GVT investe para manter crescimento no corporativo

A GVT, empresa que se destaca no desenvolvimento de soluções de telefonia, banda larga e internet no Brasil, está ampliando ainda mais sua atuação como fornecedora de soluções de próxima geração (NGS) para o mercado corporativo. A empresa anuncia o Vox IP, primeira ferramenta do mercado baseada em protocolo internet, que funciona exatamente como uma solução tradicional de telefonia, e complementa o leque de ofertas GVT para organizações.

Fruto de um investimento de R$ 10 milhões, o Vox IP integra o portfólio de soluções NGS da GVT, que já conta com produtos como o Vox NG, VPN MPLS e banda larga corporativa. A expectativa é atingir pelo menos 200 usuários do Vox IP até o final de 2009. Na prática, a nova solução utiliza acesso IP e canais SIP tornando mais eficiente o uso do PABX IP que passa a funcionar por meio de um circuito dedicado e convergente de voz e dados. O principal diferencial é que as ligações não circulam na rede pública Internet, o que garante ainda mais a sua qualidade e facilidade de uso, além de rentabilidade e sim apenas dentro de uma rede privada.

O produto promove economia em ligações de longa distá¢ncia para telefones fixos em mais de 230 cidades e em chamadas móveis para 1.800 localidades.

Ampliação da Ferroeste reduzirá custo do transporte

ferroeste.jpgA expansão da Ferroeste, ferrovia pública paranaense que atualmente liga os municípios de Guarapuava, Cascavel, Guaíra e Foz do Iguaçu, na Região Oeste, deve baixar de 30% a 40% os custos de transporte no Paraná, afirmou o diretor-presidente da concessionária, Samuel Gomes, durante encontro com empresários paranaenses promovido pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) através dos Conselhos Temáticos de Infra-estrutura e Comércio Exterior.

A Ferroeste pretende construir 1,2 mil novos quilômetros de ferrovias interligando o Paraná aos Estados de Mato Grosso do Sul e Santa Catarina e ao Paraguai, além de viabilizar a ligação ferroviária entre Guarapuava e Paranaguá.  De acordo com Gomes, a Ferroeste já tem em mãos estudos de pré-viabilidade de alguns dos ramais previstos no projeto. O custo total do projeto deve ser de R$ 3 bilhões, mas somente o trecho entre Guarapuava e Paranaguá, que é condição para os outros, deve custar entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão. Segundo o diretor da Ferroeste, não serão utilizados recursos orçamentários. O projeto se pagará com produção.
 

Renner desiste da Leader

A Renner desistiu de comprar a rede fluminense Leader. Com isso, suas ações subiram 11,3% somente nesta terça-feira (28) na Bovespa. Os papéis da companhia fecharam a R$ 18,57. A decisão da varejista agradou os analistas, que consideraram uma decisão sensata em um momento tão difícil para os mercados brasileiro e mundial. Desde que o acordo entre as duas redes foi firmado, em 3 de setembro, o cenário econômico-financeiro mudou muito, o que se refletiu no valor das ações do setor negociadas na Bovespa.

Emprego no Paraná é o melhor em 16 anos

emprego.jpgO emprego formal no Paraná cresceu 7,95% nos primeiros nove meses do ano em relação a igual peíodo de 2007, com saldo recorde de 154.896 vagas, apresentando o melhor resultado desde 1992. Somente em setembro foram abertas 17.404 vagas, o maior saldo para aquele mês desde 1992. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese), com base com Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho e Emprego.

Com o resultado de setembro, o número estimado de trabalhadores com carteira assinada no Paraná é de 2,102 milhões. De janeiro a setembro, o crescimento do emprego ficou concentrado em alguns ramos de atividades. Na indústria de transformação os destaques ficam para  alimentos, bebidas e álcool (21.475 empregos), têxtil e vestuário (7.687 empregos) e mecá¢nica (4.330 empregos). No setor de serviços, o maior número de postos de trabalho foi criado em outros serviços (14.454 empregos), hotéis e restaurantes (11.196 empregos), ensino (5.996 empregos) e transporte e comunicação (5.113 empregos). O comércio varejista respondeu pela criação de 21.306 empregos e o atacadista por 6.579. A construção civil abriu 17.690 novas vagas, enquanto o setor agropecuário criou 12.915 empregos.

Santander investe R$ 200 milhões para atender clientes em Curitiba

santander.jpgDesde que venceu a licitação para administrar a folha de pagamento de pagamento de 39 mil funcionários municipais da Prefeitura de Curitiba, em 29 de outubro do ano passado, o Santander já investiu R$ 200 milhões para oferecer o melhor atendimento aos clientes. Toda a operação resultou em 14 novos pontos de atendimento – além da reforma de todas as aências existentes anteriormente -, 347 novos caixas eletrônicos, 211 funcionários treinados, contratados e promovidos.

Com a ampliação do atendimento em Curitiba, o Santander vem obtendo resultados extremamente positivos. O volume médio de concessão de crédito mensal no local cresceu 660% de outubro de 2007 a agosto de 2008. No mesmo peíodo, o banco teve elevação de 802% em depósitos e investimentos de clientes.

O Santander já tem uma forte atuação no Paraná, especialmente por meio de parcerias com instituições de saúde, prefeituras e universidades. O Banco também realiza um trabalho muito bem sucedido no segmento de agronegócios e na concessão de crédito consignado, sendo a segunda instituição financeira em volumes de recursos emprestados aos servidores públicos. Para o superintendente executivo do Santander, Sérgio Macedo, a operação em Curitiba aumentou a competitividade no setor e beneficiou diretamente aos clientes com a oferta de produtos.

Considerada uma das seis maiores cidades brasileiras, com uma população de 2,9 milhões de habitantes, Curitiba tem um Produto Interno Bruto (PIB) de US$ 15.969 milhões, um indicativo do potencial para atrair novos negócios. Entre as 40 principais cidades da América Latina, Curitiba possui o 15.º maior PIB. Mas, se for avaliado o PIB per capita, a posição de Curitiba é ainda melhor, com a cidade ocupando o 13.º lugar, com US$ 5.447. Curitiba é a segunda melhor cidade brasileira e a quinta melhor da América Latina para se fazer negócio.

No Estado, o Santander administra as folhas de pagamento das prefeituras municipais de Arapongas, Rio Negro, União da Vitória e Ponta Grossa e tem 84 pontos de atendimento. O Banco venceu a disputada licitação da folha de pagamento de Curitiba em 30 de julho e efetuou o primeiro pagamento em 29 de outubro de 2007.