Exportação de açúcar e milho são destaques no Porto de Paranaguá

Porto de Paranaguá - AçúcarOs portos de Paranaguá e Antonina fecharam o primeiro quadrimestre do ano com alta de 4% na movimentação de mercadorias. Aos poucos, os portos recuperam a movimentação após as intensas chuvas que prejudicaram o escoamento de cargas nos meses de fevereiro e março, principalmente. O bom tempo dos últimos dias tem permitido que o Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá alcance altos índices de produtividade. Na quarta-feira (8), foram exportadas pelo Corex 100,2 mil toneladas de grãos. “O trabalho integrado que o governo do Paraná tem feito, através das modificações logísticas coordenadas pela Secretaria de Infraestrutura e Logística, está se refletindo diretamente na produtividade dos portos. Enquanto as limitações que a chuva nos traz não são resolvidas, trabalhamos para conseguir os melhores índices de embarques quando o tempo colabora”, explica o secretário de Infraestrutura e Logistica do Paraná, José Richa Filho.

De janeiro a abril, foram movimentadas 13,6 milhões de toneladas de mercadorias pelos portos paranaenses. Entre os destaques da movimentação estão a exportação de milho, que fechou o quadrimestre com 1,8 milhões de toneladas exportadas, registrando um aumento de 199% em relação a 2012. As exportações de açúcar apresentaram alta de 114% no primeiro quadrimestre, com um milhão de toneladas exportadas. Nas importações, os fertilizantes são o destaque com alta de 26% na movimentação, fechando abril com 2,9 milhões de toneladas importadas.

Com a melhora nas condições climáticas e o fim das exportações de milho, as exportações de soja estão recuperando os números de 2012. Somente em abril, foram exportadas 1,2 milhão de toneladas do produto, mesmo volume exportado em abril de 2012. O tempo mais seco – em abril, foram registradas apenas quatro dias de paralisações por conta das chuvas, enquanto que até março foram 31 dias parados por chuva  –  contribuiu para esta recuperação. No entanto, no somatório do ano, o volume das exportações de soja ainda apresenta queda.

Caminhões – Durante o mês de abril, chegaram ao pátio de triagem do Porto de Paranaguá, 40,6 mil caminhões. Foram cinco mil caminhões a mais do que o registrado em abril do ano passado, sem a formação de filas. O trabalho que vem sendo realizado desde o início do ano, com a Operação Safra, tem garantido bons resultados.

“Estamos fazendo valer uma solução simples, de que cada terminal só pode receber diariamente a quantidade que tem condições de atender. Com isso, acabamos com a fila e temos conseguido receber ainda mais caminhões, como apontam as estatísticas, sem causar filas”, afirma o superintendente dos Portos do Paraná, Luiz Henrique Dividino. De janeiro até abril, chegaram ao Pátio de Triagem do Porto de Paranaguá, 114,4 mil caminhões.

Brasileiro na direção da OMC favorecerá retomada das negociações multilaterais

Roberto AzevêdoA escolha de Roberto Azevêdo (foto) para a direção-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) é um reconhecimento à qualidade da diplomacia brasileira, avalia a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Também premia a capacidade de negociação e o conhecimento do diplomata, que atua há quase 15 anos em cargos ligados à OMC. A expectativa da CNI é que, ao assumir o cargo, Azevêdo resgate a relevância do principal órgão de administração do comércio internacional e fortaleça o sistema multilateral de negócios.

O fortalecimento da OMC é importante para a construção de regras claras que deem estabilidade  jurídica para os fluxos comercias, atendam aos compromissos assumidos entre os países e combatam práticas desleais, como subsídios à exportação e dumping.

Exportação de carne de frango bate novo recorde

frangoO recorde histórico registrado no preço médio em março de 2013 já ficou para trás. Em abril passado, a carne de frango in natura exportada pelo Brasil atingiu o valor, inédito, de US$2.204,17/t, o que significou aumento de 1,65% sobre o mês anterior e de 17,30% em relação a abril de 2012.
Houve recuperação, também, no volume embarcado que somou 307.424 toneladas, aumentando 3,69% e 2,99% em um ano. Foi também o maior volume de produto in natura exportado em 2013.

O corolário desse desempenho só poderia ser uma receita excepcional. Realmente, ela também atingiu valor recorde e somou US$677,615 milhões, o que representa incrementos de 5,40% e 20,80% sobre, respectivamente, o mês anterior e o mesmo mês do ano passado.