Ademilar lança campanha institucional de 2013

Ademilar_campanha 2013Investir é palavra de destaque na nova campanha da Ademilar Consórcio de Imóveis. Este ano, a empresa apresenta três comerciais para televisão: dois deles sobre produtos – aposentadoria imobiliária e compra e reforma de imóveis através do consórcio – e outro institucional. A campanha também está sendo veiculada em emissoras de rádio, outdoors, mobiliários urbanos, revistas, jornais e sites. Para smartphones e tablets, foram criados anúncios específicos.

A grande aposta da Ademilar é a Aposentadoria Imobiliária, serviço exclusivo da empresa. “Investir na compra de um imóvel por meio do consórcio torna-se mais vantajoso que investir em uma previdência privada. O imóvel pode garantir renda complementar para o aposentado através de uma locação, por exemplo”, explica Tatiana Schuchovsky Reichmann, diretora superintendente da Ademilar.

Os comerciais para televisão, dirigidos pela produtora Soft Cine, tiveram a famosa locução do Mauro de Almeida. As gravações, feitas com lentes específicas de filme, aconteceram na sede da Ademilar, em Curitiba, e em diferentes cenários da capital. Os vídeos podem ser vistos nas páginas da Ademilar no YouTube – youtube.com/ConsorcioAdemilar – e no Vimeo – vimeo.com/ademilar. Desenvolvida pela G/PAC Comunicação Integrada, a campanha está sendo veiculada no Paraná, em Santa Catarina e em São Paulo.

Pesquisa aponta as marcas mais amadas pelos brasileiros

havaianas.logo_O conjunto de experiências que o consumidor tem com uma marca – desde ligar para o call center e ser bem atendido até se encantar com a vitrine da loja -, é determinante para que uma marca vire objeto de amor. A constatação fica evidente no estudo inédito “Marcas mais Amadas do Brasil”, realizado em março pela agência de conhecimento aplicado Officina Sophia, a pedido da revista Consumidor Moderno. A pesquisa, com base em 1.475 entrevistas distribuídas entre as principais regiões do Brasil, com homens e mulheres entre 18 a 59 anos das classes ABC, desvenda os segredos do bom relacionamento com o consumidor e ainda aponta o ranking das TOP 20. Nos cinco primeiros lugares das marcas mais amadas se destacam Havaianas, MAC, O Boticário, Nestlé e Rolex.

Segundo o especialista internacional em relações de consumo e varejo, Roberto Meir, uma das conclusões do estudo é que o consumidor valoriza atualmente o potencial de experiência cultural que uma marca pode proporcionar. Isso quer dizer que ele pode amar uma marca mesmo sem consumir seus produtos. É o caso da Rolex: o consumidor vivencia sonhos e fantasias com a marca, ele aspira o significado que usar um relógio desses pode ter na sociedade. “São essas fantasias e aspirações que justificam o fato de muitas marcas bastante consumidas não figurarem entre as mais amadas”, comenta De acordo com Paulo Secches, presidente da Officina Sophia e responsável pelo estudo, diferentemente do que ocorre com humanos, na relação com as marcas há pouco romance. “É uma lógica diferente, estamos falando de um amor utilitário, por interesse. Se a marca não oferecer produto ou serviço de qualidade, o amor deixa de existir”, afirma.

Qualidade é uma das “18 dimensões do amor” identificadas pela pesquisa. Entre os outros fatores que contribuem para fazer surgir o sentimento de amor pela marca estão “identidade projetada” (para o consumidor, carregar o emblema das empresas demonstra personalidade e gera sensação de pertencimento a um grupo) e “Identidade aspiracional” (utilizar um produto ou serviço carimbado pela companhia ajuda o cliente a sentir que é a pessoa que ele gostaria de ser).

Foram selecionadas 27 categorias de produtos e serviços para avaliação em uma escala de 0 a 10, de acordo com o amor de quem as conhecia. Quanto mais próximo de 10, maior seria o sentimento, considerando as nota de 0 a 7 como “não amada”; 8 a 9, “amada”; e 10, “muito amada”. À nota 10 foi dado peso 2. Somando-se à incidência de 10 (multiplicados por 2) e 9, depois subtraindo o número de pontuação de 0 a 6, todos com peso 1, o resultado foi um ranking que classifica as marcas com até 200 pontos, admitindo números negativos – que representariam as “não amadas”. Marcas com menos de 25 avaliações foram eliminadas previamente do ranking, por terem pouca visibilidade.

Ao todo, foram 48 atributos analisados, entre eles: qualidade das marcas, lançamento frequente de novidades no mercado, capacidade de expressar, dizer algo sobre quem é o consumidor (da marca), capacidade de expressar quem é o consumidor (da marca) para o grupo de convivência e para outras pessoas, capacidade de fazer o consumidor sentir-se bem, capacidade de superar expectativas e presença ativa nas redes sociais.