Indústria norte-americana compra brasileira Envall

EnvallA empresa brasileira Envall &Cia Ltda., com sede na cidade de Santa Rosa, no Rio Grande do Sul, foi vendida para a indústria Nelson Global Products, do portfólio do Wind Point Partners, private equity, com sede em Chicago. A ACAL Capitals, com sede em Curitiba, atuou como consultora financeira dessa transação. O negócio define um novo momento para a empresa baseada nos Estados Unidos que agora expande sua presença global para a América do Sul. O valor da aquisição não foi divulgado.

A Envall fundada em julho de 1993 a partir de um processo de terceirização da Iochpe Maxion, divisão de colheitadeiras, que oportunizou então para os seus funcionários montarem uma empresa e fornecerem tubulação hidráulica, detém posição de liderança na indústria de dobra, conformação, soldagem e pintura de tubos hidráulicos e mecânicos, especialmente para fabricantes de máquinas agrícolas. Seguindo exigências técnicas desafiadoras, a empresa serve uma crescente e exigente base de clientes em todo o Sul do Brasil. Com 20 anos de experiência na indústria de tubos, a empresa pode crescer e ser bem-sucedida como resultado de sua habilidade de combinar produtos de alta qualidade com um especial atendimento ao cliente. Diante do alto nível de precisão exigida por seus clientes, a empresa tem investido em equipamentos de alta tecnologia, assim como rigorosos processos de controle para assegurar os padrões elevados de qualidade ao longo de todas as fases de produção. A empresa detém a certificação ISO 9001 e foi premiada por vários clientes.

A Nelson Global Products com mais de 60 anos de experiência em manufatura e engenharia, fabrica e comercializa uma ampla gama de produtos de escape de alta performance e de produtos tubulares que atendem tanto fabricantes como o mercado de reposição para as linhas de estrada e fora de estrada. Estes produtos incluem escapamentos e silenciadores; conjuntos de tubos de escape; tubos de Recirculação de Gases (EGR) e Tubo de Gerenciamento Térmico (TMT) para sistemas de emissões; conjuntos de tubos pressurizados para ar, hidráulica e lubrificação, e conjuntos mecânicos (estruturais). Antes da aquisição de Envall, as operações da empresa incluíam 11 localidades nos Estados Unidos e presença internacional na Austrália, na Índia, na China.

A ACAL Capitals combina a experiência e o   conhecimento de profissionais das áreas de consultoria, auditoria e gestão   para proporcionar assessoria completa em fusões e aquisições para empresas de   médio porte. Fundada em 2011 como uma aliança entre a ACAL, a ValuConcept e a   Planworks,  a ACAL Capitals oferece serviços que compreendem a   totalidade do ciclo de um processo de fusão ou aquisição, desde a   identificação do negócio, seleção do comprador/vendedor e desenvolvimento dos   documentos de  mercado, até a negociação, estruturação do negócio e   fechamento. Representando com exclusividade a D.A. Davidson & Co. no   Brasil, a ACAL Capitals tem estreito acesso ao mercado mais ativo de fusões e   aquisições que existe, o dos Estados Unidos, além de relacionamento global   com a RSM International, 6ª maior rede de empresas independentes de   contabilidade e consultoria no mundo.

Curitiba ganha as seis primeiras revendas oficiais de pneus Dunlop do Brasil

DunlopPara atender com exclusividade a distribuição e venda dos pneus Dunlop e Falken em todo o Paraná, a BS Autocenter — tradicional revenda de pneus multimarcas — investiu maciçamente na padronização e ambientação de suas lojas, em diversos bairros de Curitiba, com o objetivo de apresentar aos seus clientes o padrão de qualidade no atendimento exigido na comercialização dos novos produtos, além de levar ao mercado uma nova tendência na hora da troca.  Em função disso, 200 novos empregos também foram criados, tanto na área de vendas como de assistência técnica. A Dunlop é uma das maiores fabricantes de pneus do mundo e está construindo uma unidade no município de Fazenda Rio Grande, região metropolitana de Curitiba, prevista para entrar em operação até outubro deste ano. Esta é a primeira fábrica fora da Ásia.

Segundo informa  o  diretor da rede BS Autocenter e da Distribuidora JR Dias, José Rovilson Dias, a comercialização dos pneus Dunlop começou timidamente em meados do ano passado, quando a empresa japonesa Sumitomo Rubber — detentora das marcas Dunlop e Falken — passou a trazer para o Brasil seus pneus, produzidos nas fábricas do Japão, da Indonésia e da Tailândia. Como a BS já era nacionalmente conhecida no ramo, a sua escolha como distribuidora oficial das marcas foi uma consequência natural. Rovilson acredita que com a abertura da fábrica em Fazenda Rio Grande, que deverá produzir inicialmente 15 mil pneus diariamente, as vendas tendem a aumentar e logo atingir as metas propostas pela multinacional: abocanhar 10% do mercado nacional, já no primeiro ano, podendo triplicar até 2020.

Para o empresário, o investimento de R$ 1,2 milhão exigido na padronização das lojas terá um retorno rápido, uma vez que, atualmente, quase 70% das vendas efetuadas já são de pneus da marca Dunlop, para carros de passeio, utilitários e camionetes. A BS tem 12 lojas próprias, sendo seis em Curitiba, localizadas em Santa Felicidade, nas Mercês, na Água Verde, no Tarumã, no Bacacheri e no Portão; uma em Londrina; duas em Maringá; uma em Ponta Grossa, e duas em Santa Catarina (Itajaí e Joinville).

