Tigre faz nova aquisição

A catarinense Tigre, que é dona de uma das mais completas linhas de Tubos e Conexões de PVC do mundo, anuncia nesta segunda-feira (11) a compra da Plastica SA, umas das três maiores fabricantes de tubos e conexões de PVC do Peru. A empresa também quer comprar agora uma empresa no México, para poder consolidar a sua liderança na América Latina.
O valor da negociação não foi revelado, mas fontes do setor estimam que a Tigre pagou entre US$ 30 milhões e US$ 50 milhões pela Plástica, que tem capacidade de produção de 20 mil toneladas por ano e conta com apenas uma fábrica, localizada em Lima.
Hoje a Tigre produz na Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, Bolívia, Colômbia, Equador e Estados Unidos. A Venezuela, um dos grandes mercados sul-americanos em que a companhia não está presente, permanece fora dos planos da empresa. O foco, agora, é seguir em direção ao território de seu maior competidor no Brasil e na América Latina, a América Central e o México, liderados pelo grupo Mexichem.

በhora de acertar as contas com o Leão

Está chegando a hora de acertar as contas com o Leão. O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda 2008, referente ao ano de 2007, começa em 1º de março e vai até 30 de abril, mas o contribuinte já deve começar a se preparar desde já, e não deixar para a última hora. Devem declarar todos os contribuintes com rendimento bruto tributável anual acima de R$ 15.764,28. Para receber o valor da restituição no menor prazo possível, o ideal é que a organização dos documentos comece agora. A Receita já tem disponível em seu site a versão para simulação, que pode ser utilizada para testes. O formato final do programa já com os ajustes anuais deve ser lançado nos próximos 15 dias, segundo informações de Brasília.

Existem duas formas de declarar o Imposto de Renda, que é a simplificada ou completa. Para saber qual a declaração se encaixa melhor a cada perfil, o ideal é que o contribuinte realize as duas simulações. O desconto para quem faz a declaração simplificada é de 20% do rendimento tributável, valor que este ano está limitado a R$ 11.669,72. São considerados isentos apenas os contribuintes com rendimento mensal até R$ 1.313,69. De R$ 1.313,70 até R$ 2.625,12, a alíquota é de 15%, e a parcela a ser deduzida por dependente é de R$ 197,05. Já os rendimentos acima de R$ 2.625,12 mensais levam uma mordida maior do Leão, de 27,5%, e podem deduzir por dependente R$ 525,19.

Comece a separar a documentação

Desde já os contribuintes do IR devem conferir a documentação, evitando desta forma que a declaração do imposto de renda se transforme em correria, abrindo espaços para erros. O contribuinte deve separar os gastos com saúde, educação, contribuições previdenciárias, gastos com dependentes, doações a determinadas entidades, pagamento de pensão alimentícia, entre outros. Para evitar cair na malha fina, é necessário rigor na prestação de contas, pois o cruzamento de dados da Receita está sendo cada vez mais eficiente.

Quem deve declarar

Devem apresentar a declaração do IR os seguintes contribuintes:

Quem obteve rendimentos tributáveis acima de R$ 15.764,28.

Recebeu rendimentos isentos, não-tributáveis, ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil.

Obteve receita bruta da atividade rural acima de R$ 74.961,60.

Tem patrimônio superior a R$ 80 mil ou realizou operações em bolsa de valores, de mercadorias, de futuro e assemelhadas.

Passou á  condição de residente no Brasil.

Participou do quadro societário de empresa, inclusive inativa, como titular, sócio ou cooperado e realizou em qualquer mês do ano, alienação de bens ou direito, em que foi apurado ganho de capital sujeito a incidência do imposto, mesmo que tenha optado pela isenção, pela aplicação do produto da venda na aquisição de imóveis residenciais.

Veja como deve ficar a sua declaração

BNDES eleva empréstimos em 50% para pequenas empresas

Para quem pensa que o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) empresta dinheiro somente para as grandes empresas está enganado. No ano passado, as micro, pequenas e médias empresas receberam do BNDES R$ 12,1 bilhões. Contra 2006, o avanço foi de 50%. Se somados as operações focadas em empresas de menor porte e os desembolsos a pessoas físicas, o total chegou a 186 mil transferências.

Já o Cartão BNDES desembolsou R$ 509,2 milhões, 126% mais que os R$ 225,2 milhões de 2006. No total, foram mais de 38 mil operações com o cartão, número 118% superior aos 17,6 mil de 2006. Até agora, a instituição já emitiu 132 mil cartões, que são voltados para as micro, pequenas e médias empresas.