Na hora de alugar ou comprar um imóvel, despesa mensal com condomínio deve ser contabilizada para não comprometer o orçamento familiar

Localização, condições estruturais e preço são itens decisivos na hora de comprar ou alugar um apartamento. Mas, além desses quesitos, há um detalhe bastante importante e que, na maioria das vezes, é ignorado por boa parte dos futuros moradores, mas que costuma representar uma significativa despesa mensal: a taxa de condomínio. Por isso, o diretor da Imobiliária Sallvi, Lisandro Salvi, orienta que, na hora de escolher o futuro imóvel, é fundamental colocar tudo na ponta do lápis para saber se o custo mensal do local está adequado ao orçamento familiar.

Salvi explica que, atualmente, valores das taxas condominiais estão numa curva crescente que vão além dos índices inflacionários. Os principais responsáveis por esse acréscimo, segundo ele, são despesas com a folha de pagamento de funcionários do condomínio – porteiros, zelador, síndico ou mesmo a contratação de uma empresa terceirizada para a prestação desse tipo de serviço –, os reparos e reformas prediais necessárias e os encargos trabalhistas – situação a que qualquer local que tenha funcionários contratados em regime CLT está sujeito.

Continue lendo “Na hora de alugar ou comprar um imóvel, despesa mensal com condomínio deve ser contabilizada para não comprometer o orçamento familiar”

Volume de crédito com duplicatas cresce 27,5% em 12 meses e soma R$ 700 bilhões

O volume de crédito com base em duplicatas somou R$ 700 bilhões em 12 meses, um crescimento de 27,5% em comparação ao período anterior. O levantamento, que inclui operações no Sistema Financeiro Nacional e nos segmentos FIDC e Fomento Mercantil, é da CRDC (Central de Registro de Direitos Creditórios) e se refere ao período de maio/2017 a abril/2018.

O volume total dessas operações somou R$ 61 bilhões em abril (R$ 36 bilhões no Sistema Financeiro Nacional e R$ 25 bilhões em duplicatas em FIDCs e Factorings), segundo o estudo da CRDC. Entre os usuários da CRDC, o volume do crédito com duplicatas cresceu 36,1% em 12 meses entre os clientes já existentes na plataforma.

Continue lendo “Volume de crédito com duplicatas cresce 27,5% em 12 meses e soma R$ 700 bilhões”

Maioria dos casais não dá acesso a detalhes financeiros um do outro

Nada demonstra melhor a frase “o que é meu é seu” em um casamento do que abrir uma conta conjunta no banco, especialmente se um dos cônjuges recebe muito mais do que o outro. No entanto, de acordo com pesquisa realizada na Inglaterra com mil pessoas comissionadas pela empresa Prudential, grande parte dos casais atualmente guardam segredos um do outro quando o assunto é finanças.

Segundo o estudo, mais de 50% dos entrevistados disseram não saber o salário do cônjuge e um número similar afirma esconder a existência de cartões de créditos e empréstimos pessoais. O estudo revela uma mudança no comportamento entre casais.

Continue lendo “Maioria dos casais não dá acesso a detalhes financeiros um do outro”

Mudanças nas regras do cheque especial tendem a reduzir juros

A  Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) anunciou que a partir de 1º de julho quem utilizar mais de 15% do limite disponível no cheque especial por um período de 30 dias receberá do banco uma proposta para substituir essa dívida por uma outra, de modalidade com juros menores. Diferentemente, no entanto, das mudanças das regras do cartão de crédito que entraram em vigor em abril de 2017, que se aplica para todos que entram no rotativo, a medida para o cheque especial ficará a critério do cliente aceitar ou não a proposta para migrar a dívida.

Segundo Flávio Calife, economista responsável pela área de Indicadores e Estudos Econômicos da Boa Vista SCPC, as novas medidas para uso do cheque especial atendem a um pedido do Bacen – Banco Central e incentivam o início de um longo caminho que é de tentar reduzir os altos juros aplicados no uso do cheque especial, um dos mais altos do mercado junto aos do cartão de crédito. Atualmente, os juros anuais no cheque especial são de aproximadamente 324% ao ano. Para exemplificar o seu alto custo, se um consumidor deve em média R$ 1 mil no cheque especial, após um ano, deve somente de juros mais R$ 3 mil, totalizando algo em torno de R$ 4 mil na dívida.

Continue lendo “Mudanças nas regras do cheque especial tendem a reduzir juros”

Bancos liberaram mais de R$ 39 bilhões para compra de veículos até abril

O total de recursos liberados para financiar a compra de veículos, nos quatro primeiros meses de 2018, somou R$ 39,049 bilhões. Esse volume representa um aumento de 33,4% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando os bancos concederam quantias na ordem de R$ 29,2 bilhões. Para as operações de CDC foram liberados R$ 38,4 bilhões, enquanto R$ 623 milhões são advindos do leasing.

De acordo com os dados do boletim divulgado pela Anef, em abril os bancos liberaram R$ 10,2 bilhões em CDC para a compra de veículos leves, volume 0,6% inferior ao atingido no mês anterior. Ainda assim, o índice é 53% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Desse total, R$ 8,4 bilhões foram destinados para as pessoas físicas e os R$ 1,7 bilhão restante para as pessoas jurídicas.

Continue lendo “Bancos liberaram mais de R$ 39 bilhões para compra de veículos até abril”