Empresários doam R$ 4,5 milhões para educação

O presidente do LIDE EDH – Empresários para o Desenvolvimento Humano, Osmar Zogbi, e a presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, conseguiram arrecadar com os participantes do 7º Fórum Empresarial, promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais, em Comandatuba (BA), em pouco mais de 10 minutos, a quantia de R$ 4,5 milhões. Somente um empresário, que preferiu o anonimato, doou R$ 600 mil. A Rede Record colaborou com R$ 500 mil, assim como a Brasil Telecom. O Grupo Martins, representado por seu presidente, Alair Martins, doou R$ 200 mil. As quantias arrecadadas serão utilizadas ao longo deste ano para o combate ao analfabetismo.

Quando a educação esbarra na economia do País, os dados são muito preocupantes. Segundo dados do Banco Mundial, o PIB deixa de crescer 0,5% ao ano pela falta de conclusão dos estudos. A renda do Brasil dobraria se passasse a ter os mesmos 13 anos de escolaridade que tem hoje os Estados Unidos, apontam os estudos do Banco Mundial. 

Cresce demanda por consórcio imobiliário

Com o crédito imobiliário em alta, a procura pelo Sistema de Consórcios, como a alternativa mais econômica e vantajosa para aquisição de imóveis, é grande. No consórcio de imóveis Ademilar, com sede em Curitiba, o crescimento no primeiro trimestre do ano foi de 9,8% sobre o mesmo peíodo do ano passado, alcançando R$ 40 milhões em créditos futuros comercializados (a serem recebidos conforme os consorciados forem contemplados). São valores que movimentarão o mercado imobiliário nos próximos anos, para compra, construção e reforma de imóveis residenciais ou comerciais.

O valor médio das cotas vendidas também aumentou, de R$ 66 mil para R$ 82 mil nesse peíodo. A empresa obteve em 2007 uma elevação no faturamento total de 29% em comparação ao ano anterior. E a perspectiva para este ano é de crescer mais 35%, prevê a superintendente da empresa, Tatiana Reichmann.

Imposto pesará até 80% no preço dos presentes das mamáes

No Dia das Máes os consumidores vão pagar até 80% de tributos embutidos nos preços dos presentes. Quem for presentear sua máe com um casaco de pele, do valor total, 81,86% serão destinados ao pagamento de impostos. No caso de jóias, 50,44% corresponderão a impostos. Se a opção de presente for um forno de microondas, 47% do valor correspondem a impostos. Na compra de uma bolsa de couro, 41,52% do total pago serão destinados ao fisco; em um vestido, 34,67%; e em um par de botas, 36,17%. Já  num buquê de flores,  o imposto pesará um pouco menor, 17,71%.

Impostômetro bate R$ 300 bilhões

O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) marcará na madrugada deste sábado (19), entre 2h30 e 3 horas, R$ 300 bilhões em impostos municipais, estaduais e federais pagos pelos brasileiros desde 1º de janeiro deste ano. Em 2007 este valor foi alcançado 12 dias mais tarde, em 1º de maio. Em 2006 foi no dia 11 de maio.

Desde abril de 2005, o Impostômetro mostra a arrecadação de impostos em tempo real. No último dia de 2007 o painel marcou R$ 921 bilhões, em 2006 totalizou R$ 812,7 bilhões e em 2005, R$ 731,8 bilhões. A expectativa é que no último dia de 2008 o painel marque mais de R$ 1 trilhão.

Este painel vem confirmar que a cada ano os brasileiros têm pago cada vez mais impostos.

Criada comunidade de virtualização empresarial

A SAP, líder mundial de aplicações de negócios, está anunciando a formação de uma comunidade de virtualização empresarial, que visa desenvolver formas para ajudar as companhias a cortar custos, ao mesmo tempo em que aumentam sua eficiência.

Virtualização é o nome que se dá ao processo de executar vários sistemas operacionais ou várias aplicações de negócios em um único equipamento. Num ambiente corporativo, esse fenômeno é denominado virtualização empresarial porque cada equipamento se transforma em uma máquina virtual, ou seja, um ambiente operacional completo que se comporta como se fosse um computador independente. Com a virtualização, um servidor pode manter vários sistemas operacionais em uso.

Para o diretor de Tecnologia da SAP, Vishal Sikka, as empresas sabem que aproveitar ambientes virtuais é crucial para economia de custos e para motivar a eficiência. Para os clientes, a virtualização ajuda a reduzir em até 70% o custo de hardware dedicado a aplicações SAP.