Os seis passos para lidar com as crises de forma eficaz

Ricardo Resstel.

Se você liderar uma organização por algum período de tempo, não há escapatória: você vai lidar com as crises. A definição mais prática de crise é quando nós olhamos uma situação e simplesmente não podemos dizer: vamos deixar isso pra lá. Sua equipe não vai esquecer, você não vai esquecer, simplesmente não é possível passar batido por ela. Quando isso acontece, você está em uma crise e, como líder, precisa fazer algo a respeito.

Alguns líderes demoram a identificar quando esse momento chega e muitas vezes relutam em aceitar o fato de que ele é parte do problema. Quanto mais tempo você demorar para admitir seus erros, pedir desculpas e enfrentar os problemas de frente, mais complexa será a crise que terá que lidar. E permita-me ser bem transparente com você, se crises estão sempre acontecendo ao seu redor, você é o problema.

Continue lendo “Os seis passos para lidar com as crises de forma eficaz”

Banco Central e estabilidade econômica

Gilmar Mendes Lourenço.

Por enquanto, a administração da Petrobrás e o Banco Central (BC) vêm se revelando dois redutos isolados de reconhecida competência, ou pontos fora da curva no interior de um governo que, deliberadamente, preferiu protagonizar uma espécie de segundo ato do espetáculo dramático encenado por Dilma Rousseff. Até porque, desde 2003, Michel Temer tem participado ativamente das adaptações de roteiro e enredo concebidos com a finalidade de promover o aparelhamento partidário e esquartejamento do estado brasileiro.

A autoridade monetária, dotada de autonomia operacional, tem se notabilizado, desde o princípio da transição imposta pelo impeachment da ex-presidente, pela adoção de uma postura convencional, isenta de artificialismos. Mais precisamente, a pauta de ações do BC está centrada na ausência de ruídos de comunicação com os mercados e em apreciáveis esforços para a devolução da estabilidade macroeconômica e edificação dos pilares da retomada do crescimento da nação, a despeito da diminuta cooperação recebida das demais instâncias públicas, notadamente aquelas encarregadas do desate do nó fiscal.

Continue lendo “Banco Central e estabilidade econômica”

Como vender mais: técnica de abordagem impossível de ser ignorada

Mohamed Gorayeb,

É natural ter dúvida sobre quais lugares é possível vender o seu produto. Mas, se partirmos do princípio que, no Brasil, a cada 5,99 pessoas usam perfume todos os dias e na região nordeste, esse índice salta para 9,99 % . Só por isso, já é possível supor que há inúmeras oportunidades e situações, que vão desde a recepcionista, ou seja, quando você passar pela porta, até o proprietário. Afinal, estamos falando de pessoas.

Embora, há quem ainda tenha receio de ir de porta em porta, mas saiba que esse sentimento pode ser um grande empecilho para alavancar os seus ganhos. Padaria, açougue, banca de jornal… todos esses estabelecimentos há consumidores, mas para alcançá-los, é preciso parar de pensar, dar desculpas para si mesmo, e agir. É possível fazer a demonstração e vender os frascos em qualquer lugar, onde tiver pessoas usando o perfume, é possível vende-los. Adotando essa rotina, tenho a certeza de que você irá se surpreender com os resultados. Lembre-se, somos frutos de nossos hábitos.

Continue lendo “Como vender mais: técnica de abordagem impossível de ser ignorada”

Brasileiro e a insana mania de economizar em coisas erradas

Daniel Toledo.

Existe uma grande diferença entre oportunidade e oportunismo. Uma, é aquela em que as pessoas querem levar vantagem em tudo, ser esperto, ganhar a qualquer custo sendo que a outra, vai na contramão deste movimento cada vez mais presente e enraizado na cultura brasileira.

Enquanto eu morava no Brasil, vivenciei diversas situações em que me deparei com o oportunismo e isso me incomodava demais. Por isso, desde quando passei a ter residência fixa nos Estados Unidos, decidi por um ponto final nisto. Hoje, eu não tolero esse comportamento e principalmente as pessoas que convivem comigo sabem o quanto sou rígido fazendo duras críticas quando identifico o vício do oportunismo nas minhas relações de negócios.
A cultura do Brasil é riquíssima, linda e super diversificada. Porém, esse vício maldito acaba com a beleza. A necessidade de levar vantagem deixa as pessoas cegas e a feira de Acari, no Rio de Janeiro, é um belo exemplo deste contraste. O mercadão de produtos roubados é promovido às custas de inúmeras mortes e assaltos por conta de um comércio que não tem fim.

Continue lendo “Brasileiro e a insana mania de economizar em coisas erradas”

Taxa Selic deve cair para 9,25% ao ano. Qual o impacto para os brasileiros?

Reinaldo Domingos.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central deverá anunciar nesta quarta-feira (26) o novo valor da taxa básica de juros (Selic). A expectativa por conta de especialistas é de uma forte queda, que pode chegar a até 1,0 ponto percentual, passando de 10,25% para 9,25% ao ano. A notícia reflete em muitos aspectos, mas o que de fato isso muda na vida dos brasileiros?

A situação ainda é interessante para quem investe o seu dinheiro, por exemplo, em aplicações de renda fixa atreladas a Selic (CDBs pós-fixados, os fundos DI, as Letras Financeiras do Tesouro (LFT) e os títulos negociados via Tesouro Direto). Mas para quem aplica na Caderneta da Poupança, não haverá mudanças em seus rendimentos, pois, se a Selic for maior ou igual a 8,50% ao ano, a poupança paga sempre 0,50% ao mês mais Taxa Referencial (TR).

Continue lendo “Taxa Selic deve cair para 9,25% ao ano. Qual o impacto para os brasileiros?”