You are here
Home > Sem categoria > Crise europeia preocupa investidores paranaenses

Crise europeia preocupa investidores paranaenses

Duzentos investidores paranaenses estiveram reunidos na noite desta quarta-feira (10) em Curitiba para discutir os impactos locais da crise financeira e fiscal instalada em alguns países da zona do euro. O evento, promovido pela corretora Omar Camargo, contou com a presença dos analistas Raphael Cordeiro e Luiz Augusto Pacheco e da economista Nastássia Romanó Leite de Castro.

Segundo Nastássia, os déficits crescentes de orçamento enfrentados pelo bloco formado por Portugal, Itália, Irlanda, Espanha e principalmente a Grécia vem causando a queda do euro e um abalo na confiança dos investidores estrangeiros – refletindo também aqui no Brasil. Uma das maiores preocupações dos investidores brasileiros é em relação á  estabilidade do dólar, com a queda da moeda europeia. A economista ponderou que o dólar deve subir, mas não a curto prazo, pois o Brasil está recebendo investimentos estrangeiros – ” e enquanto isto acontecer, a moeda americana deve continuar estável”, afirma. O analista e consultor financeiro Raphael Cordeiro, autor do livro “O Sovina e o Perdulário”, tranquilizou os brasileiros: “os países europeus em crise representam apenas em torno de 5% das importações e exportações brasileiras – sendo assim, refletem muito pouco na nossa economia”. No entanto, segundo Cordeiro, quem pode ter alguma perda com a situação atual são os produtores de café (o produto mais importado pela Grécia do Brasil).

De qualquer forma, a crise do euro já gerou tensão na bolsa de valores, com a queda das ações. Para o analista Luiz Augusto Pacheco, isso não é motivo de preocupação: “pelo contrário, é uma boa oportunidade para adquirir ações a um preço mais baixo”, afirma. Mesmo assim, o momento pede cautela. Na atual conjuntura, a corretora aconselha não dedicar mais que 35% da carteira de investimentos em renda variável.

Outro tema bastante discutido no evento foi a extraordinária valorização do mercado imobiliário em Curitiba. De 2005 a 2009 a média do metro quadrado bruto na capital paranaense passou de R$ 779,00 para R$ 1.796,00 – um aumento de 23,2% ao ano. “O valor dos imóveis em Curitiba nunca esteve tão alto na última década”, afirma Pacheco. Por isso, os analistas indicam que o momento é propício para vender parte dos investimentos em imóveis e investir numa carteira diversificada.

O portfólio da Omar Camargo está distribuído hoje em 45% para renda fixa, 35% para renda variável, 10% para fundo multimercado e 10% para fundos imobiliários. A carteira da corretora é composta por empresas como Copel, Bradesco, Petrobras, Vale, Gerdau, Fertilizantes Heringer, Positivo e Cremer. De acordo com Raphael Cordeiro, ações muito arriscadas não são indicadas, principalmente na atual conjuntura internacional. “Muito mais importante que ganhar é não perder dinheiro, pois o impacto de uma perda é proporcionalmente maior”, explica.

Deixe uma resposta

Top