Alívio foi passageiro e Bovespa cai 3,6%

A Bolsa de Valores de São Paulo voltou a cair com força nesta quarta-feira e anulou toda a valorização de ontem, quando o corte surpresa do juro norte-americano acalmou brevemente os mercados financeiros globais.
O pá¢nico de uma recessão nos Estados Unidos voltou a dominar as mesas de operação em todo o mundo. O Ibovespa, principal indicador da bolsa paulista, fechou em queda de 3,69 por cento, a 54.025 pontos. No pior momento do dia, o índice chegou a cair 5,5 por cento.
A semana tem sido de fortes oscilações na bolsa paulista: na segunda-feira o Ibovespa caiu 6,6 por cento e na terça-feira subiu 4,45 por cento depois que o Fed reduziu o juro básico dos EUA em 0,75 ponto percentual. 

O mercado de cá¢mbio encerrou os negócios cotando o dólar a R$ 1,825 (valor de venda), em alta de 1,84%. (com aências)

 

Aprimoramento profissional

Está em andamento desde a última segunda-feira, no Senac, em Curitiba, o curso regular da primeira turma de comissário de bordo de trem de turismo”. A parceria do Senac com a Great Brazil Express vai qualificar cerca de 12 profissionais para o primeiro trem de luxo do Brasil.O diretor Regional do Senac, Vitor Monastier, frisou a importá¢ncia de uma parceria como esta, por ser o primeiro Senac no Brasil a ofertar este curso, e com a certeza de se tornar referência para os outros.

Durante o curso os alunos irão participar de aulas teóricas como etiqueta social e profissional, serviços de bordo, informações tuísticas entre outras.  As aulas práticas serão realizadas no próprio vagão do trem, em um primeiro momento parado e depois em viagem.

Uma bela iniciativa.

Medidas do Fed aliviam as bolsas asiáticas

 A quarta-feira foi de recuperação nas bolsas asiáticas, que também fecharam em alta depois que o Fed reduziu os juros básicos americanos na manhá da terça-feira. A maior alta foi na Bolsa de Hong Kong, que registou elevação de 10,7%, depois de uma semana que quedas.

Na Bolsa de Tókio (Japão), o índice Nikkei fechou em alta de 2,03% (12.829,06 pontos). O índice Topix, que reúne todos os valores da primeira seção, subiu 2,45% (1.249,93 pontos).

A Bolsa de Seul (Coréia do Sul) terminou o pregão com avanço de 1,21% (1.268,42 pontos) no índice Kospi.

A Bolsa da ándia, em Mumbai, que foi uma das mais atingidas nos pregões de segunda-feira e da terça-feira, fechou hoje com alta de 5,65% no índice Sensex. Ontem a bolsa indiana paralisou o pregão por uma hora, quando o índice de quebra esteve perto dos 10%.

Bovespa sobe 4,45% e recupera parte das perdas

A alta das ações da Petrobras, motivada pela descoberta de uma reserva de gás na Bacia de Santos, e o corte inesperado de juros nos Estados Unidos fizeram com que a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recuperasse parte das perdas acumuladas nos últimos dias.

No final desta terça-feira, a Bolsa subia 4,45% para 56.097 pontos, acumulando ainda uma queda de 12,19% em janeiro.

As ações ordinárias (ON, com direito a voto) da Petrobras subiram 10,59%. As ações preferenciais (PN, sem direito a voto) fecharam em alta de 9,76%. As incertezas com a economia americana e os impactos sobre os resultados das empresas levaram os investidores estrangeiros  a retirar da Bovespa quase R$ 4 bilhões no início deste ano. (com AE)

Comitiva chinesa visita FIEP e Paranaguá

O cônsul-geral da China, Sun Rongmao, visitou nesta terça-feira a sede da Federação das Indústrias do Estado do Paraná-FIEP, e afirmou que China e Paraná devem se aproximar e estreitar relações comerciais. Para o cônsul, ambos estão em processo de desenvolvimento e têm muito a ganhar com o intercá¢mbio e a efetivação de negócios.

Acompanhado do cônsul da área econômica e comercial, Lu Yuzhong, e de uma comitiva composta por representantes de instituições financeiras e empresários da China, Rongmao foi recebido pelo superintendente corporativo do Sistema Fiep, Ovaldir Nardin e pelo coordenador do Conselho Temático de Comércio Exterior, Ardisson Akel.

As áreas de maior interesse da China são educação e inovação”, informou Yuzhong. Segundo ele, para os paranaenses há oportunidade de negócios no setor agropecuário, em tecnologia e maquinários. Um dos assuntos tratados no encontro foi a possibilidade de realização de uma rodada de negócios entre chineses e paranaenses em Curitiba no segundo semestre de 2008.

Participaram do encontro também o coordenador do Centro Internacional de Negócios (CIN) da Fiep, Vinícius Gasparetto; o diretor da Unindus e IEL, Henrique Santos e o consultor de assuntos asiáticos da Fiep, Elias Antunes.

Visita ao Porto 

A China ocupa o primeiro lugar nas exportações de mercadorias realizadas pelo Porto de Paranaguá, com destaque para o embarque de soja, óleo vegetal, congelados e madeira. Em 2007, o país representou 8% das exportações do Porto, com uma participação de quase US$ 900 milhões na receita cambial. Para os próximos anos a expectativa é que o volume e a variedade de cargas exportadas aumentem. A novidade seria a compra de trilhos para atender a malha ferroviária chinesa.

Para incentivar novos negócios, uma comitiva liderada pelo cônsul-geral  Sun Rongmao e pelo cônsul comercial, Lu Yuzhong, visitou nesta terça-feira o Porto de Paranaguá, onde conheceram a estrutura portuária por onde escoa a soja. Só no ano passado, o embarque do grão para a China rendeu US$ 422,8 milhões na receita cambial do Paraná. (com assessorias)