Mais impostos, para quê?

Celso Luiz Tracco.

Um dos principais problemas estruturais do Brasil é o gigantismo da máquina pública, mantido pela arrecadação tributária. Porque é tão difícil reduzir despesas? Responder essa pergunta, é uma dificuldade, uma vez que não há controle. Além disso os nossos parlamentares, deputados federais e senadores eleitos pelo povo, e constitucionalmente legisladores, são os que aprovam o orçamento da União. Nunca se vê redução de gastos. Deputado julgado, condenado e preso, continua recebendo seu gordo salário mesmo estando afastado de suas obrigações. O número de assessores parlamentares ou cargos de confiança ninguém sabe quantos são e pior, ninguém sabe o que fazem nem para que servem.

O custo do parlamento brasileiro é estimado em R$ 6.5 bilhões por ano, 4 vezes mais caro que o da França e quase 8 vezes mais caro que o da Argentina, para efeitos de comparação. Há mordomias sem fim: auxílio paletó, auxilio para correio (em plena era da internet) auxílio para gasolina, garçons, engraxates, segurança, viagens em aviões da FAB, plano de saúde sem limites, a lista é extensa. Mas isso é apenas a ponta do iceberg.

Continue lendo “Mais impostos, para quê?”

Os 10 erros que os executivos mais comentem em entrevistas de emprego

Fernanda Andrade.

Alguns executivos costumam passar muitos anos na mesma empresa e, assim acabam perdendo o hábito de participar de processos seletivos. Como o mercado é muito dinâmico e mudanças acontecem, é frequente executivos experientes cometerem erros ao participarem de uma entrevista de emprego. Como headhunter, já entrevistei muitos deles e, por isso, listei abaixo os 10 deslizes mais comuns.

1 – Candidatar-se a vagas inadequadas: Na ânsia por recolocação, muitos profissionais acabam se candidatando a vagas que não se adequam ao seu perfil. Além de não preencherem os requisitos da vaga, acabam se expondo negativamente.

2 – Falar mal da empresa anterior: Por mais que o profissional tenha saído da empresa ressentido com alguma situação vivenciada, o momento da entrevista não é adequado para expor essa situação. Não é ética essa postura e a mesma só contribui para uma visão negativa em cima da sua própria imagem. O momento deve ser aproveitado para apresentar-se profissionalmente de forma adequada.

Continue lendo “Os 10 erros que os executivos mais comentem em entrevistas de emprego”

A desvalorização estrutural da taxa de câmbio

Gilmar Mendes Lourenço.

A taxa de câmbio (R$/US$) voltou a assumir o papel de protagonista no espetáculo da conjuntura econômica brasileira, no primeiro quadrimestre de 2018. Mais precisamente, entre os dias 25 de janeiro e 30 de abril do corrente ano, a cotação do dólar para venda passou de R$ 3,1391 para R$ 3,5046, a maior desde 03 de junho de 2016 (R$ 3,525), na praça nacional. A variação foi 11,6% no período e 6,16% somente em abril.

De pronto, emergiram, de um lado, inquietações quanto à inevitável piora da situação de endividamento das corporações atuantes no País, e do próprio governo, em moeda forte, e aos desdobramentos inflacionários derivados da elevação do custo das importações, e, de outro, comemorações dos segmentos articulados às exportações, especialmente os mais competitivos integrantes das cadeias do agronegócio.

Continue lendo “A desvalorização estrutural da taxa de câmbio”

É hora de fazer uma faxina nos relacionamentos com seus clientes

Para a maioria das pessoas, sua casa é o bem mais . Queremos tratá-la bem, cuidar dela e garantir que seja o melhor lugar para se viver. Só que com o ritmo frenético das nossas vidas, de repente os objetos estão todos fora de lugar, coisas inúteis lotam os armários e a bagunça é tanta que pode ficar difícil definir o que é importante e o que não é. Imaginem receber uma visita nestas condições. A experiência dela não será a melhor não é mesmo?

Nossas bases de clientes têm semelhanças com uma casa que precisa passar por uma faxina. Imaginem um cliente ligar para a sua empresa e não sabermos (ou não encontrarmos) quem ele é, o que ele já comprou da gente, se ele é importante para nós, se ele tem faturas pendentes, se nós temos alguma pendência, etc. Quantas empresas podem dizer que estão verdadeiramente satisfeitas com a organização de seus dados, ou que conseguem encontrar rapidamente as respostas que estão procurando durante o planejamento da estratégia de CRM? Os dados dos clientes são, provavelmente, o bem mais precioso de um negócio. Se desorganizados, é possível que diversas oportunidades de crescimento e de vendas cruzadas e casadas sejam perdidas. Pior ainda: quando não sabemos o que um cliente quer, ele pode procurar alguém que saiba. Seguindo na analogia é necessário entender quem são os infratores que voltarão a bagunçar a sua casa. Torna-se necessário rever quem alimenta e como as todas as informações. Sistemas e pessoas devem garantir uma base sempre limpa e ao mesmo tempo dinâmica.
Continue lendo “É hora de fazer uma faxina nos relacionamentos com seus clientes”

Fake news: compartilhar notícias falsas pode comprometer seu emprego

Uma das maiores preocupações do mundo digital, atualmente, são as fake news. No ambiente de trabalho, elas eram conhecidas como a “rádio-peão”. São informações falsas proliferadas sem a preocupação com sua origem ou veracidade. Para combatê-las, nada melhor que o senso crítico e a educação virtual.

Devido ao grande avanço da tecnologia e internet, tornou-se comum receber fake news em mensagens no WhatsApp e nos feeds de notícias do Facebook, Twitter e demais redes sociais. Elas podem ser usadas para aplicar golpes, espalhar vírus e dúvidas infundadas, influenciar opiniões e até manipular o cenário político. Só para ter uma ideia do tamanho do problema, o compartilhamento de fake news deve começar a ser punido com multas e até a prisão em alguns países. No Brasil, por hora, seu maior impacto talvez seja na vida profissional de quem espalha essas informações falsas.

Continue lendo “Fake news: compartilhar notícias falsas pode comprometer seu emprego”