Melhor Natal dos últimos 10 anos

O desempenho do comércio varejista neste Natal será o melhor dos últimos dez anos, segundo previsões do Instituto para o Desenvolvimento do Varejo (IDV). As 28 grandes redes varejistas que integram a entidade devem encerrar 2007 com crescimento real de 12% nas vendas na comparação com 2006. Juntas, essas companhias vão faturar quase R$ 100 bilhões ao longo deste ano. Essas empresas ampliaram em 7,4% o número de pontos-de-venda de 2006 para 2007, passando de 8,7 mil para 9,4 mil lojas.
 
O emprego direto no setor do comércio varejista nesse peíodo subiu 12,3%, totalizando 383 mil postos de trabalho.

Redes americanas querem entrar no mercado brasileiro de farmácias

As duas maiores cadeias americanas de farmácias, a Walgreens e a CVS querem também entrar no concorrido mercado brasileiro de farmácias. Inclusive, alguns bancos de investimento já foram contatados para negociar a compra de redes locais de farmácias. A Droga Raia, que está perto de vender parte de suas ações na Bolsa de Valores e a Drogaria São Paulo – uma das maiores redes do país, mas com sérios problemas de sucessão – são apontadas como possíveis alvos dos grupos estrangeiros.

Na CVS, um gigante com 6.200 lojas e receitas de quase US$ 80 bilhões por ano, engolir redes menores sempre fez parte da sua estratégia, mas, até agora, ela nunca precisou sair dos Estados Unidos.

Alemáes apostam em negócios para a Copa no Brasil

A aência federal de comércio exterior da Alemanha em uma publicação dirigida a empresários recomenda os investimentos no Brasil, pois segundo o órgão governamental, a economia brasileira terá grandes lucros com a Copa do Mundo de 2014.

A aência BFAI (sigla em alemão) prevê que a Copa deve gerar US$ 2,5 bilhões em investimentos de infra-estrutura no Brasil e aumentar o PIB do país em 0,5%. Por este motivo recomenda que as empresas alemás fiquem alertas para possíveis negócios ligados á  Copa de 2014. Portanto, desde já, as empresas brasileiras devem se preparar.

Nova aposta da Citroá«n em Curitiba

A segunda concessionária Citroá«n de Curitiba será inaugurada em dezembro. Localizada no segundo pólo de venda de veículos da Avenida General Mario Tourinho, no bairro Campina do Siqueira, a Gran Ville está recebendo investimento de R$ 3,5 milhões. A área, ou mais especificamente, os cinco terrenos que a concessionária ocupará, foi alugada. Aliás, esta é uma prática comum das revendedoras de veículos daquele local. Com a consolidação do segundo pólo de distribuição de veículos naquele local, os terrenos alcançam hoje uma supervalorização. Além do mais, os proprietários optaram por alugar, ao invés de vender os terrenos.

O custo do metro quadrado de um terreno ao longo da General Mario Tourinho, gira em torno de R$ 2 mil. No caso da Gran Ville, a concessionária fez um contrato de locação por cinco anos, renovável por mais cinco anos, com opção de compra no final.

Previsões otimistas

Para falar dos negócios da Citrá¶en no Brasil, esteve nesta quarta-feira (21), em Curitiba, o presidente da montadora no Brasil, Sergio Habib. Falando a um grupo de jornalistas, ele fez projeções otimistas para o mercado automotivo brasileiro. Segundo ele, as vendas de veículos no Brasil devem fechar o ano com crescimento de 28% em relação a 2006, totalizando 2,350 milhões de unidades. Estes números equivalem a todo o mercado argentino e a dois mercados chilenos.

Na opinião de Habib, não só o alongamento dos prazos dos financiamentos, bem como a queda dos juros, que ajudaram o mercado de veículos a vender mais. O fator de maior peso foi á  conjuntura econômica favorável e a confiança que a economia brasileira continuará crescendo.