Como manter a saúde das finanças pessoais

“À primeira vista o termo pode parecer estranho, mas manter a saúde das finanças pessoais é tão importante quanto ir regularmente ao médico, por exemplo.” A afirmação é do consultor financeiro Leonardo Grisotto, fundador e diretor da Leão Bravo Finanças Estratégicas. Grisotto viveu na pele as consequências da ingerência do seu próprio negócio e depois disso resolveu trabalhar com consultoria para que outras pessoas não passassem pelas mesmas dificuldades. Partindo da premissa de que as mesmas ferramentas utilizadas para gerir uma empresa podem ser aplicadas também às finanças pessoais, o administrador de empresas, com pós-graduação Gestão de Negócios e MBA em Finanças, apresenta algumas dicas valiosas.

Um primeiro passo nesse processo seria entender o contexto da relação indivíduo X dinheiro. “O dinheiro é antes de tudo uma moeda de troca. Utilizamos dinheiro para adquirir bens e produtos, trocamos o dinheiro por serviços, experiências, alimentação, vestuário, moradia, entre outros. Logo, entender esse processo é fundamental”, destaca o consultor. Sendo uma moeda de troca é essencial saber administrar a própria renda a partir das receitas e despesas. E é nesse ponto que o papel do planejamento orçamentário entra. “Sempre que se fala em uso do dinheiro o planejamento é fundamental. Se eu quero ter um carro tenho que organizar as minhas finanças para ver qual modelo está dentro do meu orçamento, por exemplo”, explica o administrador.

E, ao contrário do que muita gente pensa, montar um orçamento é uma tarefa simples. No orçamento vão entrar as receitas e as despesas. Receita é tudo aquilo que entra como crédito como o salário; uma herança; os lucros de algum investimento financeiro, enfim, tudo o que gere um valor de arrecadação. Já as despesas englobam todos os gastos, como aluguel, investimento em educação, vestuário, alimentação, etc. Ao final dessa etapa, a equação vai apresentar um panorama bem claro dos recursos financeiros. Tudo o que pode ser gasto ou investido, sempre tendo em mente um limite de segurança.

Portanto, o planejamento orçamentário nada mais é do que uma organização racional das finanças. “O orçamento nos dá uma visão realista do que eu posso adquirir com a minha renda. É um pensamento bem racional: não devo gastar mais do que tenho! E indo mais além: guardar uma parte do meu orçamento todo mês, investindo o que sobra é um pensamento bastante inteligente. Isso significa pensar em longo prazo, planejar para se ter uma segurança financeira no futuro. Além disso, falando em futuro, é imprescindível conhecer seus objetivos de vida para então criar metas e planejar estratégias para alcançá-los”, conclui Grisotto.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *