Feira de reciclagem movimenta semana em Curitiba

Começa nesta quarta-feira (11), no ExpoUnimed Curitiba, a Feira Brasileira de Reciclagem Preservação e Tecnologia Ambiental – ReciclAção. A terceira edição do evento terá várias. Serão encontros, palestras, mesas redondas, lançamentos de livros, além de novidades do setor que pretendem movimentar a economia aliada a sustentabilidade ambiental.

O evento, que acontece no mês que se comemora o dia mundial do meio ambiente, terá entrada franca e conta com 80 expositores entre instituições públicas, fornecedores de máquinas, equipamentos, produtos, serviços e tecnologias para o segmento.

A Feira apresentará diversos cases de sucesso na reciclagem, reutilização e reaproveitamento de materiais, assim como técnicas de preservação e programas de conservação por meio do tratamento do meio ambiente e da reciclagem em escala cooperativista e industrial.

Maiores informações sobre a programação através do site www.montebelloeventos.com.br.

Nível de emprego no Paraná é o melhor em 16 anos

trabalho-na-industria.jpgO nível de emprego formal no Paraná atingiu nos primeiros quatro meses do ano o melhor desempenho desde 1992. De acordo com pesquisa divulgada nesta sexta-feira (6) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o saldo de emprego formal totalizou 78.479 novas vagas entre janeiro e abril, ou 4,03% acima do verificado em igual peíodo de 2007. Somente no mês de abril foram abertos 26.347 novos postos de trabalho com carteira assinada, representando um aumento de 1,31%, e acima do desempenho nacional de 0,99%.

O interior paranaense continua com o maior número de empregos criados. No quadrimestre o interior respondeu por 54.458 novos postos de trabalho, ou seja, 69,4% dos empregos gerados no Estado. Na Grande Curitiba foram abertas 24.021 novas, ou 30,6% do total.

Nos primeiros quatro meses do ano o crescimento do emprego ficou concentrado em alguns ramos de atividades. Na indústria de transformação os destaques ficaram para alimentos, bebidas e álcool (15.660 empregos); têxtil e de vestuário (2.767 empregos) e mecá¢nica (2.491 empregos). No setor de serviços os destaques foram para outros serviços (6.428 empregos), hotéis e restaurantes (5.531 empregos) e ensino (3.908 empregos).  No comércio, o varejista gerou 6.790 empregos e o atacadista 3.944 empregos. No setor da agropecuária foram abertas 9.620 novas vagas de trabalho, enquanto que a construção civil respondeu por 6.635 novos empregos.

Fiações paranaenses travam luta contra concorrência asiática

FioO aumento das importações de confecções e fios da China e agora até do Camboja, Paquistão e ándia, já está se refletindo nas unidades de fiação das cooperativas paranaenses. A indústria de fiação da Coamo, de Campo Mourão, deu férias coletivas de três semanas aos seus 240 funcionários.

Na Coagel, de Goioerê, os 250 trabalhadores da fiação entrarão em férias de 14 de junho a 13 de julho. Já a unidade de fiação da Cocamar, de Maringá, não deu férias para os seus funcionários, mas parou de vender fios 100% algodão e está apostando nos fios mistos com viscose e poliéster. Como conseqá¼ência, seu estoque é hoje de 20 dias, ou seja, o dobro do normal.

Na cooperativa  Cocari, de Mandaguari, a situação é ainda pior. Os estoques de fios chegam a 45 dias e a opção foi demitir 30 funcionários. Desde o mês passado, a Cocari está desligando as máquinas no peíodo das 17 á s 21 horas, quando o preço da energia é mais alto.

A verdade é que as nossas fiações, mesmo tendo reduzido este ano os preços dos fios não conseguem competir com os importados dos países asiáticos. Por exemplo, o nosso fio de algodão usado em malhas e toalhas custava R$ 8,50 o quilo no primeiro trimestre. Agora, é vendido a R$ 7, ou seja, uma queda de 21%.  Mesmo assim, ele é 36% mais caro do que o da China ou da ándia, que é importado a R$ 4,50 o quilo.

Os caminhos da Toyota

Diversos empresários e executivos paranaenses vão se encontrar em São Paulo, no dia 23 de junho, com Jeffrey K. Liker durante o workshop “The Toyota Way”. Jeffrey é o estudioso autor do best seller homônimo que narra a vitoriosa trajetória da maior montadora japonesa e uma das líderes mundiais do segmento e que serve de referência para qualquer empresa que queira  adotar métodos que a transformem numa organização moderna, enxuta, produtiva, com alto nível de qualidade e administração. Dentre as empresas inscritas estão Blount Industrial e Klabin.

Brasileiro é eleito presidente mundial da ISA

O brasileiro Nelson Ninin foi eleito presidente mundial da ISA, a mais importante sociedade mundial de automação industrial. A eleição ocorreu em West Palm Beach, Flórida, no encontro de lideranças anual da entidade. Em 2007, o presidente do Distrito 4, América do Sul, Marcus Coester, foi eleito como Chairman do Board Internacional de Distritos da ISA. A eleição de Ninin, que é presidente da Yokogawa América do Sul/SP, consolida a posição de executivos brasileiros á  frente da entidade em nível internacional.

Esta é a primeira vez que um brasileiro chega a esta posição em mais de 60 anos desde a fundação da entidade, sendo o segundo presidente não norte-americano.

A ISA é uma sociedade profissional com mais de 30 mil membros em 180 países, que promove a profissão através de seminários, cursos, normas técnicas, certificação profissional e exibições técnicas. No Brasil, o Distrito 4 promove a Brazil Automation, que ocorre anualmente em São Paulo, o maior evento de automação industrial da América Latina.