You are here
Home > Sem categoria > Indústria paranaense cresce 8,42% no primeiro semestre

Indústria paranaense cresce 8,42% no primeiro semestre

Nos primeiros seis meses do ano, a indústria do Paraná apresentou alta de 8,42% na comparação com o mesmo peíodo de 2010. Apesar de positivo, este resultado aponta para desaceleração no crescimento verificado nos primeiros meses de 2011. Até março deste ano os valores acumulados foram de 10,81%, em abril este índice caiu para 9,68%, chegando a junho com 8,42%. Quando comparado com maio deste ano, o resultado de junho apresentou queda de -2,92%. Segundo relatório divulgado pelo departamento econômico da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) nesta segunda-feira (8), houve queda nas vendas em 16 dos 18 êneros pesquisados. Os únicos setores da indústria que tiveram performance positiva foram Veículos Automotores (+15,12%), que apresentou bom resultado em decorrência da base deprimida de maio (greve nas montadoras), e Produtos de Metal (+4,28%) cuja alta está ligada á s novas encomendas para  o setor. Em relação á  compra de insumos pela indústria paranaense, o mês de junho apresentou redução de -13,74% em relação a maio, acompanhando a tendência de queda nas vendas no peíodo. Quando comparado o primeiro semestre de 2011 com 2010, constata-se aumento de 7,33% na aquisição de insumos.

Também no nível de emprego o resultado acumulado entre janeiro e junho apresentou aumento. No quesito pessoal empregado total” houve acréscimo de 4,99% e no pessoal empregado na produção” alta de 3,55% em relação ao mesmo peíodo de 2010. Segundo o coordenador do Departamento Econômico da Fiep, Mauílio Schmitt, estes resultados indicam que a atividade industrial no Paraná está bem acima da registrada tradicionalmente nos seis primeiros meses do ano. De acordo com Schmitt, as vendas industriais (+8,42%), as compras de insumos (+7,33%) e o emprego (+4,99%) estão em níveis recordes para um primeiro semestre, desde que foi iniciada a série histórica em 1986. O forte crescimento da economia brasileira em 2010, a boa safra paranaense colocada no mercado com favoráveis preços internacionais e o crédito farto para aquisição de bens de consumo duráveis estão entre os principais fatores que construíram este resultado positivo”, afirma o economista.

Apesar dos bons indicativos, Schmitt adverte que o resultado recorde não deve se repetir com a mesma intensidade no segundo semestre de 2011. A queda de velocidade da expansão acumulada registrada no primeiro trimestre, quando o valor acumulado das vendas caiu de 27,84% em janeiro para 10,81% em março e no segundo trimestre, com queda de 9,68% em abril para 8,42% em junho evidencia nítida desaceleração no crescimento”, diz.

Dentre os setores que tiveram maior queda nas vendas industriais durante o mês de junho estão dois dos três de maior participação relativa na indústria paranaense. Alimentos e Bebidas e Refino de Petróleo e Produção de álcool apresentaram queda de -4,79% e -4,22%, respectivamente, ambos por conta da menor quantidade de dias trabalhados no peíodo.O resultado negativo de junho também foi puxado pela retração nos setores de Couros e Calçados (-16,64%) e Vestuário (-15,24%), este último em decorrência da redução da demanda e da troca de coleção.

No acumulado dos primeiros seis meses do ano, 9 dos 18 êneros tiveram desempenho positivo quando comparados com mesmo peíodo de 2010. Os três êneros que apresentaram maior expansão foram: Vestuário (+32,44%), Produtos de Metal (+24,75%) e Móveis e Indústrias Diversas (+14,57%). Nesta mesma base de comparação, os três êneros com maiores reduções foram Têxteis (-34,09%), Edição e Impressão (-14,05%) e Material Eletrônico e de Comunicações (-12,96%).

No que se refere ao destino das vendas industriais durante o mês de junho, houve diminuição nas vendas dentro do Paraná (-0,86%), para os outros estados brasileiros (-2,77%) e também para outros países (-9,74%). No acumulado dos seis primeiros meses do ano, os resultados são positivos em relação á s vendas dentro do estado (+18,42%) e para outros estados (+3,52%). As vendas para o exterior tiveram resultado negativo de -0,90%.

Deixe uma resposta

Top