JTI inaugura sua primeira fábrica de cigarros na América do Sul

JTI inaugura sua primeira fábrica de cigarros na América do Sul

Nesta quarta-feira (26), a JTI (Japan Tobacco International) inaugura uma unidade de fabricação de cigarros em Santa Cruz do Sul, no Brasil. Essa será a primeira fábrica de cigarros da JTI na América do Sul. Com presença local desde 2009, a JTI emprega no Brasil aproximadamente 2000 colaboradores em centros de processamento de tabaco, de pesquisa e de distribuição. Agora, a JTI investiu R$ 85 milhões na nova fábrica.

Com equipamento de alta tecnologia, a fábrica irá produzir cigarros das marcas Camel e Winston. De acordo com Flavio Goulart, Diretor de Assuntos Corporativos e Comunicação da JTI Brasil, a decisão de investir no Brasil se deve principalmente ao alto grau de conhecimento técnico e operacional no País. “O excelente padrão da folha de tabaco brasileiro, que a JTI usa nas suas principais marcas globais também foi levado em consideração”, adicionou.

Antes de iniciar as obras em abril do ano passado, a empresa investiu em treinamento adicional para cerca de 50 colaboradores – entre eles, pessoal de operações e engenheiros mecânicos e elétricos – em unidades da JTI por toda Europa. Os novos colaboradores para Santa Cruz do Sul foram selecionados dentre mais de 4000 candidatos. Além da equipe permanente da JTI no Rio Grande do Sul, a fábrica poderá contar com apoio fundamental e consultoria estratégica e técnica de uma equipe global de especialistas da JTI.

Empresa está presente em mais de 130 países

A JTI é uma empresa líder no ramo de tabaco, com operações em mais de 130 países. É a proprietária mundial tanto da Winston, a segunda marca de cigarros no mundo, quanto da Camel fora dos Estados Unidos, e tem o maior volume de vendas de ambas as marcas. Outras marcas globais incluem a Mevius e a LD. Com a sua internacionalmente reconhecida marca Logic, a JTI também é uma protagonista no mercado de cigarros eletrônicos e, desde 2011, com o Ploom, tem presença na categoria de cigarros aquecidos. Com sede em Genebra, na Suíça, a JTI emprega cerca de 40.000 pessoas e foi premiada como Top Employer Global por quatro anos consecutivos. A JTI é parte do Grupo Japan Tobacco. Para mais informações, visite www.jti.com

No Brasil, a infraestrutura da JTI espalhada por todo o País inclui uma unidade de processamento de tabaco no Estado do Rio Grande do Sul, além de unidades de aquisição de tabaco, um centro de pesquisas e centros de distribuição em doze estados e no Distrito Federal. A JTI estabeleceu seu primeiro escritório no País no Rio de Janeiro no ano 2000. A empresa tem parcerias diretas com mais de treze mil produtores de tabaco, que recebem localmente apoio na forma de consultoria de agronomia para garantir uma produção sustentável e de alta qualidade. O destaque das operações da JTI no Brasil fica por conta do trabalho integrado das divisões de Global Supply Chain e Market, único no mundo.

Confira os números da JTI Brasil:

Mais de 945 colaboradores permanentes
1200 colaboradores JTI temporários
13000 fornecedores de tabaco
Quatro subsidiárias de aquisição de tabaco: Pinhalzinho (SC), Canoinhas (SC), Pouso Redondo (SC) e São Mateus do Sul (PR)
13 filiais de distribuição de cigarros

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *