Automação logística pode gerar economia de mais de R$ 500 mil por ano

Como parte da estratégia de recuperar a combalida competitividade da indústria calçadista brasileira, prejudicada sobretudo pelo chamado Custo Brasil, mas também por problemas “intramuros”, a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) vem trabalhando, junto a empresas do segmento, com o Sistema de Operações Logísticas Automatizadas (Sola). A metodologia será apresentada na Fábrica Conceito durante a 42ª edição da Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Máquinas e Equipamentos para Calçados e Curtumes (Fimec), que acontece em Novo Hamburgo/RS entre os dias 6 e 8 de março.

O consultor da Abicalçados, Igor Hoelscher, ressalta que os ganhos de redução de custos com processos automatizados são expressivos e proporcionais ao tamanho de cada negócio. “O Sola possui um comitê gestor formado por empresas do setor calçadista, que nos passam os benefícios com automação. A Via Marte, por exemplo, após adotar a ferramenta passou a economizar mais de R$ 500 mil por ano, somando a agilidade proporcionada e a diminuição de erros comuns na expedição”, conta. Outra empresa que adotou a automação na área de suprimentos químicos foi a Grendene, que em um ano contabilizou uma economia significativa quando passou a utilizar, por meio do controle eletrônico de dados, produtos químicos em ordem de validade, dirimindo radicalmente as perdas com materiais vencidos.
Continue lendo “Automação logística pode gerar economia de mais de R$ 500 mil por ano”

Logística 4.0: a tecnologia pode reduzir custos e aumentar a satisfação do consumidor

Indústria 4.0 é um termo já notório para muitas pessoas, mas e a expressão Logística 4.0? Assim como para as fábricas, a ideia é se apropriar das novas tecnologias (uma espécie de quarta revolução industrial) para tornar a logística – um dos maiores desafios para as empresas brasileiras em função dos custos elevados de transporte e do tamanho do país – mais eficiente, mais rápida e menos custosa.

Há empresas investindo em tecnologias inovadoras, como, por exemplo, a Amazon e as tentativas de uso de drones para entregas rápidas de até 30 minutos. A perspectiva de uso do equipamento é boa, mas esbarra em uma série de questões, como a regulamentação para uso deles. “Ter eficiência na entrega de produtos é um desafio e exige muito cuidado e atenção, além do investimento nos equipamentos certos. Ser bem-sucedido nessa tarefa é sinônimo de fidelização de consumidores e da criação de um diferencial no mercado”, explica Jaime Peters Junior, um dos sócios da Bz Tech.

Continue lendo “Logística 4.0: a tecnologia pode reduzir custos e aumentar a satisfação do consumidor”

Armazenagem em área primária reduz em até 30% custos operacionais do exportador TCP

Juarez Moraes e Silva: “Sem o envolvimento de terceiros na operação, foi possível reduzir o ciclo operacional em até sete dias”.

A solução logística de armazenagem em área primária oferecida pela TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, tem se tornado um diferencial competitivo para o exportador que utiliza o Porto de Paranaguá. Utilizado principalmente por exportadores de açúcar e madeira, a solução vem permitindo uma redução média de 30% nos custos logísticos para os clientes, já que elimina etapas de armazenagem e transporte de carga em área secundária.

“Essa economia é possível porque a carga que chega a Paranaguá não precisa ser transferida para os armazéns retroportuários para serem estufadas e armazenadas, o que elimina custos com os deslocamentos entre a área secundária e o Terminal. Com a solução oferecida pela TCP, a carga é estufada, vistoriada e armazenada em um mesmo local, na área primária do Porto”, explica Juarez Moraes e Silva, diretor Superintendente e Comercial da TCP.

Continue lendo “Armazenagem em área primária reduz em até 30% custos operacionais do exportador TCP”

Logística reversa de pilhas e baterias portáteis começa a ser implantada no Paraná

O termo de compromisso para a implantação do sistema de logística reversa de pilhas e baterias portáteis no Estado do Paraná será assinado nessa sexta-feira (4), às 11 horas, em ato que deverá ocorrer na sede da Associação Comercial do Paraná (ACP), por meio do Conselho de Ações de Sustentabilidade Empresarial (Casem), com a interveniência da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema) e da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

O documento será assinado em nome da ACP pelo presidente Gláucio Geara e os vices Airton Hack e Norman Arruda Filho, coordenador do Casem; Antonio Carlos Bonetti, secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos e Humberto Barbato Neto, presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). A matéria está contemplada na resolução 401/2008 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), na lei federal 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos) e no decreto 7.404/2010, que dispõe especificamente sobre o sistema de logística reversa de pilhas e baterias portáteis.
Continue lendo “Logística reversa de pilhas e baterias portáteis começa a ser implantada no Paraná”

Parque logístico da Renault conquista certificação AQUA-HQE e se torna um dos mais modernos empreendimentos de logística do País

O galpão e o edifício administrativo da francesa Renault, montadora de automóveis, localizados na cidade de Quatro Barras, no Paraná, conquistaram a certificação internacional AQUA-HQE – um dos principais selos internacionais em construções sustentáveis. A empresa tinha o objetivo de contribuir para a racionalização de custos, bem estar dos usuários e do meio ambiente e, por isso, decidiu buscar a certificação.

O Parque Logístico Quatro Barras, como é chamado o espaço, foi desenvolvido pela TRX, empresa brasileira que desenvolve, adquire e financia ativos reais por meio da gestão de produtos de investimento, no modelo Built to Suit (empreendimentos projetados sob medida para locação), uma das soluções imobiliárias oferecidas pela empresa.
O local tem aproximadamente 490 mil m² de área de terreno, dos quais 250 mil m² estão destinados ao empreendimento desenvolvido sob medida para a Renault. No edifício administrativo são aproximadamente 900 m² de área construída, já no galpão são 67 mil m² para a primeira fase, mas poderá chegar a 87.000m² de área construída total com as expansões. O restante do terreno está sendo preparado para receber outras operações de Built to Suit de grandes empresas.

Continue lendo “Parque logístico da Renault conquista certificação AQUA-HQE e se torna um dos mais modernos empreendimentos de logística do País”