Chegou a hora de pagar as contas: como fazer se o dinheiro acabou?

As festas de fim de ano já terminaram. Também estão acabando neste domingo (6) as férias coletivas concedidas por uma boa parte das empresas comerciais e de serviços. Portanto, chegou o momento para fazer as contas.  Um bom início é começar a pensar na melhor maneira de lidar com as despesas extras que começam em janeiro, como IPTU, uniforme, material e matícula escolar. Em fevereiro, outra despesa extra, além do carnaval, que é o IPVA.

Pensando nos consumidores que gastaram tudo o que ganharam em presentes, festas e viagens, e não têm agora dinheiro para as despesas extras, alguns bancos criaram linhas específicas de financiamento. O assédio das instituições financeiras será intenso nas próximas semanas e as taxas de juros e condições de pagamento tentadoras. 

Entretanto, o consumidor deve estar atento, e cuidar para que um novo empréstimo não se torne um pesadelo no seu orçamento nos próximos meses.

Bancos oferecem crédito para pagar impostos

Ao se dirigir para um caixa eletrônico, ou mesmo acessando a internet para pagar os tradicionais impostos de início de ano como IPTU e IPVA, o consumidor tem como opção pagar á  vista, parcelar ou mesmo financiar a fatura, com linhas de crédito pré-aprovadas, com taxas que variam entre 2% e 5% ao mês, dependendo do banco. Também o material escolar poderá ser parcelado nas papelarias no cartões com  a mesma taxa de juros válida para o crédito pessoal.

O Banco do Brasil, por exemplo, oferece a linha BB Crediário, para pagamento de impostos e aquisição de serviços, com juros de 2,32% ao mês, que podem ser dividido entre duas e 48 parcelas, com limite entre R$ 70 e R$ 20 mil. A novidade para este ano é o financiamento dos boletos direto nos caixas eletrônicos, com menos burocracia.
 O consumidor deve estar consciente que pagar juros não é o melhor negócio. Portanto, antes de adquirir o financiamento, o consumidor deve pesquisar e ficar atento á  taxa cobrada para liberação do crédito, que costuma surpreender. Também é fundamental fazer contas, inclusive para saber o que as taxas cobradas representam no valor de cada parcela.

QI é o responsável pela maioria das contratações de altos cargos no Paraná

Como será que as indústrias do Paraná estão fazendo para contratar diretores, gerentes e mão-de-obra estratégica? A 17ª Sondagem Industrial realizada pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep)  revela alguns dados interessantes. Por exemplo, 31% das empresas paranaenses das mais diversas regiões do Estado contratam diretores, gerentes e profissionais que atuam em posições estratégicas através da indicação de amigos, clientes ou mesmo fornecedores. Ou seja, o famoso QI, ou Quem Indica, é o grande responsável pelas contratações nos cargos mais elevados.
Já 29% das empresas paranaenses afirmaram nesta pesquisa que a forma de contratar diretores e gerentes é através do setor de Recursos Humanos. 15% utilizam o Plano de Carreira e apenas 12% buscam esse tipo de profissional em aências de empregos.

Construtora vende 40% a mais com promoção de Natal

A construtora J.A.Baggio obteve um crescimento de 40% em obras contratadas em dezembro, em comparação a dezembro de 2006, graças a sua promoção de Natal. Pela promoção, que já se encerrou, o cliente pagava 30% do valor da obra até a entrega das chaves e o restante era parcelado em 72 vezes. Além disso, quem fechou negócio no peíodo, ainda ganhou piso porcelanato e um faqueiro.

A empresa paranaense trabalha com sistema de preço fechado, em que o cliente contrata a obra por um valor fixo por metro quadrado construído. No valor contratado, estão inclusos os projetos arquitetônico, estrutural, hidráulico, elétrico, material e mão de obra total da residência, averbação junto á  prefeitura, além de demais taxas relativas á  obra.