médico conhecido nacionalmente por seus quadros de orientação exibidos durante o Programa Fantástico, ministra a palestra de abertura oficial do evento, que acontece no dia 16, às 9 horas. No dia 17, acontece o Fórum Internacional de Tecnologia em Hortaliças, Frutas & Flores, com a divulgação de experiências realizadas tanto no Brasil como na Europa, que podem servir de referência para a melhoria de práticas de produção, com representantes de várias instituições interessadas na discussão de temas como desenvolvimento comercial, institucional, tecnológico financeiro e de inovação do complexo agroindustrial no Brasil.

Um exemplo do que será apresentado, durante o Fórum Internacional de Tecnologia, é o Mercado de Bologna, localizado na Região da Emilia-Romagna, na Itália, e uma referência mundial no modelo de distribuição de produtos e em segurança alimentar.