Criação de estratégias competitivas auxiliam empresas a se tornarem mais fortes no mercado

competitividadeA criação de uma estratégia competitiva como parte de um plano de marketing e de negócio pode auxiliar as empresas a competirem mais efetivamente no mercado. Em primeiro lugar, é fundamental que o empresário  identifique as áreas de foco da organização e as formas de como poderá se diferenciar da concorrência. Como por exemplo, se a empresa quer ser líder de mercado, ou se acompanhará as concorrentes. É também fundamental determinar o tipo de consumidor interessado nos seus produtos assim como o seu público-alvo.

Em seguida, o empresário deve elaborar uma lista com o nome das empresas concorrentes, classificando-as como mais fortes ou mais fracas, considerando as tendências de mercado, preços e a sua base de consumidores. Agindo assim, o empresário poderá desenvolver estratégias  que lhe permitirão ocupar a liderança de mercado e obter vantagens em relação à concorrência.

Outra estratégia que pode ser adotada é criar uma forma de como se dará a expansão no mercado, que poderá incluir novos consumidores ou clientes  ou mesmo incentivos para uma maior utilização de produtos ou serviços específicos. Com base nestas informações, o empresário deve considerar como pode proteger o seu mercado, enquanto aumenta a sua relação com os consumidores ainda não segmentados.

Por último, o empresário deve discutir a sua estratégia competitiva com os seus sócios ou executivos, sendo fundamental que o plano traçado seja sustentável ao longo dos próximos anos. Somente depois de obter um consenso de que a estratégia competitiva traçada se sustentará, ela então deverá ser adotada nos negócios da empresa.

Empresários do Paraná conhecerão oportunidades de negócios no Uruguai

O Centro Internacional de Negócios (CIN) da Federação das Indústrias do Paraná participou nesta terça-feira (7) do lançamento oficial da missão empresarial para o Uruguai, que acontece no mês de junho, e contará com o apoio da entidade. A missão levará empresários paranaenses para conhecer as oportunidades de negócios e investimentos no país. A data será divulgada em breve no site do CIN (www.cinpr.org.br)

O evento foi realizado na sede da Associação Comercial de Curitiba (ACP). Participaram do encontro o vice-presidente da Fiep, Rommel Barion, que coordena o Conselho Temático de Comércio Exterior da entidade, e a gerente do CIN, Janet Pacheco. Também estiveram presentes autoridades do Uruguai, entre eles Joaquim Píriz Jorge, cônsul geral do país.

Para Janet Pacheco, a missão empresarial no Uruguai irá orientar e auxiliar as empresas paranaenses que desejam investir no país. “O CIN busca alavancar os negócios dos paranaenses no mercado internacional e essa missão irá transmitir informações importantes para que os empresários possam investir com mais segurança no Uruguai”, destacou.

Durante o evento, empresários e representantes de entidades da área de comércio exterior conheceram o cenário econômico e social do Uruguai. O assunto foi apresentado pela economista Paola Leites de Moraes. Segundo ela, o Uruguai está em 1º lugar no ranking da América Latina em índice de democracia e baixa corrupção e é o segundo em liberdade econômica. A média de desenvolvimento do país também é positiva, o que acaba atraindo investidores. “A taxa média de crescimento anual do Uruguai foi de 5,9% nos últimos anos”, destacou.

O Uruguai está localizado na América do Sul, sobre a costa atlântica. A cidade mais populosa do país é Montevidéu, capital que possui o porto mais importante do Uruguai. São mais de 3 milhões de habitantes e a língua oficial é o espanhol.

O país é um dos que mais capta investimentos na América Latina, estando atrás apenas do Chile e Peru e as exportações estão aumentando. “Nossas exportações aumentaram cinco vezes em dez anos”, disse Paola. Ela também destacou que em 1998 foi criada no país a Lei de Investimentos, que beneficia empresas e indústrias que desejam investir no Uruguai, isentando-os de diversos impostos e facilitando as relações comerciais.

Os investidores interessados no país tem ainda à disposição o Mercado Comum do Sul, o Mercosul, que atinge uma população de mais de 270 milhões de pessoas.

Renault retoma produção e reassume quinta colocação

RenaultO mês de abril marcou a retomada do ritmo de vendas da Renault e o seu retorno à quinta posição no ranking das montadoras. Com a volta gradativa do ritmo de produção e recuperação dos esto ques, após a parada de 8 semanas para aumento da capacidade de produção (entre dezembro de 2012 e fevereiro deste ano), as vendas do mês alcançaram 21.308 unidades, um crescimento de 28,8% em relação a abril de 2012. A participação de mercado no mês chegou a 6,7%, 0,1 ponto percentual acima do resultado do ano de 2012. “O desempenho da Renault em abril está dentro das nossas expectativas e reflete a retomada do nosso ritmo de produção e vendas, que devem continuar crescendo gradativamente”, ressalta Olivier Murguet, presidente da Renault do Brasil.

Entre os modelos que tiveram melhor desempenho está o Sandero, cujas vendas atingiram 7.359 unidades, cerca de 40% a mais que em abril e 2012. Com este volume, o modelo voltou a figurar entre os 10 mais vendidos no País. Apesar da queda da ordem de 20% no segmento de veículos populares neste primeiro trimestre em relação a 2012, o Novo Clio, lançado em novembro de 2012, também teve desempenho significativo. Foram 3.232 unidades vendidas, quase 300% a mais que abril de 2012.

As vendas do Renault Fluence também vêm crescendo. O modelo, que há três meses mantém entre os quatro mais vendidos no segmento, registrou crescimento de 11,7%, alcançando 1.351 unidades. O Kangoo Express, por sua vez, mais que dobrou as vendas (535 unidades) e o Novo Master, lançado em março deste ano, teve um crescimento de 27% em relação a abril do ano passado (728).