Aeroporto Afonso Pena é novamente eleito o segundo melhor do país

O Aeroporto Internacional Afonso Pena, de Curitiba (PR), segue entre os melhores do país. O resultado é do relatório do 3º trimestre de 2017 da Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro. De acordo com o levantamento do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação, o terminal levou nota 4,76 dos usuários, ficando atrás apenas do aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), que alcançou a média 4,78. Na última edição da pesquisa, referente ao 2º trimestre, o Afonso Pena teve nota 4,74.

Dos 37 itens avaliados pelos passageiros sobre o aeroporto de Curitiba, 28 (76%) estão acima da média estipulada pelo governo (4), sendo que 12 deles tiveram as melhores notas da pesquisa. Entre eles, estão: tempo de fila da aduana (4,99); cordialidade e prestatividade dos funcionários do check-in (4,87); integridade da bagagem (4,78); conforto térmico (4,72); e qualidade da sinalização do aeroporto (4,56).
Continue lendo “Aeroporto Afonso Pena é novamente eleito o segundo melhor do país”

Multilog recebe materiais do Cirque du Soleil

A rotina do Porto Seco de Jaguarão (RS) mudou bastante nos últimos dias e superou positivamente as expectativas da própria equipe. É que a empresa montou uma estrutura especial para atender a operação do Cirque du Soleil, que trouxe seus materiais, cenários e estruturas para apresentações em São Paulo e no Rio de Janeiro.  A operação atuou desde a entrada do veículo, o estacionamento, a verificação da mercadoria, a liberação da carga e saída do veículo. A Receita Federal e a Aduana Uruguaia disponibilizaram fiscais específicos para a realização da liberação e flexibilizaram os horários de atendimento.

O grupo circense optou pelos serviços da Multilog pela agilidade e a escolha de Jaguarão (RS) foi pelo posicionamento geográfico da cidade – a menor distância entre Montevidéu, no Uruguai, e São Paulo. Outro diferencial que pesou na escolha foram as Aduanas integradas no Porto Seco de Jaguarão.
Roger da Costa Mendes Ribeiro, gerente de Operações na Multilog Jaguarão, conta que a Multilog realizou um planejamento estratégico, que envolveu também os órgãos anuentes e o cliente. “Nosso objetivo foi ajustar os detalhes e garantir que a operação fosse bem sucedida”, argumenta.

Continue lendo “Multilog recebe materiais do Cirque du Soleil”

DHL aprimora serviço de cabotagem no Brasil com operação multimodal e tecnologia

Cindy Harin, CEO da DHL Global Forwarding.

A DHL Global Forwarding, divisão do Grupo Deutsche Post DHL especializada em fretes aéreos, marítimos e rodoviários, está investindo para oferecer uma solução diferenciada – mais econômica, segura e sustentável – no serviço de cabotagem. Com mais de 8 mil km de costas navegáveis, o país tem grande potencial para a cabotagem, modal de transporte marítimo cujo volume de carga movimentada cresceu 36% de 2010 para 2016. Em linha com esse movimento, a DHL criou uma equipe dedicada e uma subsidiária exclusiva voltada ao transporte multimodal: a DHL Transportes. Com isso, é possível centralizar tudo o que o cliente necessita em um único parceiro, como rastreabilidade e atenção total à carga e um documento único (CT-e), além de combinar a cabotagem com outros modais de transporte.

Para a CEO da DHL Global Forwarding, Cindy Harin, “o atual cenário econômico e a busca por eficiência levaram muitos clientes a buscar novas soluções logísticas. A cabotagem, certamente, é um caminho, pois une redução de custos, maior segurança e menores impactos ambientais. O potencial deste modal é muito grande, tanto pelas dimensões continentais do país, como pela concentração elevada do modal rodoviário, que continua a ser uma etapa importante, mas que pode ser alavancada por estratégias multimodais e tecnologia”, afirma.

Continue lendo “DHL aprimora serviço de cabotagem no Brasil com operação multimodal e tecnologia”

Paraná terá voo direto entre Curitiba e Assunção

As relações comerciais e turísticas entre o Paraná e o Paraguai serão intensificadas com a operação de voos diretos entre Curitiba e Assunção a partir de novembro. A nova rota foi anunciada nesta terça-feira (5) pela ministra do Turismo do Paraguai, Marcela Bacigualupo, em reunião com a vice-governadora Cida Borghetti. O encontro no Palácio Iguaçu contou com a presença do cônsul-geral do Paraguai no Paraná, Salvador Meden. “O voo é uma grande oportunidade para estimular novos negócios e o turismo entre o Paraná e o Paraguai. Podemos aproveitar essa rota para promover e divulgar destinos paranaenses e paraguaios”, disse a vice-governadora Cida Borghetti.

De acordo com a ministra paraguaia, o voo será operado a partir de novembro pela companhia Amaszonas Linhas Aéreas. “Temos muitos brasileiros que residem no Paraguai e tenho certeza que serão os maiores usuários e beneficiados por este voo”, afirmou a ministra.

Continue lendo “Paraná terá voo direto entre Curitiba e Assunção”

Concessionárias investem 122% a mais por km do que a gestão federal

A diferença discrepante entre investimento público e privado nas rodovias brasileiras é um dos pontos identificados pelo estudo Transporte Rodoviário – Desempenho do Setor, Infraestrutura e Investimentos, divulgado esta semana pela CNT. O estudo avaliou os investimentos entre os anos de 2004 e 2016 e mostrou que os recursos privados, por quilômetro, representam mais do que o dobro dos públicos.

Em 2013, as concessionárias brasileiras investiram, por quilômetro, o maior montante no período: R$ 447,00 mil. Em 2016, houve redução para R$ 354,46 mil. Ainda assim, o valor é 122,1% maior do que o recebido pelas rodovias federais geridas pela União em 2016: R$ 159,60 mil por km.  “Esse é um bom parâmetro de comparação. Esse investimento das concessionárias faz com que o nível de qualidade seja significativamente superior ao das rodovias mantidas pelo poder público”, afirma o diretor-executivo da CNT, Bruno Batista. Na edição de 2016 da Pesquisa CNT de Rodovias, a extensão concessionada com estado geral classificado como ótimo ou bom foi de 78,7%. Nas federais sob gestão pública, foi de 42,7%.
Continue lendo “Concessionárias investem 122% a mais por km do que a gestão federal”