Inteligência artificial impulsionará carreira dos estudantes de negócios

Inteligência artificial impulsionará carreira dos estudantes de negócios

A inteligência artificial aumentará as oportunidades de trabalho de universitários e recém-formados em cursos de negócios nos próximos anos. Esta é uma das principais conclusões da edição mais recente da Pesquisa Estudantes 2018 (do original, em inglês, Student Survey 2018), produzida pela KPMG. Os resultados foram consolidados após entrevistas realizadas com 88 estudantes das principais universidades de 22 países, finalistas da competição KICC (KPMG International Case Competition), realizada em Kuala Lumpur, na Malásia.

Quando questionados sobre quais são as três tecnologias que terão maior influência sobre as carreiras nos próximos dez anos, a grande maioria dos estudantes, 81%, identificou inteligência artificial, seguida por blockchain e robótica, cada uma apontada por 59% dos entrevistados. Mais da metade disse que a inteligência artificial aumentará o nível de responsabilidade para os recém-formados e quase 25% acreditam que ela aumentará o número de oportunidades de trabalho.

Todos os estudantes consultados no levantamento preveem que a tecnologia terá impacto significativo e positivo ao longo da carreira e mais da metade afirmou que ela mudará radicalmente o trabalho que eles executam. Nenhum deles apontou impactos negativos.

“No caso do Brasil, o mercado tem demonstrado que jovens conectados têm mais oportunidades para desenvolverem a carreira, contribuindo para o reconhecimento daqueles que apresentam alta performance e evolução do aprendizado. Esse perfil, de profissionais atentos às tendências e com vontade de fazer a diferença, está alinhado com as empresas do futuro”, afirma o sócio de Gestão de Pessoas, Performance e Cultura da KPMG no Brasil, Marcelo de Lucca.

Quando questionados sobre qual é o maior impacto que as novas tecnologias terão sobre a experiência profissional, mais de 35% dos entrevistados disseram esperar que a tecnologia permita que eles façam um trabalho que agregue valor. Além disso, 21% preveem que ela proporcionará oportunidades de priorizar trabalhos mais interessantes e quase 20% disseram que ela permitirá que desenvolvam habilidades e competências de forma contínua.

“Diante do receio de que a tecnologia possa reduzir ou eliminar oportunidades de trabalho, os estudantes estão altamente confiantes de que ela, na verdade, trará novas possibilidades para a carreira”, completa Marcelo de Lucca.

Os estudantes e recém-formados também reconheceram que existem habilidades e valores não técnicos de grande importância que serão fundamentais no local de trabalho do futuro. Entre os entrevistados, 61% indicaram a resolução de problemas como a habilidade mais importante, seguida de capacidade de aprender (49%) e criatividade (39%). Os valores que eles classificam como mais importantes são ética (58%), responsabilidade (52%) e integridade (41%).

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 49 anos na área de jornalismo, sendo 47 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *