Terminal paranaense patrocina encontros de comércio exterior

O Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP) é um dos patrocinadores do mais importante Fórum de Comércio Internacional e Logística da Região Sul do País, o Itajaí Trade Summit. O evento será realizado junto com o Fórum NetMarinha, de 19 a 21 de novembro, no Centro de Eventos Itajaí-Tur, em Santa Catarina.

O Itajaí Trade Summit 2008 é o sétimo evento do ênero no País organizado pelo Grupo NetMarinha, que administra portal especializado em notícias e serviços de comércio internacional (www.netmarinha.com.br) e logística, produz o Anuário Brasileiro de Comércio Exterior e possui experiência no setor há 28 anos.

Empresas líderes já garantiram presença como Hamburg Sá¼d, Local Frio, Schenker do Brasil, Arosa, Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Paraná e Santa Catarina e Jê Tecnologia. Entre os patrocinadores estão a Allink Transportes Internacionais e o Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP).
 
 

ándice de confiança do empresário paranaense é o menor desde 2006

industria1.jpgO ándice de Confiança do Empresário Industrial do Paraná (ICEI-PR) caiu 8,5 pontos no terceiro trimestre de 2008 em relação ao mesmo peíodo de 2007, informou nesta segunda-feira (27) o Departamento Econômico da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). O ICEI-PR registrou em julho, agosto e setembro deste ano 50,4 pontos, o menor desde o segundo trimestre de 2006 (48), com a maior queda registrada em todos os terceiros trimestres desde o início da série pesquisada, em 2003. O ándice de Confiança do Empresário Industrial é composto pelo ándice de Condições Atuais, que atingiu 49,9 pontos, e pelo ándice de Expectativas no Futuro Próximo, que apresentou 50,6 pontos.
 
maurilio-schmitt.jpgA redução do ICEI-PR é decorrente da queda no ándice de Expectativas no Futuro, que no trimestre passado foi de 58,9 pontos. A expectativa do empresariado industrial paranaense quanto ao desempenho de suas empresas nos próximos seis meses caiu 8,3 pontos em relação ao trimestre passado. Segundo o coordenador do Departamento Econômico da Fiep, Mauílio Schmitt (foto), o motivo para esta redução da confiança é a crise financeira internacional, que se agravou em setembro.
 
O empresário industrial paranaense, no entanto, faz pior avaliação das condições atuais da economia brasileira e das expectativas da economia para o futuro próximo: o índice da percepção do desempenho atual da economia caiu para 43,8 pontos, e o futuro para 45,9 pontos. O indicador varia no intervalo de 0 a 100. Valores acima de 50 pontos indicam empresários confiantes, melhores condições ou expectativas positivas”, explica Schmitt.
 
A pesquisa tem a coordenação nacional da Confederação Nacional da Indústria e no Paraná é aplicada pela Fiep. Em todo o Brasil foram 26 estados envolvidos. No Paraná, foram ouvidas indústrias de todos os portes, segmentos e regiões do Estado. A menor confiança é registrada por industriais de empresas médias (47 pontos). O ICEI-PR é de 50,3 pontos para grandes indústrias e de 53,7 pontos para pequenas indústrias.
 
A exemplo do primeiro e do segundo trimestre do ano, o ICEI-PR manteve-se abaixo do índice de confiança do empresariado brasileiro, que alcançou 52,5 pontos neste terceiro trimestre.
 

Crise deve afetar mercado de TI

ti.jpgO momento requer que as empresas brasileiras se preparem para os desdobramentos da crise financeira. O mercado de TI encontra-se em um ritmo bastante acelerado e exige expansão de serviços e de infra-estrutura através da inovação, mas os acontecimentos recentes na economia já demonstram cortes de investimentos no setor.

Os fornecedores da área devem estar atentos, pois dependem muito do comportamento de consumo dos Estados Unidos e Europa, que são os grandes consumidores mundiais de tecnologia. Analisando esse cenário, a TGT Consult elaborou importantes sugestões que ajudarão a área de TI a se preparar para os possíveis danos que a crise irá ainda acarretar.

