Técnicos avaliam andamento do seguro agícola

Técnicos da área de Seguro da Agricultura Familiar (Seaf) da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário estão percorrendo a região Sul do País para um trabalho de monitoramento nos municípios com mais pedidos de cobertura. Até o momento, dos 28 mil comunicados de perdas recebidos, 26 mil são na região Sul. A principal cultura atingida é o milho, seguido da soja e feijão.

O objetivo é diagnosticar como estão os processos operacionais do seguro e a qualidade das peícias, orientar peritos, agricultores familiares, agentes financeiros, extensão rural e movimento sociais ligados á  agricultura familiar e verificar a necessidade de medidas, em caso de irregularidades.

Para o agricultor, as principais orientações são no sentido de evitar a perda de cobertura do Seaf por falhas na implantação e na condução das lavouras.

Paraná é o estado com maior número de prefeituras que regulamentaram a Lei Geral

Dos 5.564 municípios brasileiros, somente 352 fizeram o dever de casa quanto á  regulamentação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas. Os prefeitos dos demais municípios correm o risco de serem processados por improbidade administrativa por não terem atendido ao prazo de um ano, previsto na legislação. O levantamento foi feito pelo Serviço Brasileiro de Apoio á s Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

De acordo com os números do Sebrae, o Paraná é o estado com o maior número de prefeituras (97) que já regulamentaram a Lei Geral. Mas, apesar de só 5% das prefeituras terem regulamentado a matéria, o resultado é considerado animador. O antigo Estatuto das Micro e Pequenas Empresas que durou vários anos havia sido regulamentado por apenas 120 prefeituras, lembra o gerente da Unidade de Políticas Públicas do Sebrae, Bruno Quick.

Curitiba terá MBA em Agronegócio

A Associação dos Engenheiros Agrônomos do Paraná regional Curitiba (AEAPR-Curitiba) está trazendo para Curitiba o MBA em Agronegócios da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP). O curso, que começa em maio, preenche uma lacuna nas extensões destinadas a capacitar profissionais para o sistema agroindustrial. As aulas acontecerão na sede da AEAPR-Curitiba, no bairro São Lourenço.

O MBA em Agronegócios terá duração de 24 meses com aulas quinzenais nas sextas-feiras e sábados. Os professores são doutores associados ou titulares da Esalq/USP e profissionais de renomada experiência no setor privado. Inicialmente serão 40 vagas para profissionais com graduações diversas e que possuam conhecimento básico do idioma inglês, além de dominar o uso da informática.

O critério de seleção será feito pela análise curricular para subsidiar uma caracteística típica dos MBAs. Os interessados deverão acessar o site www.aeaprcuritiba.com.br. O investimento é de R$ 550 na inscrição e mais 23 parcelas de R$ 550. Empresas ou grupos com mais de cinco inscritos terão valores especiais.

Compra de fertilizante no Brasil é recorde

No primeiro trimestre, a quantidade de fertilizantes entregue ao consumidor final do Brasil foi de 5,4 milhões de toneladas, de acordo com dados preliminares da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda). Eduardo Daher, diretor executivo da associação, atribui o incremento a três fatores: relação de troca favorável, evolução da safrinha e antecipação das compras.
 

Empresa familiar tem solução

Nada menos do que 99% das empresas paranaenses são familiares. No Brasil, este percentual é um pouco menor e gira na casa dos 80%. Daí a importá¢ncia de adotar os princípios de governança corporativa. Hoje está mais do que provado, que as empresas que não sabem separar os problemas familiares dos da administração, dificilmente conseguem sobreviver por muito tempo.

Eu conversei nesta quarta-feira (23) com o coordenador do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, Marcio Kaiser, e ele me disse que a primeira medida que deve ser adotada para resolver o problema da empresa familiar é fechar um acordo de acionistas. Ou seja, regular a entrada dos parentes na empresa. Não é necessária uma administração essencialmente profissional, mas sim preparar os membros da família, que realmente têm vocação para o negócio. O que se verifica hoje é que muitas empresas estão inchadas pela presença de filhos, netos, sobrinhos, sem a mínima vocação empresarial.

Outra medida sugerida por Marcio Kaiser é a criação de um conselho de administração formado por pessoas da família, mas também com a presença de profissionais, mais conhecidos como conselheiros independentes.

Segundo Marcio Kaiser, várias empresas paranaenses estão se profissionalizando e outras estão preparando a sucessão. A verdade, é que o bom desempenho da Bolsa de Valores abriu os olhos de muitos empresários. Um bom exemplo de sucesso de profissionalização empresarial é o Grupo Positivo.

Para os empresários que estão dispostos a mudar, uma boa opção é fazer o curso de Governança Corporativa em Empresas Familiares, que será realizado em Curitiba nos dias 6, 7 e 8 de maio próximos. Este é o quarto curso promovido pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa , em Curitiba. Aliás, mais de cem fundadores e herdeiros de empresas do Paraná já participaram do curso e estão implantando mudanças em seus estabelecimentos.   Maiores informações sobre o curso podem ser obtidas pelo telefone 3022-5035.