You are here
Home > Tributação > Somente 5% das empresas fazem planejamento tributário

Somente 5% das empresas fazem planejamento tributário

planejamento tributárioApesar da carga tributária ter batido mais um recorde – atingiu 35,95% da renda dos brasileiros em 2013 – ainda são poucas as empresas que fazem planejamento tributário no país. Estima-se que apenas 5% das companhias tenham estratégias para diminuir o peso dos tributos nos seus negócios. “Esse movimento ainda está muito concentrado entre as companhias de grande porte e, em menor medida, nas médias”, diz Gilson Faust, diretor da Pactum Consultoria Empresarial. Segundo ele, o planejamento tributário pode, em alguns casos, reduzir em até 20% os custos do negócio.  “O que ocorre é que muitas vezes as empresas estão tão preocupadas com a sua própria operação, que não priorizam a eficiência tributária como forma de cortar custos e aumentar a produtividade” afirma.

A carga tributária brasileira está concentrada em tributos sobre produção e consumo, que encarecem mercadorias e serviços, prejudicando exportações e investimentos. A complexa organização dos tributos colocou o país entre os maiores índices de carga tributária mundial , comparável a de países ricos da Europa. Na América Latina, só perde para a Argentina, que tem uma carga tributária de 37,3%.

Mesmo com as desonerações implantadas pelo governo federal, a mordida dos impostos continua a subir,  o que promete ser mais um problema para as empresas em 2015, que já terão que enfrentar um cenário de inflação e juros em alta, baixo consumo e forte queda de investimentos. “As empresas terão que de alguma forma procurar uma eficiência interna” diz Faust, da Pactum. Em 2013, impostos, taxas e contribuições cobrados pela União, Estados e municípios absorveram R$ 1,72 trilhão da renda de empresas e população.

Com a necessidade de fazer caixa para colocar as contas em dia, tanto o governo federal quanto os estados vão aumentar tributos e devem cancelar a renovação de desonerações que entraram em vigor nos últimos cinco anos para combater os efeitos da crise econômica global. Esse movimento pode fazer a carga tributária brasileira crescer ainda mais mesmo em um cenário de desaceleração da economia.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top