Agronegócio Brasil reunirá 30 mil pessoas em Curitiba

Cerca de 30 mil pessoas, do Paraná e de várias regiões do Brasil, devem passar pelo ExpoUnimed Curitiba, durante a realização do AnB-Agronegócio Brasil – Feira de Fornecedores de Equipamentos Produtos, Tecnologias e Serviços para o Agronegócio. O evento será aberto no fim da tarde desta quinta-feira (29) e segue até 1º de novembro. Além da feira principal, o AnB terá quatro eventos simultá¢neos: Simpósio Nacional sobre Agronegócio e Segurança Alimentar; Seminário Estadual de Agricultura e Meio Ambiente: Políticas Públicas para um Paraná Melhor; Seminário Estadual de Arborização Urbana e Acessibilidade; e Soluções Sustentáveis para o Agronegócio.

Promovido pela AEAPR-PR, o AnB tem como objetivo aproximar a comunidade científica, tecnológica, profissionais da agronomia, empresariado rural e urbano, com a finalidade de estimular a geração e realização de negócios por meio da exposição de fornecedores de equipamentos, produtos, tecnologias, insumos e serviços para todos os segmentos da cadeia produtiva nacional de agronegócios.

Ouro Fino conquista 2º lugar do Prêmio CNI

premiocni-ouro-fino.JPGA águas Ouro Fino, de Campo Largo, conquistou o 2º lugar na etapa nacional Prêmio CNI 2008. A premiação aconteceu na noite desta terça-feira (28), em Brasília. Esta foi a primeira vez que uma empresa paranaense chegou á  etapa nacional do Prêmio.

O Prêmio é realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e é um reconhecimento a empresas que produzem com eficiência, aliando inovação, ousadia e criatividade. No Paraná, tem o apoio do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep).

Empresas paranaenses prospectam negócios na França

Empresários paranaenses interessados em prospectar negócios, conhecer e apresentar inovações tecnológicas ambientais, além de debater caminhos para o desenvolvimento sustentável podem participar da Missão Empresarial á  França, entre os dias 30 de novembro e 6 de dezembro. A missão é promovida pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI) em parceria com a Rede Brasileira de Centros Internacionais (Rede CIN). A comitiva vai participar da 23ª edição da maior feira de meio ambiente na França – Pollutec Lyon 2008.

Além da Pollutec, a programação inclui rodadas de negócios e visitas técnicas a 15 empresas francesas com atuação em energia solar, eco construção, tratamento de água, resíduos e revestimentos, vigilá¢ncia de acústica de aviões, eficácia energética e hidroênio.            

A Pollutec é uma grande oportunidade para investidores e empresários nacionais e internacionais que desejam ampliar contatos com empresas do setor, fazer negócios e expandir sua rede de relacionamentos comerciais, já que contará com a presença de mais de 70 mil empresas da área. As empresas participantes do evento terão suas informações divulgadas no catálogo oficial da Pollutec e participarão de palestras e seminários dirigidos a empresas estrangeiras sobre o tema Meio Ambiente no Brasil.

As vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas pelo e-mail: adriana.baccarin@fiepr.org.br.

Lavexmil lança novo produto no mercado

lavemix.JPGA paranaense Lavexmil, empresa que desenvolve projetos customizados na fabricação de máquinas e equipamentos para lavanderias industriais, está lançando a sua mais nova aposta de produto no mercado. Trata-se da primeira Dobradeira Lavexmil, máquina industrial para dobra de roupas.

Produzida em estrutura de sustentação em aço, a Dobradeira Lavexmil possui tratamento químico contra corrosão, base em primer de alta aderência e acabamento com pintura a base de poliuretano. Seus gabinetes de proteção, eixos e roletes de transporte também são produzidos em aço SAE 1020.

Um dos diferenciais do produto está no Controlador Lógico Programável, que controla todos os pará¢metros, cálculos e dobras, além dos sensores ópticos e infravermelhos.

Segundo o diretor comercial da Lavexmil, Nei Batista Silva, a expectativa é que nas grandes companhias, como hospitais e hotéis, alguns já clientes e outros prospects, haja uma crescente demanda de mercado, pela otimização e produtividade que o produto oferece.

Confecções temem dumping

confeccoes.jpgEmbora a alta do dólar em relação ao real inicialmente traga benefícios para a nossa indústria têxtil e do vestuário, já que as importações de tecidos e confecções ficaram 50% mais caras, a grande preocupação agora dos nossos empresários é com relação a um possível dumping que possa ser praticado pelos países asiáticos.

Eu conversei com o presidente do Sindicato da Indústria do Vestuário de Curitiba e Região, Ardisson Akel, que está em Brasília participando do Encontro Nacional da Indústria, e ele me disse que os empresários temem que se a Europa e os Estados Unidos diminuírem drasticamente as suas compras dos países asiáticos, terão que desovar seus estoques em algum lugar. E este lugar pode ser o Brasil, só que com preços muito baixos, e daí não há como competir.

ardison-akel.jpgAntes que isso aconteça, os empresários já começam a se articular. Ardisson Akel (foto) lembra que a cadeia do vestuário é a segunda que mais emprega no Paraná, ficando atrás apenas da construção civil.  São nada menos do que 200 mil empregos diretos e indiretos em todo o Estado, sem contar ainda que temos o segundo maior pólo do vestuário do Brasil.

Para este ano, o setor do vestuário paranaense trabalha com um crescimento de 10% sobre 2007. As encomendas para as vendas de fim de ano estão sendo entregues pelas indústrias, e não devem ser afetadas pela crise. Entretanto, a grande preocupação é com relação á s coleções de inverno, que começam a ser produzidas a partir de novembro. Segundo Ardisson Akel, já se observa um certo conservadorismo. Mesmo assim, o setor de confecções vem projetando um crescimento de 5% para 2009, ou seja, a metade do previsto para este ano.