Confira as medidas que devem ser adotadas:
1- Postergar as aquisições de Hardware.
2- Antecipar a contratação de licenças de software e manutenção.
3- Avaliar seu portfólio de projetos de infra-estrutura e sistemas, mas manter os projetos que vão terminar nos próximos seis meses e os projetos que produzem resultado financeiro imediato (3 a 12 meses). Também devem ser mantidos os projetos estratégicos, que sejam necessários para a sobrevivência da empresa no longo prazo (e que precisam estar terminados quando o mercado reaquecer).
4- Iniciar os projetos que reduzem a despesa operacional da TI. A maior despesa da TIC é com telecomunicações. Este pode ser um excelente momento para migrar para VoIP, pois tem impacto imediato na conta. Lembrar de incluir o call center no seu case de VoIP.
5- Conter os custos de atendimento e manutenção.
ti2.jpg6- Reduzir o outsourcing via SLA. Na maioria das empresas, no Brasil, cerca de 50% do gasto da TI é destinado aos contratos de serviço e outsourcing. Depois de telecom, o outsourcing é seu principal alvo para corte de custos. Portanto, as empresas devem trabalhar a tolerá¢ncia: maior tempo de espera no help desk, mais tempo para resolução de problemas. Estas ofertas” devem ser feitas para o seu fornecedor em troca de uma redução no preço do serviço.
7- Renovar os contratos de outsourcing via RFP (solicitação de proposta). Hoje já está se conseguindo uma redução de 15% a 30% no valor de contratos de outsourcing por meio de uma boa estratégia de RFP.
8- Asset Management – consolidar os contratos e revisar os de T&C.
9- Plano de sobrevivência: como manter tudo funcionando com tantos cortes? Fazer um plano de transição, válido para um ou dois anos no máximo e contratar serviços de curta duração (outsourcing de um ano), evitando a compra de equipamentos. Avaliar as opções de virtualização para maximizar a ocupação do data center ou mesmo cloud computing para sistemas não cíticos. A estratégia é desafogar o data center até que a crise passe. Para sistemas, avaliar as opções de software como serviço (SaaS), mantendo a mesma estratégia de contratação de curto prazo.
10- Experimentar os softwares livres como alternativa para o desenvolvimento de sistemas. Para servidores, prefira expandir o Linux nesse momento. Para ambientes com alto uso de ferramentas office, não adianta migrar para sofwtare livre pois o custo de suporte pode suplantar o custo da licença. Para aplicações simplificadas, como emulador de terminal, ou desktops que rodam apenas um ou dois aplicativos, sem troca de arquivos com o mundo exterior, pode-se pensar no software livre. Mas avaliar tecnicamente, sem paixões.

Rei do Mate no Shopping Curitiba

rei_do_mate.JPGO Rei do Mate, a maior e mais tradicional casa de chá do Brasil, chega agora ao Shopping Curitiba. Com um ambiente agradável, bonito e funcional especialmente projetado pensando no cliente, a marca difunde a missão de fornecer produtos saborosos de qualidade associados ao ótimo atendimento. Segundo a superintendente do shopping, Mariane Wiederkehr, o Rei do Mate vem para incrementar nosso mix de alimentação e trazer mais uma opção de qualidade aos clientes.
 
Para o franqueado da marca, Eduardo Vaz, é importante trazer o Rei do Mate ao shopping, pois o Curitiba é um empreendimento de sucesso na cidade, reconhecido pelos clientes.
 
A nova loja já vai contar com um novo layout repaginado para comemorar os 30 anos de mercado do Rei do Mate. As mudanças podem ser vistas no logotipo, fachada, mobiliário interno e cardápio. A intenção é atender melhor o público moderno, jovial e, ao mesmo tempo, sofisticado.
 
A especialidade da marca é o mate, gelado ou quente, servido puro ou em mais de 50 combinações: com leite, com chocolate ou com frutas, como limão, abacaxi, acerola, açaí, graviola, manga, tangerina, framboesa. O cardápio do Rei do Mate conta, ainda, com sucos naturais, vitaminas, café expresso, cappuccino, sopas, salgados em geral, folhados, sanduíches, páes de queijo e tortas. A loja oferece, também, erva mate e acessórios para chimarrão.

Euênio Mussak fala sobre educação corporativa em Curitiba

eugenio.jpgO educador, professor do MBA da FIA-USP e um dos maiores consultores de educação corporativa, Euênio Mussak (foto), estará em Curitiba nesta terça-feira (28), á s 19h30, para participar da Arena Cultural Palladium, realizada na Praça de Eventos do Piso L1, em frente á s lojas Renner, no Shopping Palladium.

Além de dar dicas sobre comportamento humano nas empresas, Mussak irá apresentar seu novo livro Caminhos da Mudança”, que relata a importá¢ncia das mudanças das atitudes, do aprendizado e da inovação para encontrar o equilíbrio que leva á  felicidade. Haverá um bate-papo e sessão de autógrafos, com participação gratuita.

Mais informações pelo site www.shoppingpalladium.com.br.