Cada vez mais pessoas pensam em ter um negócio próprio, mas empreendedores devem se preparar para enfrentar uma montanha russa de emoções e desafios

A cada dia que passa, mais pessoas pensam em ter o próprio negócio. Tomemos como exemplo a cidade de Curitiba, que de acordo com o portal Empresometro, conta hoje com 309 mil empresas ativas, ou 4 mil a mais do que no ano passado. Nestes números não estão incluídos os microempreendedores individuais. Já em todo o Paraná, segundo os últimos dados da Junta Comercial do Paraná, nos primeiros dez meses do ano, 37 mil novas empresas passaram a funcionar no Estado, um crescimento de 10% sobre 2016.

Abrir um negócio e colocar as primeiras ideias em prática é sempre motivo para celebrar, mas nem sempre o caminho que os empreendedores terão pela frente será livre de obstáculos. Tanto o é que, de acordo com o Sebrae, um quarto das empresas fecha suas portas antes de completar dois anos. Eu conversei com alguns consultores de empresas e pedi algumas dicas que contribuam para aqueles que estão pensando em abrir seu próprio negócio em 2018.

Em primeiro lugar é fundamental pesquisar e ler bastante. Quanto maior for o grau de conhecimento que o futuro empresário adquirir sobre aquilo que deseja empreender, maiores serão as chances de sucesso. Outro item essencial é analisar o seu perfil e decidir pelo tipo de empreendimento que reflita a sua personalidade, valores e o que realmente gosta de fazer.

O terceiro ponto é procurar inovar e ser diferente. Isso significa que por mais que a tarefa de empreender seja desafiadora, o empresário deve procurar sempre adquirir novos conhecimentos e habilidades, procurar ter uma visão global dos negócios, da concorrência e das tendências que estão ocorrendo, sobre assuntos diversos.

Outro item que não pode faltar é ter uma vida financeira organizada. A verdade é que nem sempre é fácil controlar os gastos, mas esse é um exercício necessário. Uma das grandes consequências de misturar contas pessoais com as da empresa é a perda do controle financeiro, gerando resultados distorcidos e tomadas de decisões equivocadas.

Por último, o empreendedor deve estar preparado para enfrentar uma montanha russa de emoções. Empreender é um exercício diário, e o empresário terá mudanças constantes de humor, principalmente no início, onde faltará uma certa dose de experiência e até mesmo maturidade. A paciência será constantemente testada e por diversas vezes o empreendedor se questionará se está no caminho certo. Mas, ao mesmo tempo, ele nunca se sentirá tão feliz e realizado como com o seu próprio negócio.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 49 anos na área de jornalismo, sendo 47 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *